domingo, 30 de novembro de 2008

Mariela Castro e a exploração sexual




No Brasil , como participante do Terceiro Congresso Mundial para o Enfrentamento da Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, Mariela Castro, diretora do Centro Nacional para Educação Sexual da Federação de Mulheres de Cuba, falou sobre a continuidade da revolução, deixando claro que o país jamais voltará ao capitalismo. Sobre o tema específico de sua especialidade disse: ''Temos várias iniciativas interessantes em curso na região, mas que ficam isoladas por falta de contato entre os países. Não temos intercâmbio efetivo com o Brasil, mas queremos mudar isso'', disse Mariela, filha do presidente cubano, Raul Castro, em entrevista à Rádio Nacional da Amazônia e à Rádio Océano, do Uruguai.''Uma comitiva brasileira esteve em Cuba para conhecer nossos programas e estamos aqui para ampliar esse intercâmbio. Precisamos socializar o que existe de melhor em cada país para que possamos unir esforços por nossas crianças. Temos muito pontos e interesses em comum.'' (Site Vermelho, do PCdoB)

Declaração dos Direitos Humanos

No dia 10 a Declaração Universal dos Direitos Humanos estará ficando sessentona. E pena que, mesmo no Brasil, nem todos os seus artigos são levados em conta...No domingo, 30, o professor Daniel Guimarães Medrado de Castro, membro do Grupo de Direito Internacional do Centro Universitário Newton Paiva, em artigo, dia 30/11, no Hoje em Dia, chama a atenção para o fato de o artigo V, da Declaração, dispondo que ninguém será submetido a tortura, a tratamento ou castigo cruel ou degradante ainda não ser realidade no Brasil. Embora se reconheça que "esta nação tem caminhado para efetivar vários pontos insertos na Declaração", ressalva.
A conclusão do professor, vale a pena ser lembrada: "É imprescindível que, além da adoção de políticas públicas de melhoria das penitenciárias, a sociedade se abstenha da intolerância e do preconceito acerca dos violadores da lei e passe a entender que as penas privativas de liberdade não retiram do indivíduo a sua essência humana e, por conseguinte, não lhe retiram as garantias asseguradas pelo texto internacional"
(Um resumo da Declaração Universal dos Direitos Humanos está neste blog, com data de 4/11/2008) - http://josecarlosalexandre.blogspot.com/

Até Quando?


Gabriel Pensador




"Não adiante olhar pro céu com muita fé e pouca luta

Levanta ai que você tem muito protesto pra fazer e muita greve
Você pode e você deve, pode crer
Não adianta olhar pro chão, virar a cara pra não ver

Se liga aí, que te botaram numa cruz e só porque Jesus sofreu

Num quer dizer que você tenha que sofrer

Até quando você vai levando porrada, porrada?

Até quando vai ficar sem fazer nada?

Até quando você vai ser saco de pancada?


(...)


Muda que quando a gente muda o mundo muda com a gente

A gente muda o mundo na mudança da mente

E quando a mente muda a gente anda pra frente

E quando a gente manda ninguém manda na gente

Na mudança de atitude não há mal que não se mude

Nem doença sem cura

Na mudança de postura a gente fica mais seguro

Na mudança do presente a gente molda o futuro"


(Do folheto Liberdades Democráticas, do Conselho Nacional da Juventude)

Feira Internacional do Livro


De 2 a 22 de fevereiro de 2009, será realizada em Havana e XVIII Feira Internacional do Livro de Cuba. Desta vez o país convidado será o Chile e o evento será dedicado ao Cinqüentenário da Casa das Américas, uma instituição que, toda vez que vou a Havana não deixo de visitar,lá passando horas. A feira passada contou com mais de quatro milhões de presenças, quando foram vendidas mais de cinco milhões de livros. Para interessados em se inscrever ou obter maiores detalhes, os endereços: Câmara Cubana do Livro, Rua 15, 602, E,B e C, Bairro Vedado Havana. Quem quiser se ligar por meio de e-mails: feria@ccl.cult.cu ou mirtha@ccl.cult.cu

sábado, 29 de novembro de 2008

Importância de avôs e avós na família


A revista cubana Bohemia acaba de realizar um estudo sobre a importância dos avós e avôs no seio da família, dentro da pesquisa Saúde, Bem-Estar e Envelhecimento nas Américas. Outra conclusão da revista dos intelectuais cubanos foi que, entre os adultos da ilha, já é consenso que trabalhar mais anos dos que prevêem a lei, é o ideal.

Encontro Fidel-Medvedev


O líder da Revolução Cubana, Fidel Castro, descreveu seus intercâmbios com o presidente russo, Dimitri A. Medvedev, como uma boa prova de que ainda, a pesar de sua complexidade, os problemas do mundo podem ser abordados antes de que se transformem em imanejáveis. Já o presidente cubano, Raul Castro Ruz, dispôs-se a um encontro com o presidente eleito dos EUA, Barack Hussein Obama, num local neutro. Foi o que afirmou, num artigo, o ator Sean Penn. Este local seria a base norte-americana de Guantanamo, em Cuba.(Foto:Prensa Latina)

Ainda ressoam vozes da ditadura


* Carlos Lúcio Gontijo


Na pátria amada que nem parece minha/ Autoritarismo se transformou em tradição/ Cresce na pobreza de nosso campo social/ Feito democracia verde de erva daninha/ Que se aninha em lavoura malcuidada/ Os famintos se entregam à sua proteção/ E os privilegiados que o praticam/ Mesmo enfastiados, dele não abrem mão!!! (Lavoura malcuidada, poema editado em nosso livro AROMA DE MÃE, em 1993).


NÃO É preciso ser economista nem sociólogo para detectar que há uma pobreza urbana, de oportunidade, formada por pessoas que têm condições de trabalhar, mas não têm qualquer chance de exercer uma atividade remunera que lhes garanta o sustento digno. Contudo, todas as vezes que o governo brasileiro opta por políticas sociais compensatórias, para livrar da inanição as centenas de milhares de pessoas que experimentam os rigores da miséria absoluta, surgem críticas a esse tipo de medida paliativa, que, se não é solução, pelo menos é gesto cristão e necessário até que o deus-mercado dos neoliberais cresça e absorva o grande contingente de mão-de-obra disponível.
LEMBRAMO-NOS de Jarbas Passarinho, então ministro do Trabalho, em 1968, durante reunião ministerial: “A mim me repugna enveredar pelo caminho da ditadura, senhor presidente, mas, já que é inevitável, às favas todos os escrúpulos de consciência”. E, dentro dessa recordação lúgubre, gostaríamos que, em contexto mais palatável e altruísta, algum representante das elites dirigentes, que têm o mau hábito de “convocar” intervenção dos quartéis quando não mais conseguem contornar suas atrapalhadas administrativas, tivesse o mesmo destemor e entrega, quando o assunto fosse o combate à pobreza.
OU ENTÃO que se propusesse a defender o pão de cada dia para os pobres com o mesmo empenho com que defende as suas ideologias políticas radicais, a exemplo de fala do, à época deputado, Erasmo Dias, no plenário da Assembléia Legislativa, em 1991: “Eu continuo dizendo que mandaria matar comunistas hoje, ontem e amanhã. Eu almoço eles, antes que me jantem”.
INFELIZMENTE, os que ocupam altos cargos e poderiam mover forças em prol da maioria só se ocupam em se alimentar em pratos estranhos aos interesses coletivos, agir em causa própria ou em favor de grupos aos quais representam: bancos, empresários graúdos, mega-investidores e especuladores financeiros, como agora assistimos acontecer em nome do saneamento da crise eclodida pelo ovo da serpente germinada pelo mercado imobiliário norte-americano.
PODE PARECER ilógico relembrar tempos da ditadura militar, mas precisamos nos alertar no tocante à repressão social disfarçada, ungida pelas urnas, que é muito mais abrangente e detentora de uma desmesurada capacidade de torturar cidadãos por meio da promoção programada da desigualdade, da ignorância, da discórdia e da miséria.
HÁ, PELO BATIDO da lata política e carruagem em que trafegam os senhores de terra, engenho e riqueza, uma espécie de premunição coletiva de que os governantes são sempre capazes de ampliar o fundo do poço sem fim, tornando realidade frases como a do ex-presidente Castello Branco, dita ao deixar a Presidência, em 13 de dezembro de 1968: “Vocês ainda vão sentir saudades de mim”.
HOJE, diante do acirramento do imbróglio político, que coloca o presidente eleito democraticamente no fio de navalha afiada pela grande mídia, rebaixada a partido político em vez de se manter como poder moderador e porta-voz da população, levanta-se entre nós uma outra frase-vaticínio, emitida pelo ex-presidente João Baptista Figueiredo (em 1987), que, de além-túmulo, põe em xeque o arremedo de democracia em que vivemos: “A grande falha da revolução foi ter me escolhido presidente da República. Eu fiz essa abertura aí, pensei que fosse dar numa democracia, e deu num troço que não sei bem o que é”. (Foto:Everton Lemos/Picasa)
Carlos Lúcio Gontijo
Poeta, escritor e jornalista
(http://www.carlosluciogontijo.jor.br/)

