sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Fidel é Fidel

                                                

Inaugurada na Bolívia exposição
pelos 90 anos de Fidel Castro

Carmen Esquivel Sarría

Fidel Castro é uma referência para o processo de mudança na Bolívia, declarou o vice-ministro de Turismo, Joaquín Rodas, ao inaugurar aqui uma exposição sobre o líder histórico da Revolução Cubana.

Mais de 200 pessoas assistiram ontem à noite a abertura da mostra "Fidel é Fidel", do fotógrafo Roberto Chile, no Museu Nacional de Etnografia e Folclore.

Em declarações à Prensa Latina, o vice-ministro destacou os laços de irmandade que unem Bolívia e Cuba, o apoio da Revolução em setores como a saúde e a educação e o respaldo de Fidel Castro ao reclame deste país para conseguir uma saída soberana ao mar.

Fidel soube conduzir seu povo pelo caminho anti-imperialista e nunca esmoreceu, apesar do bloqueio imposto pelos Estados Unidos, afirmou.

Juan Villanueva, representante do museu de Etnografia e Folclore, expressou o orgulho de ter neste centro uma exposição sobre uma personalidade sumamente influente na história dos povos da região.

A mostra, que permanecerá aberta até o dia 14 de agosto, consta de 28 imagens tomadas pelo fotógrafo e documentarista Roberto Chile, que acompanhou Fidel durante vários anos em suas atividades diárias.

Estruturamos a exposição como uma espécie de diálogo entre Fidel e o povo que o escuta, explicou a esta agência o curador Armando Urioste.

Recordou que o líder cubano esteve na Bolívia em 1993, ocasião na qual o povo lhe ofereceu uma calorosa recepção.

Na inauguração da mostra participaram Eric Valdés, conselheiro político da embaixada de Cuba na Bolívia, membros do corpo diplomático credenciado aqui, deputados e representantes de numerosas organizações que integram o comitê pelos 90 anos de Fidel.

(Com Prensa Latina)

Nenhum comentário :