quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Não é mito. Existe um melhor jeito de cair e evitar fraturas ou contusões

                                                            
                                                               Arte Nexo
Matheus Moreira 

 POR MAIS DIFÍCIL QUE PAREÇA, RECOMENDA-SE RELAXAR E NÃO TENTAR EVITAR A QUEDA

Quedas são um problema de saúde. Em 2010, estimava-se que em países desenvolvidos entre 3 e 5 pessoas a cada mil eram hospitalizadas por dia em decorrência de quedas. Crianças e idosos são os principais afetados, mas não são os únicos.

É possível minimizar o impacto de quedas. O jornal “The New York Times” reuniu paraquedistas, dublês profissionais, fisioterapeutas e instrutores de artes marciais para enumerar as melhores técnicas de queda — em outras palavras, ensinar a cair melhor.

Evite cair de costas, peito ou de cabeça

Parece fácil escolher como cair quando se está parado, mas quem já caiu, de qualquer lugar ou altura, sabe que há um pequeno intervalo entre o momento em que se perde o equilíbrio e a queda.

Nesse intervalo, de acordo com o artigo de Kate Murphy, proteger a cabeça é essencial. Evite que o primeiro contato da parte superior do corpo com a superfície seja feito pela cabeça a encolhendo, como se buscasse encostar o queixo no intervalo da clavícula.

Cair de costas ou de frente, com o peito voltado para o chão, também é bastante preocupante, e são duas as razões para isso. A primeira é que sua cabeça pode sofrer o efeito chicote, machucando o pescoço ou levando ao impacto da cabeça com o chão. A segunda é que ao cair dessa maneira, o risco de fraturar costelas ou a espinha, bem como danificar órgãos, aumenta consideravelmente.

Para cair de maneira mais segura, dobre os joelhos e cotovelos, e oriente o tombo para cair com a lateral da coxa, de ombros ou nádegas. “Seu instinto será estender as mãos ou tentar parar a queda com o joelho ou pé, mas por estarem rígidos e tensionados eles não irão perdoá-lo quando tocarem o chão”, diz Kevin Inouye, dublê e professor de atuação, movimento e combate da Universidade de Wyoming, nos EUA.


 SE POSSÍVEL, DOBRE OS JOELHOS E COTOVELOS, CURVE A CABEÇA EM DIREÇÃO À CLAVÍCULA E TENTE ROLAR

Não tente parar a queda

Esticar os braços ou as pernas (dependendo da altura que se cai) parece ser o meio mais fácil de se impedir o tombo, porém, o segredo para não se machucar, segundo o artigo de Kate Murphy no “New York Times”, é deixar a queda acontecer e tentar relaxar.

Ao esticar os braços, por exemplo, o peso corporal durante a queda estará sobre os punhos, o que pode levar a uma torção ou fratura. O mesmo pode acontecer no caso de uma queda de altura elevada, cujo o impacto seja absorvido pelos pés, com a perna tensa e esticada.

Com os músculos relaxados e evitando o impacto na cabeça, tórax e costas, a queda pode, variando de caso a caso, render um pouco de dor muscular e hematomas, diminuindo as chances de fratura e contusão.

Chuck Davidson, sargento da Escola Aérea do Exército, em Ft. Bragg, nos Estados Unidos, conta que o melhor é não tentar evitar a queda, mas “orientar seu corpo para o chão”. Ele explica ainda que, uma vez que se aprende a cair, é possível adequar o impacto para distribuir o peso corporal e evitar fraturas.

https://www.blogger.com/blogger.g?blogID=5538067426554059193#editor/target=post;postID=99790276359718585

(Com Nexo)


Nenhum comentário :