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Sucessão presidencial


Andam falando por aí que é muito cedo para se discutir a sucessão presidencial.Mas o sinal para a arrancada visando 2010 foi dada de Brasília, com o presidente Luiz Inácio da Silva lançando a candidatura da chefe da Casa Civil, ministra Dilma Rousseff... Se a situação começa a se movientar, a oposição, mesmo a light, como a do PSDB, não pode ficar parada...E o ideal , para o tucanato, parece, no momento, o lançamento da chapa puro sangue. Ou seja: José Serra para presidente, e Aécio Neves, para vice. No campo da esquerda, se vingar a cláusula dos cinco por cento do eleitorado, PCB,PCdoB, PPS , PSTU e Psol teriam como opção o ex-presidente da Câmara, ex-ministro e o vice de Marta Suplicy nas últimas eleições em São Paulo, Aldo Rebelo. (Aécio e Lula - foto Wellington Pedro/Imprensa Oficial/Divulgação)

Nollywood, novo polo de cinema


Sem os orçamentos milionários de Hollywood e também longe dos de Bollywood, na Índia, Nollywood, a meca do cinema na Nigéria, está sendo desenvolvidam mostrando o jeito nigeriano de fazer filmes.Cada um custa em média 15 mil dólares, uma ninharia em se tratando da sétima arte.De qualquer forma, as produções nigerianas já estão sendo espalhadas pela África, pelo Reino Unido e pelos EUA. (Bimbo Akintola, atriz do novo cinema mundial, o da Nigéria(Foto Nollywood/Divulgação)

Cultura com Tempero e Sabor

O Deasinpro- Departamento de Aposentados do Sindicato dos Professores de Minas Gerais lançará dia 6, às sete da noite, o terceiro livro a série Causos e Receitas - Ccultura com Tempero e Sabor. Quem comparecer vai deparar também com apresentações artísticas,na sede do Sindicato, rua Jaime Soares, 198, Floresta. Mas Sindicato também é luta e a campanha salarial de 2009 está sendo iniciada...

Brasília, melhor que Pasárgada!


Os brasileiros não mais querem ir preponderantemente para Pasárgada, porque se inventou Brasília, que tem muitas das oferendas que o poema de Manuel Bandeira relaciona. Não se oferecem lá outros regalos como os que o Superior Tribunal de Justiça resolveu propiciar a seus servidores.O Tribunal lançou programa de emagrecimento para seus funcionários até 15 de dezembro. Quem perder mais peso ganhará prêmio em dinheiro, drenagem linfática e limpeza de pele, iniciativa que causou euforia na Corte: 1.500 pessoas se inscreveram. Para o nutricionista Aldemir Mangabeira, autor da dieta coletiva, 45% das mulheres e 55% dos homens do STJ estão acima do peso ou já obeso. É a primeira vez que o programa, já na terceira edição, garante dinheiro vivo aos funcionários “Servidor mais magro e saudável trabalha melhor e mais rápido”, assevera o nutricionista. O privilégio não atenderá aos raquíticos espécimes humanos do sertão, reconhecidos por Euclides ou por Aluísio Pimenta, em seu memorável discurso de formatura no curso superior.Os tabaréus comem pouco e mal, não têm assistência à saúde, e sonham, talvez, que os filhos, netos e bisnetos se transfiram para o planalto central e gozem das benesses dos federais, que usufruem de um lugar ao sol e à sombra. A Pasárgada brasileira continua com a maior renda “per capita” da nação, ou seja R$ 37.600 mensais, quase o triplo da média nacional de R$ 12.688; muito à frente de São Paulo, com R$ 19.548,00; Rio de Janeiro, com R$ 17.695,00 e Santa Catarina, com R$ 15.638.Dá vontade de deixar o passado para trás, raízes e tradições, para mudar para a capital federal.(Manoel Hygino dos Santos, dia 28/11/08 no Hoje em Dia)

O "insulto" do Projeto Paim


"O Palácio do Planalto decidiu jogar tudo para impedir a aprovação de um projeto do senador Paulo Paim, por sinal do PT, para devolver ao pessoal inativo o salário a que tem direito e para o qual contribuiu durante cerca de 35 anos, ou mais.O que pretende o projeto é restabelecer o n[umero de salários mínimos que os trabalhadores receberam quando da aposentadoria...O argumento do governo para derrubar o projeto Paim chega a ser um insulto", diz o jornalista Roberto Elísio de Castro e Silva em sua coluna dominical no Hoje em Dia.

29, Dia Nacional do Livro


Vinte e nove de outubro, data comemorativa do Dia Nacional do Livro. "Tramita na Câmara de BH o projeto de lei 1.811/08 que cria a Política Municipal do Livro, introduzindo uma hora de leitura diária nas escolas e estímulo às parcerias público-privadas para o desenvolvimento de programas de incentivo à leitura. O projeto também prevê a destinação de verbas no orçamento do município para a manutenção de bibliotecas e aquisição de novos livros." (Texto de Valéria Flores, no Hoje em Dia)

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Resoluções do X Encontro de PCs














''Com a participação de 65 Partidos Comunistas e Operários, de 55 países de todas as partes do mundo, realizou-se com êxito na cidade de São Paulo, Brasil, entre 21 e 23 de novembro de 2008, o 10º Encontro Internacional de Partidos Comunistas e Operários, tendo como anfitrião o Partido Comunista do Brasil.
O 10º Encontro se realizou em meio a uma grave crise do capitalismo, tema que freqüentou o conjunto das intervenções. Elas ressaltaram, como ponto comum, a natureza estrutural e sistêmica da crise, fenômeno próprio do desenvolvimento capitalista, que foi intensificado pela financeirização neoliberal que marcou o capitalismo nas últimas décadas.
A crise atual demonstra a completa falência e o colapso do neoliberalismo. Mas não representa o fim automático do capitalismo; ao contrário, as burguesias dos países centrais tratam de pôr em marcha uma operação de “salvação” do capitalismo. Tais medidas não darão um rumo virtuoso ao sistema; pelo contrário, visam fazer com que os trabalhadores paguem novamente a conta da crise. A crise do capitalismo deita por terra a proclamação do capital, de que a contra-revolução de 1989-1991 seria definitiva e irreversível. Ela expressa e patenteia os limites desse sistema social e a necessidade de sua superação revolucionária.
Sobre a questão da crise do capitalismo, os 65 partidos lançaram a Proclamação de São Paulo que aponta que o socialismo é a alternativa. Muitos partidos destacaram, como fato positivo, a crescente contestação à hegemonia norte-americana sobre o planeta, e que o mundo ingressa numa etapa de fortalecimento da luta antiimperialista, pela independência, desenvolvimento e progresso social dos povos e das nações.
Nesse sentido, alguns Partidos destacaram a importância do surgimento de novas coalizões de países em desenvolvimentos, tais como, por exemplo, o IBAS, fórum trilateral que reúne Índia, Brasil e África do Sul e as reuniões regulares dos BRIC’s (Brasil, Rússia, Índia e China), como expressões de uma revigorada unidade sul-sul.
Para os Partidos Comunistas e Operários, a crise reforça a necessidade de pôr em primeiro plano a transição ao socialismo, e de intensificar a luta de idéias junto ao povo, num momento em que os limites do capitalismo vêm à luz.
Os partidos ressaltaram o simbolismo e a importância de o Encontro ocorrer pela primeira vez na América Latina, marcando a internacionalização dos processos destas reuniões anuais, e tendo em vista que esta região se tornou um importante pólo de resistência antineoliberal e antiimperialista. O 10º Encontro aprovou uma Declaração em Solidariedade aos Povos da América Latina, celebrando o ascenso das lutas populares e as vitórias alcançadas por forças democráticas, progressistas e antiimperialistas, entre elas os comunistas.
O 10º Encontro também expressou grande preocupação com a explosiva situação atual do Oriente Médio representada pela tentativa de reconfiguração da região por parte do imperialismo norte-americano, pela guerra de ocupação do Iraque e a continuada opressão de Israel contra o povo palestino.
Os Partidos chamaram a atenção para a crise humanitária em Gaza, provocada pelo cerco israelense e exigem seu fim, bem como a eliminação do muro de separação racial e dos assentamentos israelenses ilegalmente construídos.
No que diz respeito à ação unitária dos comunistas, dentre outras iniciativas, foi proposto que se organize uma Jornada de ações e debates sobre crise do capitalismo; também se definiu pela realização de uma campanha de solidariedade a Cuba, por ocasião dos 50 anos da Revolução Cubana; foi proposto ainda que se realize uma campanha contra a Otan, por ocasião dos 60 anos de sua fundação; por fim, propôs-se que os Partidos organizem caravanas de solidariedade à Gaza, na Palestina.
Os delegados dos 65 Partidos Comunistas e Operários participaram de um ato público em solidariedade à luta dos povos da América Latina. Ali puderam expressar sua solidariedade internacionalista, confraternizar com a militância comunista e ouvir representações de outras forças políticas progressistas e movimentos sociais brasileiros." (Fotos: Maurício Morais/Vermelho/PCdoB/Granma)

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Jornalista, morte sob encomenda


O assassinato da jornalista russa Anna Politkovskaya foi encomendado, segundo a ata de acusação, por um político russo, afirmou nesta terça-feira à imprensa Murad Musayev, advogado de um dos acusados.O assassinato de Politkovskaya foi cometido em outubro de 2006, quando a jornalista preparava um artigo sobre as torturas sistemáticas na Tchetchênia, que foi publicado pelos colegas da jornalista cinco dias após a morte dela. Politkovskaya, que nasceu em Nova York, em 1958, tinha cidadania russa e americana. A Folha Online publicou. Foto: jornal El País

