quinta-feira, 5 de maio de 2016

Morre ex-cartunista da revista satírica "Charlie Hebdo"


                                                                     
                                       Siné deixou a revista após polêmica sobre judaísmo

Morreu, aos 87 anos, Siné, ex-cartunista da revista satírica Charlie Hebdo. A morte aconteceu nesta quinta-feira (5/5) e foi confirmada através de comunicado na página da publicação Siné Mensual, da qual ele era responsável.

Segundo a Folha de S. Paulo, o cartunista entrou para o semanário francês em 1981, onde assinava a seção “Siné Sème sa Zone”. Teve uma trajetória conturbada no veículo. Em 2008 foi demitido após escrever um texto que foi considerado antissemita, onde dizia que o filho de Nicolas Sarkozy, então presidente da França, “iria longe” caso se convertesse ao judaísmo.

Após a demissão, fundou seu próprio semanário satírico, o Siné Hebdo, que não se sustentou economicamente e acabou se transformando no mensal Siné Mensuel.

Nascido na capital francesa em 1928, começou a desenhar aos 14 anos e logo passou a publicar em veículos. Como ilustrador, trabalhou para o jornal France Dimanche e na revista L’Express e recebeu o Grande Prêmio de Humor da França, em 1955.

Siné chegou a ser cantor em um grupo de cabaré e lançou outras publicações próprias, como Siné Massacre e L’Enragé.

(Com o Portal Imprensa)

Nenhum comentário :