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Mais de 60 partidos no X Encontro


Na avaliação de Renato Rabelo, presidente do PCdoB, “a realização do X Encontro de Partidos Comunistas e Operários em São Paulo demonstrou a capacidade do partido de aglutinar e organizar a vinda de mais de 60 partidos dos quatro cantos do mundo. Isso, por si só, já é um grande fato”. O segundo aspecto destacado pelo dirigente é que “conseguimos, por aclamação, aprovar os dois documentos que apresentam unidade entre as organizações, uma grande vitória porque se trata de uma reunião com partidos comunistas diferentes entre si. Essa unidade demonstra o amadurecimento do movimento comunista”. (Aspecto da mesa no encerramento, reprodução do site Vermelho) Aguardemos a divulgação dos documentos finais, quer pelo PCB, quer pelo PCdoB.

domingo, 23 de novembro de 2008

Solidariedade ao final do X Encontro


Ato poloítico, realizado sábado, na quadra do Sindicato dos Bancários de São Paulo, prestou solidariedade aos povos da América Latina e Caribe, muitos deles agora com governos interessados em um desenvolvimento independente, fora dos domínios de Washington. O evento integrou o X Encontro Internacional de Partidos Comunistas e Operários. Ao final os participantes cantaram a Internacional. (Foto de Maurício Morais/Site Vermelho/Divulgação)

Quebra a perna e pode perder o cargo

Resolução da Secretaria de Estado da Educação está causando a maior revolta entre professores ocupantes dos cargos de diretor ou de vice-diretor no Estado.
O caso mais recente é do vice-diretor da Escola Estadual Padre Camargo, de Contagem. Segundo denúncia feita ontem durante reunião de diretores, na sede da Associação de Professores Públicos de Minas Gerais, APPMG, o vice-diretor do estabelecimento, professor João Afonso, sofreu um acidente de carro, fraturando uma das pernas.
O médico lhe concedeu uma licença de 90 dias. Como não tem condições de voltar ao trabalho antes, ele será exonerado, em função do que dispõe o artigo 51, da Resolução 1026, de 28 de dezembro de 2007, da Secretaria de Estado da Educação.
A reunião dos diretores escolares foi realizada na tarde de ontem, dia 21, na sede da APPMG, na Rua da Bahia, 1032 e foi coordenada pela presidente da Associação, Joana D' Arc Gontijo.
O artigo 51 da Resolução diz o seguinte: "Será destituído do cargo/função o diretor de Escola ou o vice-diretor que: I – afastar-se do exercício por período superior a 60 dias no ano, consecutivos ou não; II – candidatar-se a mandato eletivo, nos termos da legislação eleitoral específica.
"Parágrafo único excluem-se do cômputo do período a que se refere o inciso I deste artigo os afastamentos para usufruto de férias regulamentares, recessos escolares e licença maternidade".

Os Beatles perdoados


O jornal Osservatore Romano, do Vaticano, publicou matéria elogiando os Beatles, depois de anos e anos de oposição aos rapazes de Liverpoll. Isto porque John Lennon teria afirmado que eles seriam mais populares do que Jesus Cristo. O jornal oficial do Vaticano considerou a afirmação como algo de pura bravata por parte de jovens de uma cidade de trabalhadores da Grã-Bretanha.

Por sinal, a canção Imagine, de Lennon, é de fundo totalmente revolucionário. E pacifista:


Imagine there's no heaven,It's easy if you try,No hell below us,Above us only sky,Imagine all the people living for today...
Imagine there's no countries,It isnt hard to do,Nothing to kill or die for,No religion too,Imagine all the people living life in peace...
Imagine no possessions,I wonder if you can,No need for greed or hunger,A brotherhood of men,imagine all the people Sharing all the world...
You may say I'm a dreamer,but Im not the only one,I hope some day you'll join us,And the world will live as one
(Imagine que não exista nenhum paraíso,É fácil se você tentar.Nenhum inferno abaixo de nós,Sobre nós apenas o firmamento.Imagine todas as pessoasVivendo pelo hoje...
Imagine que não exista nenhum país,Não é difícil de fazer.Nada porque matar ou porque morrer,Nenhuma religião também.Imagine todas as pessoasVivendo a vida em paz...
Imagine nenhuma propriedade,Eu me pergunto se você consegue.Nenhuma necessidade de ganância ou fome,Uma fraternidade de homens.Imagine todas as pessoasCompartilhando o mundo todo.
Você talvez diga que sou um sonhador,Mas eu não o único.Eu espero que algum dia você junte-se a nós,E o mundo viverá como um único).

Venezuelanos estão votando




As atenções se voltam para as eleições de hoje na Venezuela. São 17 milhões em condições de eleger 22 governadores, 328 prefeitos, 233 Conselhos Municipais, 13 vereadores de Caracas e mais 7 ocupantes da Prefeitura Metropolitana de Alto Apure. Situação e oposição foram para as ruas em festas, com fogos de artifício, cartazes, buzinaços e tudo a que têm direito. Se os partidários de Hugo Chávez ganharem estará dado mais um passo para ampliar a Revolução
Bolivariana, que interessa muito a toda a América Latina.

Os caminhos da Estrada Real


As irmãs Eugênia de Oliveira e Magda Rezende estão lançando o liveo Estrada Real-Um caminho Encantado, recordando as estradas,m caminhos e trilhas seguidos pelos bandeirantes, no século XVII, em busca de ouro e diamantes em Minas Gerais. Magda Rezende é cineasta, que criou e desenhou personagens que percorrem o trajeto Ouro Preto-Diamantina, inspirados nos sobrinhos João e Nanda, com 14 e 16 anos. No trajeto também um cãozinho, Ideafix, o que nos faz lembrar o Boni, da jornalista Fátima de Oliveira, que nos deu o livro Boni, um Cachorro Real.

Tese sobre o Clube da Esquina


O doutor em História pela UFMG, Luiz Henrique Assis Garcia, fará palestra na terça-feira, dia 25, às sete da noite no Museu Histórico Abílio Barreto. Versará sobre sua tese "Na Esquina do Mundo: Trocas Culturais na Música Popular Brasileira Através do Clube da Esquina (1960-1980). O evento acontece dentro do projeto Novos Registros, que se propõe a divulgar trabalhos acadêmicos sobre Belo Horizonte e o Estado de Minas Gerais.

Vigília na Câmara pelos aposentados


Os aposentados ganharam mais uma aliada na luta pela correção das aposentadorias e pensões: a deputada Luciana Genro (PSOL-RS) . A deputada gaúcha diz que vai comandar uma vigília na Câmara, se o presidenre da Casa, Arlindo Chinaglia (PT) resolver não colocar em pauta para votação os projetos do senador Paulo Paim (PT/RS), que corrigem as aposentadorias e pensões pagas pelo INSS. A reivindicação é para que o valor do benefício corresponda ao número de salários mínimos da data da concessão.

sábado, 22 de novembro de 2008

Encontro de Partidos Comunistas


Pronunciamento de Ivan Pinheiro, Secretário Geral do PCB, em nome do Partido, no X Encontro Mundial de Partidos Comunistas e Operários Camaradas:
O PCB, o mais antigo partido político brasileiro, fundado em 1922, saúda os comunistas do mundo todo.
Estamos em casa. Não por estarmos no Brasil. Nosso país é o mundo. Estamos em casa, porque o lugar do Partido Comunista Brasileiro é o movimento comunista internacional. Fundado sob a influência da Revolução Russa, o PCB se orgulha de ter sido solidário ao Partido Comunista da União Soviética - em que pesem algumas diferenças e críticas - até a derrocada das experiências de construção do socialismo no leste europeu. Há 50 anos nos solidarizamos com a gloriosa Revolução Cubana. Custe o que custar, o movimento comunista internacional contou e conta com o nosso Partido, nas vitórias e derrotas, nos erros e acertos.
Este Encontro não poderia ocorrer em momento mais oportuno: a mais grave crise da história do capitalismo bate às portas da humanidade, anunciando várias conseqüências negativas para o proletariado.
Para tentar sair da crise, o capital não pensa duas vezes ao saquear os cofres públicos para salvar banqueiros e oligopólios; não vacilará um minuto em atacar ainda mais os salários, os direitos sociais e trabalhistas, além de diminuir a qualidade de serviços públicos; não tergiversará um só instante ao aprofundar a exploração e a barbárie, sem se importar com o agravamento da fome e da miséria; não titubeará em recorrer a mais guerras e agressões militares nem em recrudescer a criminalização e a repressão aos movimentos sociais e às organizações populares e revolucionárias.
Esta crise, apesar de seus elementos estruturais, não é necessariamente, por si só, a crise final do capitalismo, que não cairá de podre. Mas, dialeticamente, poderá criar as condições - com o provável acirramento da luta de classes em âmbito mundial – para colocar em relevo o protagonismo do proletariado e, a depender de certos fatores, influenciar positivamente a correlação de forças, abrindo possibilidades para o avanço da luta pela superação do capitalismo, na perspectiva do socialismo.
O papel dos comunistas e o grau de sua unidade de ação e de inserção nos movimentos de massa serão decisivos, nessa difícil conjuntura que vamos enfrentar.
A crise enterra as ilusões dos que pretenderam humanizar o capitalismo. Não há mais espaço também, no capitalismo cada vez mais globalizado, para ilusões nacional-desenvolvimentistas, baseadas em alianças dos trabalhadores com as chamadas burguesias nacionais.
Cada vez mais se acentuará no mundo a contradição entre o capital e o trabalho. Não apenas nos países desenvolvidos ou emergentes, como é o caso do Brasil, que é parte subordinada do imperialismo. É só olhar para países pouco desenvolvidos, como a Bolívia e a Venezuela, para entender a ilusão de alianças com as burguesias nacionais. Vejam a violência da burguesia boliviana, diante de uma revolução que não é socialista, mas ainda democrática e cultural, e o ódio que nutre a burguesia venezuelana frente à revolução bolivariana.
No estágio atual do capitalismo, e sobretudo em decorrência de sua profunda crise, se evidenciará cada vez mais a centralidade do trabalho. Estão sendo jogados no lixo da história todos os mitos construídos pelo neoliberalismo, como o "estado mínimo", o "livre-mercado" e o "fim da classe operária".
Ao contrário do que dizem os profetas do fim da história e os reformistas, o proletariado aumenta no mundo, em quantidade e qualidade. Nos países desenvolvidos, apesar da atual fragilidade e fragmentação do movimento operário e sindical, há grandes possibilidades de a luta de classes se intensificar.
Isto não significa subestimar as lutas dos povos de países periféricos. A América Latina, por exemplo, continuará sendo um importante palco de luta contra o capital, onde processos importantes de mudanças sociais procuram articular-se em torno da ALBA, em contraposição às frações imperialistas que disputam a hegemonia de mercados e riquezas naturais da região, inclusive setores monopolistas da burguesia brasileira.
Na América Latina, há uma questão que deve merecer a atenção solidária dos comunistas do mundo todo: a derrota do estado paramilitar e terrorista da Colômbia é parte da luta para fortalecer a defesa de Cuba Socialista e aprofundar os processos mudancistas na Venezuela, no Equador, na Bolívia e, possivelmente, no Paraguai e em outros países.
Na Colômbia, nossos esforços devem estar concentrados na busca de uma paz democrática, com justiça social e econômica, como acaba de conceituar o XX Congresso do Partido Comunista Colombiano. Além de nossa solidariedade irrestrita a este heróico Partido - que enfrenta de peito aberto a violência do terrorismo de Estado - não podemos colaborar, por omissão, com a satanização e criminalização de organizações políticas insurgentes, como as FARC (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia). Até porque não temos o direito de escolher as formas de luta de cada povo.
O mesmo vale para organizações insurgentes de outros países. O imperialismo precisa derrotá-las, para que não sirvam de exemplo. Não podemos esquecer que não são convencionais, mas insurgentes, as forças que resistem ao imperialismo na Palestina, no Iraque e no Afeganistão. Dependendo dos desdobramentos da crise do capitalismo, nenhuma forma de luta poderá ser descartada.
Propomos que nos somemos aos esforços que vêm sendo feitos pela intelectualidade colombiana e o Secretariado das FARC, através de cartas públicas. Pensamos que a nova carta que está sendo preparada pelos intelectuais, em resposta à sinalização construtiva da organização insurgente, não deve ter como destinatários apenas o povo e os atores locais.
Para forçar o governo fascista de Uribe a reconhecer o conteúdo político, econômico e social do conflito colombiano, devemos lutar para que a UNASUR chame para si a iniciativa de viabilizar o início de um processo de negociação política, como fez para evitar o acirramento do conflito boliviano, que também tem características de violência política. Uribe não poderá desconhecer o papel da UNASUR na solução de conflitos, nem alegar ingerência, pois compareceu pessoalmente à reunião deste organismo, em Santiago, para tratar da Bolívia.
Finalmente, camaradas, o PCB considera que, mesmo expressando a vontade majoritária do povo estadunidense por mudanças, o advento do governo Obama não mudará a essência do imperialismo ianque, sobretudo na política externa. O imperialismo se valerá desta mudança de fachada para iludir os povos e tentar afastá-los da necessária luta para enfrentar os efeitos da crise do capitalismo e para construir o socialismo.
Camaradas:
Mais cedo do que imaginamos e do que desejavam nossos inimigos, nossos Partidos estão voltando a ter vigência e atualidade.
Este Encontro precisa dar passos seguros para estreitar os laços entre nossos Partidos e a unidade de ação dos revolucionários, no âmbito mundial. A nossa responsabilidade aumenta, a partir de agora.
Vivam os Partidos Comunistas e Operários!
Viva o internacionalismo proletário!
Proletários de todo o mundo, uni-vos!
São Paulo, 21 de novembro de 2008

Obama promete 2,5 milhões de empregos




O presidente eleito dos Estados Unidos disse hoje que pretende criar 2,5 milhões de empregos até 2011. "A maioria dos especialistas acreditam que poderemos perder milhões de empregos no ano que vem, se não agirmos rápido e audaciosamente", afirmou Obama, durante discurso no programa semanal de rádio do Partido Democrata. "Corremos o risco de cair em um espiral de deflação que poderia elevar nosso débito ainda mais." Obama teria escolhido a ex-primeira-dama Hillary Clinton para a Secretaria de Estado, o cargo mais visível no governo norte-americano, especialmente no exterior.

Experiência no combate à dengue


O bloqueio imposto pelos EUA a Cuba há mais de 50 anos foi uma barreira para o intercâmbio científico entre ambos os países, e isso não apenas prejudicou o desenvolvimento da Ilha neste setor, mas também dos próprios norte-americanos, a ponto de que a revista Science acaba de advogar por "uma nova era de cooperação"."A comunidade científica dos Estados Unidos pode beneficiar-se da ciência de alta qualidade que se desenvolveu em Cuba", salienta num editorial de 17 de outubro último.

A revista se referiu "à extensa experiência de pesquisa cubana sobre doenças tropicais, tais como a dengue. Atualmente, um dos centros mais representativos do mundo dedicados ao estudo da dengue está em Cuba — referindo ao Instituto de Medicina Tropical Pedro Kourí, de Havana — e embora muito ativo na cooperação científica com a América Latina e a África, quase não interage com cientistas estadunidenses.

A dengue é uma ameaça para os Estados Unidos continentais e partilhar recursos do conhecimento para contra-arrestar surtos da doença seria um investimento na segurança da saúde de ambos os povos".

Campanha pela doação de órgãos


Teve início em Cuba uma campanha pela doação de órgãos, tecidos e células para transplantes. Denominada Sim, pela Vida, a campanha vai mobilizar os Comitês de Defesa da Revolução, escolas, universidades, centros de saúde e organizações de trabalhadores, informa a revista cubana Bohemia. A campanha é fruto da realização em Havana do Primeiro Congresso da Sociedade Iberoamericana e do Caribe de Coordenadores de Transplantes, Doação de Órgãos, Tecidos e Células.

Kennedy, vítima de complô


"Documentos da CIA abertos desde 1992, a partir da JFK Records Act, demonstram, ao lado de outras investigações, que o presidente John F. Kennedy foi vítima dum sinistro complô. Mas os autores materiais e intelectuais sobreviventes, mesmo identificados por um Comitê Especial Seleto do Congresso, continuam impunes, provavelmente até que passem 50 anos do magnicídio, que dentro de cinco anos, deve prescrever, isto é, em 2013." (O Granma publicou dia 21/11/08) . Kennedy, escultura de John Lopez, em Rapid City, Dakota do Sul (EUA)

Brasil tem embaixador em Pyongyang


O governo brasileiro indicou o diplomata Arnaldo Carrilho para o posto de embaixador em Pyongyang, capital da Coréia do Norte. Caso o nome seja aprovado pelo Senado, esta será a estréia da representação diplomática brasileira no país. Segundo o Itamaraty, a instalação da embaixada é conseqüência da intensificação das relações políticas entre os dois países nos últimos anos.A inauguração da embaixada brasileira era uma demanda também do governo norte-coreano. A Coréia do Norte reconhece o Brasil como uma força consolidada no cenário internacional. Além disso, Pyongyang tem apoiado a campanha brasileira por um assento no Conselho de Segurança da ONU. (Aeroporto Internacional de Pyongyang)

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Fotos lembram o AI-5


Mais de duzentas fotografias – boa parte inédita – sobre o Ato Institucional número 5, expressão máxima da ditadura militar no Brasil, vão estar expostas no Centro Cultural da Caixa Econômica, no Rio de Janeiro, a partir desta segunda-feira, 25. Prestes a completar quarenta anos, o AI-5, assinado em 13 de dezembro de 1968, fechou o Congresso e deu ao regime poderes absolutos. O grande trunfo da exposição são as fotos inéditas, algumas censuradas, outras que foram preteridas na hora da edição e ficaram perdidas nos arquivos de jornais como O Globo, Jornal do Brasil e Correio da Manhã, de onde agora foram recuperadas. A exposição ficará aberta até 23 de dezembro.(Reprodução da revista Época)

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Colabore com a Memória da Repressão

O Ministério da Justiça desenvolve campanha de Doação e Arrecadação de Documentos, com vistas a reunir e sistematizar o acervo de documentos, tais como dossieês administrativos, fotos, relatos, testemunhos, livros, vídeos, áudios, imagens, entre outros, referentes à época da ditadura miliar. É para enriquecer o acervo da memória da repressão vigente no Brasil entre os períodos de 1964 a 1985. Todo mundo pode participar, enviando origional ou cópia reprográfica e digital, bastando entrar em contato com a Comissão de Anistia pelo telefone 61-3429-9402 ou através do endereço memorial.anistia@mj.gov.br

Direitos Autorais em debate no SJPMG


O jornalista e escritor Paulo Cannabrava Filho, presidente do Conselho da Associação Brasileira de Propriedade Intelectual de Jornalistas Profissionais, APIJOR, debaterá, quinta-feira, às 19h, no Sindicato dos Jornalista, avenida Álvares Cabral, 400, a questão do direito autoral. Paulo é autor de várias obras publicadas no Brasil e no exterior e, recentemente, firmou convênio com o SJPMG para que a APIJOR possa estender seu trabalho também em Minas Gerais.(Paulo Cannabrava, à esquerda, numa foto da APIJOR/Divulgação)

PCB quer apurar morte de Jango


O Partido Comunista Brasileiro, PCB, reinvindica do governo brasileiro investigaçõe sobre a morte do ex-presidente João Belchior de Marques Goulart, que teria sido envenenado quando de seu exílio no Uruguai, após ser deposto em 1o. de Abril de 1964. A nota do PCB é a seguinte: " A ação movida pela Justiça da Itália exigindo a prisão e a extradição de ex-policiais brasileiros, argentinos, bolivianos, uruguaios, chilenos e paraguaios acusados de tortura e morte de cidadãos italianos, nos anos 70 e no início dos anos 80, na vigência de ditaduras militares nestes países, e a divulgação de documentos do governo norte-americano que comprovam o envolvimento direto da embaixada daquele país no Brasil nas ações repressivas ocorridas no período da ditadura militar, traz à luz uma ferida aberta em nossa história recente: a operação Condor, que coordenava a ação dos órgãos de repressão política do Brasil e de seus vizinhos do Cone Sul, com apoio direto dos governos ditatoriais destes países, envolvendo seqüestros, torturas e assassinatos, foi também responsável pela morte do ex-presidente João Goulart.
Estas ações são um cadáver insepulto. Traz-nos à mente as lembranças do extermínio de parte do Comitê Central do PCB, em 1974, e do PC do B, em 1976 (na Lapa, em São Paulo), das torturas e dos assassinatos de inúmeros militantes e ativistas políticos de diversas organizações políticas e sociais e independentes, das causas do Socialismo, da Democracia e da Justiça Social. Somente com a apuração irrestrita dos fatos haverá paz para as famílias dos atingidos e para o conjunto da sociedade brasileira.
O PCB entende que o Estado Brasileiro deve assumir sua responsabilidade e investigar a morte de João Goulart e todas as denúncias feitas sobre os atos de repressão ocorridos naquele triste período da história de nosso país, cujos efeitos ainda se fazem presentes. Cabe ao governo federal tomar esta iniciativa, que certamente fortalecerá a justiça e as instituições democráticas brasileiras".

Encontro Internacional de PCs


Neste momento de crise mundial e de muita incerteza, dobra de importância a realização em São Paulo do X Encontro Internacional de Partidos Comunistas e Operários. Representantes dos PCs, do Brasil ( os dois principais, isto é, o PCdo B e o PCB), Bélgica, África do Sul, Argentina, Albânia, Alemanha, Austrália, Bangladesh, Vietnã, Bolívia, Belarus, Bulgária, Canadá, Chile, Estados Unidos, Iraque, Irã, Líbano, China, Laos, Grã-Bretanha, Irlanda, Nepal, Letônia, Jordânia, Palestina (dois partidos), Rússia (também dois), Grécia, Tadjquistão, Venezuela e outros, estarão debatendo a realidade mudial dias 21 e 22.Neste último dia haverá ato de solidariedade à América Latina.Temas: "Novo fenômenos no quadro internacional, contradições e problemas nacionais, sociais, ambientais, inter-imperialistas em agravamento; a luta pela paz, a democracia, a soberania, o progresso, o socialismo; a unidade de ação dos Partidos Comunistas e Operários dentre outros. No site Vermelho, Priscila Lobregatte informa mais. ( Ivan Pinheiro, secretário-geral do PCB em recente encontro em BH)

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Fisioterapia de graça

A Faculdade Pitágoras, oferece gratuitamente , através do curso de Fisioterapia, vagas para o atendimento nas especialidades de: Ortopedia, Neurologia,Pediatria, Cardiologia, Respiratória e Uro-Ginecologia.O horário é de 7h30 ás 13h - dependendo da especialidade. A consulta é realizada pelos alunos da Clínica-Escola do próprio curso.Muitos problemas de saúde podem ser evitados e tratados com os recursos da fisioterapia. Estamos quase uma semana sem realizar atendimento por que estão faltando pacientes. Os interessados deverão comparecer na rua Timbiras, 1375, próximo à Igreja da Boa Viagem, bairro Funcionários - ou ligar para 0300 210 3500 e pedir para transferir para a Clínica Escola, campus Timbiras.

Festa no Porão do Felipe


O Ricardo Camargos anuncia em sua coluna Nas ondas do Rádio, a realização sábado, a partir das 18h, de uma Festa de Reis no Porão do Felipe, no bairro Glória. A informação não dá detalhes mas pode ser que seja comemorativa da manutenção do preciosíssimo acervo cultural acumulado por Carlos Felipe Horta Maciel ao longo de uma vitoriosa carreira como jornalista, pesquisador e, principal autoridade em folclore no Brasil. O colunista Ricardo Camargo conta uma história que o Tadeu Martins Soares já me havia contado numa das noites na Cascata. A prefeitura de BH chegou a desapropriar a famosa casa do Carlos Felipe para instalar ali uma Unidade de Educação Infantil. O que destruiria um rico patrimônio sob a forma de fotografia, bibliografia, mostras do artesanato e de manifestações populares de todo o país. Houve mobilização nacional, via Web, por parte de escritores, jornalistas, professores e, principalmente, folcloristas. O resultado foi a PBH voltar atrás, numa vitória sem tamanho da cultura brasileira. Bom para Felipe, Clóvis, Maria Helena e todo mundo que gira em torno do membro da Comissão Mineira do Folclore, professor e pesquisador. Chico Lobo( foto), Tadeu Martins e inúmeros artistas e intelectuais estarão presentes.

Tadeu, atração de hoje no PA


Poeta, contador de causos e declamador, Tadeu Martins, diretor da Belotur e membro da Comissão Mineira de Folclore, e a principal atração de hoje do projeto Terças Poéticas. O local é bastante aprazível neste tempo de forte calor: os jardins internos do Palácio das Artes, às 18h30. Poeta. escritor de renome, Tadeu é participante de outro projeto interessante:Causos & Viola



quarta-feira, 12 de novembro de 2008

O CD de mortadela



Já prontinho o livro infanto-juvenil que o poeta, escritor e jornalista Carlos Lúcio Gontijo, ex-presidente da Associação Mineira de Imprensa, prepara-se para lançar, provavelmente em primeiro lugar, em sua terra, Santo Antônio do Monte. Trata-se de Duducha e o CD de mortadela. Desta vez vamos pegar a estrada, custe o que custar, para enfrentar a fila de autógrafos... (Carlos Lúcio, o ilustrador Nivaldo e o escritor e advogado João Silva de Souza, em ato na AMI)

Jornalistas cubanos em BH


Os jornalistas cubanos Ariel Ferrero Escalante e Maribel Acosta Damas. ambos da União dos Jornalistas de Cuba, estarão na sede do Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais dia 17, às 19 horas, participando de um debate. Virão falar da campanha internacional de ajuda a Cuba, atingida nos últimos dias por dois furacões, Gustav e Ike, além de uma tormenta com ventos superiores a 10o km por hora. No total os prejuízos causados ultrapassam à casa dos 8 bilhões de dólares. Os problemas são agravados com o incompreensível bloqueio econômico imposto pelos EUA, desde 1962. O ex-embaixador do Brasil em Cuba, Tilden Santiago (à direita na imagem), estará entre os debatedores.

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Obama visita o Salão Oval


O presidente eleito dos EUA, Barack Obama, e sua mulher, Michelle, foram recebidos ontem na Casa Branca, pelo presidente Bush e sua mulher, Laura. Enquanto Bush e Obama conversavam no Salão Oval ( uma maravilha, por sinal), Laura e Michelle percorreram diversas repartições da Casa Branca, inclusive a ala residencial. Obama e Bush conversaram muito sobre a crise interna, que se reflete em todo o mundo. Nos EUA o pessimismo continua. Obama poderá usar até mesmo a internet para comunicar-se com os norte-americanos, explicando que terá de tomar medidas impopulares no âmbito interno. (Foto: reproduçao da BBC)

Casa do Jornalista tem nova direção

Reunida dia 8, a diretoria do Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais escolheu, mediante votação, seguintes jornalistas para integrar a futura direção da Casa do Jornalista, por ordem alfabética: Adriana Luíza Fernandes Borges,Cleurice Fernandes da Silva Alves, Débora Carmelita Junqueira, Eduardo Nunes Campos,Flávio Castro Penna, Filotéia Ferreira Marçal, Heraldo Leite Carlos , Jackson de Souza Figueiredo , Jalmelice da Luz Ferreira, José Carlos Alexandre , Maria Cristina de Oliveira, Neide Pessoa , Ricardo Rodrigues e Walfrido Antônio Teixeira Pires. Os cargos na nova diretoria serão definidos posteriormente.

sábado, 8 de novembro de 2008

O Granma e a eleição de Obama


Ramón Sánchez Parodi- Montoto (*)


Barack Obama, em seu discurso de aceitação, adotou um modelo tradicional. Elogiou o sistema político norte-americano e proclamou que "a mudança chegou à América (Estados Unidos)". Continuou parabenizando McCain e Sarah Palin; o vice-presidente eleito, Joseph Biden; sua família, com recordação especial para sua recém-falecida avó materna; reconheceu sua equipe de campanha e, sobretudo, os dois principais integrantes: David Plouffe e David Axelrod. Agradeceu o voto do cidadão comum e instou a assumir "um novo espírito de sacrifício... de trabalho duro e a preocupar-nos não só por nós, mas por todos os outros". Concluiu anunciando "um novo amanhecer para a liderança norte-americana" e proclamou a vigência do que considerou os "ideais" dos Estados Unidos: democracia, liberdade, oportunidade e esperança, embora sem definir nenhum deles.
McCain reconheceu seu derrota perante uma congregação de seguidores em Phoenix, Arizona. Mostrou seu racismo oculto, enfatizando, a respeito da vitória, "o significado que tem para os afro-americanos e o orgulho especial que eles sentem nesta noite".
O presidente Bush foi condescendente ao chamar Obama para felicitá-lo em nome de sua esposa Laura e no seu próprio; disse-lhe que tinha sido "uma noite assombrosa para o senhor, sua família e aqueles que o apóiam", e exortou-o a "desfrutá-la".
A vitória pode ser analisada de vários pontos de vista, especialmente a dos resultados da eleição presidencial e do Congresso.
A estratégia eleitoral aplicada por Obama na eleição presidencial, teve resultados ótimos. Ganhou a eleição em todos e cada um dos estados em que venceu o democrata John Kerry em 2004 e arrebatou a vitória aos republicanos em nove estados que Bush ganhou nessa mesma eleição: Virgínia (desde 1964, sempre elegeu o candidato republicano); Carolina do Norte (desde 1980, sempre elegeu o republicano); Indiana (sempre o republicano desde 1968); Colorado (igual, desde 1996), Iowa, Nevada, Ohio e a Flórida (elegeram Bush em 2000 e em 2004); e Novo México (ganho por Bush por estreita margem em 2004). Os nove deram 112 votos eleitorais a Obama. Ainda, na quinta-feira, a votação em Missouri não estava decidida, mas inclinava-se para McCain. Em Nebraska está ainda por decidir o voto eleitoral dum distrito. Com estes dados, Obama foi eleito por 364 votos eleitorais sobre os 173 obtidos por McCain (adjudicando-lhe os onze de Missouri), uma ampla margem, mas coloca Obama no oitavo lugar das votações mais altas obtidas pelos presidentes eleitos nas 12 eleições realizadas desde 1964.
No chamado voto popular em nível nacional, com 120.884.874 votos escrutados, Obama obteve 52,5% (64.248.825 votos) e McCain 46,2% (56.635.874), dentro dos prognósticos feitos numa eleição deste tipo.
De acordo com as pesquisas realizadas aos eleitores à saída das urnas, Obama ganhou pelo voto das mulheres (13% a mais que McCain, embora 7% menos entre as mulheres brancas), dos hispano-americanos, dos negros e dos jovens, obtendo, nessa ordem, 66%, 95% e 66% dos votos. Chama também a atenção que os 75% dos judeus votaram em Obama e que o voto dos católicos brancos foi igual nos dois candidatos, enquanto a direita religiosa evangélica favoreceu novamente o candidato republicano, embora Obama obtivesse 4% a mais de votos deste setor que os ganhos por Kerry em 2004.
Ainda que Obama perdesse para McCain no voto da população branca, seu desempenho nesse setor foi semelhante ao de Al Gore em 2000 e ao de Kerry em 2004, o que indica que o fator étnico não prejudicou Obama e até pode tê-lo favorecido, devido à ampla maioria de afro-americanos e hispano-americanos que o apoiaram.
Enquanto os eleitores foram identificados nas pesquisas como conservadores, moderados e liberais em percentagens similares às das eleições de 2004, houve mudanças na afiliação política, pois incrementou-se a de democratas para 40%, sendo a de republicanos de 32%. Em 2004, houve a mesma percentagem de democratas e republicanos.
Em resumo, Obama ganhou, graças ao apoio esmagador da tradicional base democrata e de grande parte do eleitorado que se qualifica como "independente".
Os comentaristas destacam o consenso sobre o ambiente das eleições, que num artigo do The New York Times é qualificado de "catarse nacional", resultado da profunda impopularidade do presidente Bush, do repúdio a suas políticas econômicas e externas, do descontentamento com as guerras no Iraque e no Afeganistão, da eclosão da crise financeira e da aceitação do apelo de Obama a uma mudança da direção em que o país está encaminhado.
As eleições do Congresso federal foram da maneira esperada. Os democratas conseguiram ampliar o número de senadores e representantes, consolidando o controle de ambas as câmaras atingido em 2006. Contudo, fracassaram na difícil tarefa de alcançar os 60 senadores, e na Câmara dos Representantes também não chegarão ao objetivo máximo (mais 30 vagas). Por enquanto, elegeram 19 novos legisladores, quando ainda estão contabilizando-se os votos em dez disputas.
O Partido Democrata terá a maioria de, pelo menos, 56 senadores, ao derrotar os republicanos John Sununu, de New Hampshire, e Elizabeth Dole, de Carolina do Norte e ganhar as disputas abertas da Virgínia, Colorado e Novo México. Ainda há quatro eleições de senadores por resolver no Alasca, Oregon, Minnesota e Geórgia; os democratas parecem ter alguma possibilidade de vitória em Oregon e Minessota. Para frear as tácticas parlamentares de "fraude", com as quais os opositores republicanos e conservadores pretendem bloquear a agenda legislativa de Obama, será necessário o apoio de alguns senadores republicanos, fato que obrigaria o novo presidente a fazer concessões em seu programa de governo.
Na Câmara dos Representantes, a situação aponta igualmente para a necessidade de trabalhar por consenso, já que muitos dos novos eleitos pelo Partido Democrata são de tendência conservadora e alguns dos republicanos derrotados eram de inclinação moderada. Portanto, os conservadores verão suas fileiras reforçadas, acima de diferenças partidárias.
Obama terá que governar um país mergulhado numa crise econômica somente comparável à Grande Depressão que começou em 1929, mas agora com uma econmia globalizada; com dois impopulares guerras em curso; com uma gigantesca burocracia federal, estadual e municipal; com o país endividado tanto no contexto governamental quanto no familiar; com recursos financeiros insuficientes para cumprir suas promessas eleitorais de melhoras à saúde, à educação e à previdência social.
Estas questões precisam de sua atenção desde o mesmo momento em que foi eleito e não podem ser adiadas durante as sete semanas do chamado período de "transição", quando se efetua a entrega de poder da administração Bush à administração Obama. Entre os assuntos governamentais que Obama não pode deixar de lado, está a elaboração, proposta e aprovação pelo atual Congresso federal de um novo plano de estímulo à economia, que segundo estimativas será de US$100 bilhões, o qual precisará da atenção imediata e prioritária de Obama. Também deverá atender a conclusão das negociações dum acordo com o Iraque que defina o papel, a duração da presença e as condições em que atuarão as tropas de ocupação norte-americanas. E, com certeza, não poderá estar à margem das negociações sobre a situação econômica mundial do Grupo dos 20, convocado por Bush em Washington para o próximo 15 de novembro.
Nestas circunstâncias, a equipe de campanha eleitoral será substituída pela "equipe de transição". Segundo informações disponíveis, já Obama nomeou uma "troika" para dirigir esse processo. É composta por John Podesta, ex-chefe da equipe da Casa Branca de Bill Clinton, que projetou em 2000 o procedimento de transição atualmente vigente; Valerie Jarrett, assessora muito próxima de Obama; e Pete Rouse, o atual chefe do Gabinete do Senado de Obama em Washington.
Como complemento do processo de "transição", soube-se que Obama nomeou chefe de Equipe da Casa Branca o congressista por Illinois e amigo próximo, Emanuel Rahn.
O maior desafio que Obama enfrenta agora e deverá enfrentar nos meses próximos é estabelecer suas prioridades; consolidar a colaboração com os líderes democratas do Congresso; conseguir o apoio, a suas principais medidas, dos republicanos e conservadores do Congresso; atender e satisfazer ao máximo as promessas eleitorais que mobilizaram diferentes setores e grupos da população em seu apoio. E, sobretudo, mostrar que para governar conta com a mesma inteligência, capacidade, habilidade e destreza que lhe deu a vitória nas eleições de 4 de novembro. Caso contrário, sua passagem pela presidência poderia ser efêmera e descumprir a expectativa de mudança que prometeu e com cuja bandeira chegou à Casa Branca.
Obama sabe disso. Na Casa Branca não há leito de rosas.
* O autor é especialista em Relações Internacionais e foi chefe da Repartição Consular de Cuba nos Estados Unidos de setembro de 1977 a abril de 1989. (publicado no jornal cubano Granma, em 8/11/08)

Feira de Diamantes e Jóias


Uma surpresa aos participantes da Feira de Diamantes e Jóias-Oriente Médio-China, que se realiza desde sábado em Dubai. Foi apresentado durante a mostra, no Hotel Atlantis, em Dubai, um diamante branco de 478 quilates. Para encher os olhos principalmente do público feminino. A preciosidade foi encontrada no Lesoto em setembro mas só no sábado, quando da abertura da feira, foi exibida ao público. (Reprodução)

Barack Obama, difíceis caminhos


Barack Hussein Obama, que terá imensos obstáculos pela frente, é um homem de esquerda, ou seja, um liberal conforme entendem os norte-americanos. Forçosamente, dada a situação em que o país se encontra, terá que ampliar um pouco o poder do Estado, algo que não é da tradição norte-americana. Ele prometeu coisas como apoiar uma lei federal que facilitará a sindicalização dos trabalhadores e quer ampliar também através da legislação, a cobertura de saúde para 50 milhões de americanos que ainda não dispõe disto. Contudo, não se sabe como ele se comportará diante da Rússia, da China, do Irã, da esquerda latino-americana. Mas pelo menos em seu discurso de posse ele mandou recados eloqüentes para o mundo:

Avisou que: “o caminho será longo. Nossa subida íngreme. Nós talvez não cheguemos lá em um ano ou mesmo em um mandato”. Mas reafirmou aquele espírito norte-americano que passa bem longe da mentalidade brasileira:
“Àqueles que querem destruir o nosso mundo: nós os derrotaremos. Áqueles que buscam paz e segurança: nós os apoiaremos. E a todos que vêm se perguntando se o farol da América ainda brilha como antes: nesta noite nós provamos mais uma vez que a verdadeira força da nossa nação não vem da bravura das nossas armas ou do tamanho da nossa riqueza, mas do poder duradouro de nossos ideais: democracia, liberdade, oportunidade e inabalável esperança”. Ao final do discurso, Obama repetiu seu refrão e a multidão bradou com ele: “Sim, nós podemos”.
Os obstáculos do novo presidente são tão grandes quanto as expectativas que se criaram em torno dele e só o tempo dirá o que pode acontecer nos Estados Unidos e no mundo. Afinal, políticos costumam ser metamorfoses ambulantes.
Maria Lucia Victor Barbosa é socióloga.
mlucia@sercomtel.com.br (Colaboração de Gilbeerto Araújo)

Medalha Santos Dumont


Dentre os homenageados pelo governo do Estado este ano com a Medalha Santos Dumont está o jornalista Manoel Hygino dos Santos, apreciado colunista do jornal Hoje em Dia e um dos decanos das assossorias de imprensa em Minas Gerais. Manoel Hygino dos Santos pode ser lido diariamente no HD. Pena que por vezes a editoria do jornal corta a parte final de sua coluna, coisa que o Carlos Lindenberg precisa verificar...

João Goulart, anistia e suspeita


O ex-presidente da República, João Belchior Marques Goulart está em vias de ser anistiado pelo governo brasileiro, à exemplo do que ocorreu com o ex-governador do Rio Grande do Sul e do Estado da Guanabara, Leonel de Moura Brizola. No caso de Jango, mesmo no âmbito da Secretaria Especial de Direitos Humanos da Presidência da República, há quem acredite na hipótese dele ter sido morto por envenenamento, talvez dentro da chamada Operação Condor, que reuniu ditaduras então em vigor na América Latina. João Goulart nasceu no Rio Grande do Sul em 1/03/1919 e morreu no Uruguai em 6/12/1976. Foi presidente do Brasil de setembro de 1961 a 1/4/1964, deposto pelo golpe militar.

Tutela Coletiva nos Direitos Humanos

O seminário Tutela Coletiva os Direitos Humanos será realizado dias 10,11 e 12 na seção mineira da Ordem dos Advogados do Brasil, Rua Albita, 260, no bairro Cruzeiro. As vagas são limitadas. Quem quiser se inscrever poderá ligar para 326427 ou através doe-mail edheventos@social.mg.gov.br . Dentre os expositoes estão os advogados especializados Marcelo Dayrell Vivas, Marcos Fuchs, Carlos Vitor Muzzi, Salomão Ximenes, Helena Rocha, Clarice Seixas Duarte, doutura em Filosofia; Márcio Túlio Viana,doutor em Direito e professor; Frei Gilvander , mstre em exegese bíblica; Guilherme José Ferreira Silva, doutor em Ciências Criminais ;Paula Rodriguez Ballesteror, grafuada em Direito e Sociologia, Joana Zylbersztyn, especializada em Comunicação Social pela PUC/SP etc.

Feira Internacional de Havana


Expositores de Cuba, Brasil, China e Coréia receberam vários prêmios e menções nas categorias de qualidade, desenho e publicidade, conferidos por prestigiosos especialistas nacionais e internacionais durante a cerimônia de premiação da 26ª Feira Internacional de Havana. A Espanha foi o país visitante mais representado no encontro. (Imagem do Granma, edição eletrônica internacional)

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Seminário sobre Justiça de transição

De 17 a 19 será realizado na Universidade Estadual do Rio de Janeiro o Seminário Latino-Americano de Justiça de Transição-Conferência daa Comissões de Reparação e Verdade da América Latina. Dentre os temas que estarão sendo abordados estão: "Iniciativas Latino-Americanas para o Nunca Mais e busca da Verdade", com intervenção de Paulo Vanuchi, ministro da Secretaria Especial de Direitos Humanos da Presidência da Republica; Paulo Abrão Pires Júnior, presidente da Comissao de Anistia do Ministério da Justiça; Ricardo Vieralves de Castro, da Universidade Estadual do Rio de Janeiro. A coordenação será do ex-deputado Nilmário Miranda.
Também serão debatidos : Gestão Políitica, Administrativa e Histórica dos Arquivos da Ditadura Militar: a luta pelo direito à memória e à informação; Estado democrático de Direito, Organizações Inernacionais e Sistema de Proteção de Direitos Humanos, O Sistema Interamericano e a luta contra a impunidade; Silêncio, Tempo e Memória: experiências de participação política e resistência na America Latina.

A eleição de Barack Obama

DEIXEM A QUESTÃO
IMPORTANTE PREVALECER”

*Carlos Lúcio Gontijo

Um batalhão de jornalistas brancos do Brasil, a segunda maior nação de população negra depois da Nigéria, foi convocado para cobrir a vitória do democrata Barack Obama, eleito o primeiro presidente negro dos Estados Unidos, como ressaltam todas as manchetes. Os brasileiros assistimos embevecidos e sem compreender muito bem as imagens televisivas acompanhadas de comentários que se prendiam o tempo todo à importância política do resultado, sem emitir considerações sobre o exemplo cabal de oportunidades iguais para todos os cidadãos, independentemente de ideologia, religião, cor de pele e tantas outras variantes da formação humana, que estava embutido e claramente descortinado no palco das eleições norte-americanas.
A olhos vistos e silenciosamente, o povo brasileiro tomou, mais uma vez, consciência do racismo subjetivo que corrói a alma do País, subtraindo aos negros a possibilidade de ascensão socioeconômica mais densa, natural e espontânea, em vez de falsa inserção à moda de peças comerciais, nas quais eles aparecem, feito cereja no bolo, em cumprimento à filosofia do “politicamente correto”. Enfim, a realidade é que vivemos em uma nação de negros e mestiços sob o império de economia de brancos.
A extrema valorização dada à questão étnica foi tratada por nossos veículos de comunicação como se não tivesse nada a ver conosco, enquanto todos os leitores, ouvintes e telespectadores perguntavam a si mesmos pelos negros brasileiros, indagando onde é que eles estavam (e estão) – além, é claro, da condenação à pobreza endêmica e às masmorras prisionais.
Imperceptivelmente talvez, devido ao grande espaço dado às eleições norte-americanas pelos órgãos de comunicação, a população brasileira tenha constatado que o fato de sermos detentores de urna eletrônica inexpugnável é apenas um simples detalhe, quando não dispomos de partidos políticos fortes e fechados à inscrição de integrantes desqualificados e mal-intencionados; quando a imprensa se nos apresenta dependente das benesses públicas; quando voto obrigatório cria o eleitor cativo e desinformado, para alegria dos maus políticos, que assim ganham condição de concorrer com candidatos compromissados com o bem coletivo.
Acreditamos que precisa ser adotada no Brasil, como campanha institucional sem data para terminar, a circulação de idéia direcionada à sensibilização de todos os cidadãos no tocante ao exercício da verdadeira igualdade social e à prática do amor ao próximo apregoado por Jesus Cristo. Falamos, no caso, de um pôster, com os traços étnicos de Obama e McCain propositalmente trocados e acompanhados da legenda “Let the issue be the issue” (deixe a questão importante prevalecer), que foi estendido pelos EUA afora, conclamando os eleitores a desprezarem e não levarem em consideração a questão étnica. Aqui, entre nós, a aplicação de tal medida não seria para eleger um presidente negro, mas tão-somente para espargir a mensagem de que é necessário criar condições reais para abrir a porta da casa grande – que foi privatizada – à imensa turma do pelourinho socializado, que resiste ao tempo e se acha instalado por todos os cantos e recantos da nação brasileira.
Carlos Lúcio Gontijo
Poeta, escritor e jornalista

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Jornalistas se filiam à APIJOR


O Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais está filiado à APIJOR - Associação Brasileira da Propriedade Intelectuais de Jornalistas Profissionais- desde o último dia 4. A formalização da filiação foi feita com as assinaturas dos jornalistas Aloísio Morais Martins e Paulo Cannabrava Filho, representando o Sindicato e a Associação, respectivamente. Em Minas Gerais a categoria já pode contar com assistência jurídica, a cargo do advogado Hildebrando Pontes, especializado em Direito Autoral. A jornalista Vera Godoy ( na foto, entre Hildebrando Pontes e o compositor Fernando Brant) é a diretora da APIJOR , para Minas Gerais.

Uma vitória maiúscula nos EUA


A vitória do candidato democrata nas eleições do dia 4 nos EUA é o acontecimento deste século, iniciado praticamente com a queda das Torres Gêmeas. Barack Husein Obama Jr. tem a responsabilidade de resolver os imensos problemas internos, que datam da constituição dos EUA , desde o desembarque do May Flower, na Nova Inglaterra. E os decorrentes das desigualdades sociais ainda existentes. E da pior crise do capitalismo, desde a quebra da Bolsa de Nova York em 1929. Sem se falar no desencanto com o american way of life, depois que o governo Bush decidiu fazer a guerra contra o Iraque e o Afeganistão.

Novos valores de aposentadorias







A Comissão de Assuntos Sociais do Senado aprovou na quarta-feira, dia 5, a recomposição dos salários dos aposentados. A proposição, de número 58/03, é de autoria do senador do PT do Rio Grande do Sul, Paulo Paim. Os aposentados de todo o país estiveram representados por uma delegação de cerca de 600 integrantes . Em Minas, o ex-líder bancário Hermélio Soares Campos (foto) é um dos batalhadores em defesa dos aposentados, militando em entidades que reúnem diversos representantes da categoria. Pela decisão de ontem, todos os aposentados terão o número de salários mínimos que tinham na data da concessão. Quem se aposentou,por exemplo, ganhando R$500, terá, agora, R$ 830, valores corrigidos. A luta dos aposentados vai continuar até o efetivo recebimento do direito que conquistaram.

terça-feira, 4 de novembro de 2008

Declaração dos Direitos Humanos



A Declaração Universal dos Direitos Humanos completa 60 anos neste 2008. Aqui uma versão resumida:

"Artigo Primeiro
Quando os seres humanos nascem, são livres e iguais, e assim devem ser tratados.
Artigo 2
Todo mundo tem direito a possuir ou desfrutar o que aqui se proclama;
- mesmo que não falem a mesma língua,
- mesmo que não tenham a mesma cor de pele,
- mesmo que não pensem com nós,
- mesmo que não tenham a mesma religião ou as mesmas idéias,
- mesmo que sejam mais ricos ou mais pobres,
- mesmo que não sejam do mesmo país.
Artigo 3
Cada um tem o direito de viver livre e em segurança.
Artigo 4
Ninguém tem o direito de tomar outro ser humano como escravo.
Artigo 5
Ninguém será torturado ou maltratado com crueldade.
Artigo 6
Cada um tem direito, desde seu nascimento, a ter um nome, uma nacionalidade e a ser alojado.
Artigo 7
A lei é a mesma para todo mundo, deve ser aplicada da mesma maneira para todos, sem distinção.
Artigo 8
Toda pessoa deve ser protegida pela lei e pela justiça de seu país.
Artigo 9
Não se tem o direito de colocar uma pessoa na prisão ou mandá-la para fora des seu país injustamente e sem razão.
Artigo 10
Se alguém tem que ser julgado, deverá ser julgado em público. Os juízes não podem deixar-se influenciar por ninguém.
Artigo 11
Se alguém é acusado, sempre tem o direito de se defender. Não se pode dizer que alguém é culpado, antes que isso seja provado. Não se tem direito a condená-lo ou apená-lo por algo que não tenha feito.
Artigo 12
Não existe direito a entrar na casa de alguém se este não estiver de acordo. Também não se poderá ler suas cartas, espioná-lo ou falar mal dele.
Artigo 13
Cada pessoa tem direito a circular livremente em seu país. Tem direito a sair para outro país e a voltar quando quuiser.
Artigo 14
Qualquer um que seja perseguido em seu país e não possa nele viver livre e feliz, temdireito a ser acolhido e protegido em outro.
Artigo 15
Cada um tem direito a pertencer a um país e não pode ser impedido de mudá-lo se assim o desejar.
Artigo 16
Desde o momento em que tenha a idade para ter filhos, cada um tem direito a casar-se e a formar uma família. Para isso, nem a cor da pele, nem a nacionalidade tem importância. O homem e a mulher tem os mesmos direitos, estejam casados ou separados. Não se pode forçar ninguém a casar-se. Tudo deve ser feito de maneira que cada família viva normalmente.
Artigo 17
Cada um tem direito a possuir coisas e ninguém tem o direito de tirá-las.
Artigo 18
Cada um tem o direito de escolher livremente uma religião ou de mudá-la, de praticá-la e divulgá-la como desejar, sozinho ou com outras pessoas. Também tem direito a não ter religião alguma.
Artigo 19
Cada um tem direito a pensar o que quiser, a dizê-lo e escrevê-lo, e ninguém poderá impedi-lo. Cada um deve poder intercambiar, por todos os meios, idéias e notícias com pessoas de outros países.
Artigo 20
Todo mundo tem direito a organizar reuniões e participar de reuniões se desejar. A ninguém se pode obrigar a participar de um grupo.
Artigo 21
Cada um tem direito de participar ativamente na direção dos assuntos públicos de seu país:
- elegendo as pessoas políticas que tenham suas mesmas idéias;
- votando livremente para indicar sua escolha;
- cada um deve ter oportunidade de participar do governo. Ninguém pode ser afastado de um
trabalho a serviço do Estado por causa de suas idéias ou pela cor de sua pele.
Artigo 22
Toda pessoa tem o direito de ser protegida pela sociedade em todos os seus direitos (econômicos, sociais, culturais).
Artigo 23
Cada um tem direito ao trabalho e a escolher livremente sua profissão; a receber o salário que lhe permita viver, a ele e sua família. Se um homem e uma mulher fazem o mesmo trabalho, devem receber salário igual. Todas as pessoas que trabalham têm direito a agrupar-se para explicar e reclamar pelo que não anda bem em seu trabalho e obter aquilo que necessitem.
Artigo 24
A duração da jornada de trabalho não deve ser mmuito longa porque cada um tem direito a descansar e deve poder tirar férias anuais, que serão pagas.
Artigo 25
Toda pessoa tem direito a possuir, para ela e para sua família, o que seja necessário:
- para não ficar doente e para se curar se estiver doente;
- para não ter fome;
- para não ter frio;
- para ter alojamento digno.

Toda pessoa tem direito a ser ajudada se não pode trabalhar;
- porque está desempregada;
- porque está doente;
- porque está muito velha;
- porque sua mulher ou seu marido morreram;
- porque sofre graves inconvenientes não desejados ou procurados.

A mãe que vai ter um bebê, e seu filho, quando nascer, deverão ser ajudados. Todas as crianças tem os mesmos direitos, mesmo que a mãe não esteja casada.
Artigo 26
Todas as crianças do mundo devem poder ir gratuuitamente à escola; continuar seus estudos enquanto o desejem e aprender um ofício. Na escola, deverão aprender o que as fará pessoas felizes. A escola também deve ajudar cada um entender-se com seus semelhantes, a conhecer a respeitar sua maneira de viver, sua religião ou o país do qual procedem. Os pais têm direito a escolher o tipo de educação que querem dar a seus filhos.
Artigo 27
A arte, a ciência, a cultura, não são reservados a uns poucos. Todo mundo deve poder desfrutar delas. As descobertas científicas devem servir a todos. Um sábio, um artista, um escritor deverão ser fellicitados e pagos por sua contribuição e ninguém tem direito a tomar para si a invenção do outro.
Artigo 28
Toda pessoa tem o direito de exigir que a organização de cada país e do mundo permita o respeito destes direitos e destas liberdades.
Artigo 29
É por isto também que cada pessoa tem deveres para com os demais, entre os quais vive, e que lhe permitem, também, uma convivência em paz.
Artigo 30
Nenhum país, nenhuma sociedade, nenhum ser humano em todo mundo pode permitir-se destruir os direitos e as liberdades que aqui se declaram." (Resmo feito pelo Serpaj-Fundação de Paz e Justiça)

"Acasos etc." , lançamento na AMI










O advogado João Silva de Souza lançou seu romance "Acasos etc." durante coquetel na sede da Associação Mineira de Imprensa, presentes familiares, convidados, jornalistas e amigos. Dentre os presentes os jornalistas Carlos Lúcio Gontijo ( também poeta e escritor de renome), Alexandre Matos, Nivaldo e Maria José. Também entre os convidados, Mário, amigo de Carlos Lúcio. Por sinal, o autor de "Cabine 33", compareceu com a esposa e uma neta, anunciando para breve o lançamento de mais um livro, desta vez, voltado para o público infantil. Outra meta é sua mudança para Santo Antônio do Monte, onde nasceu e é venerado como filho querido e escritor famoso. Na primeira foto, Alexandre Mattos e Maria José; na segunda, Mário, Carlos Lúcio e João Silva de Souza, e, na terceira, Carlos Lúcio, o chargista e ilustrador Nivaldo e o autor de "Acasos etc. " Nelson Flores foi o ilustrador da obra lançada, juntamente com o próprio autor.