segunda-feira, 31 de outubro de 2011

A " busca de um pai por sua filha desaparecida nos porões da ditadura civil-militar que aterrorizou o Brasil entre as décadas de 1960 e 1980"


Bernardo Kuscinki lança romance, K., em Belo Horizonte

Data de realização do evento: quinta-feira, 3 Novembro, 2011

No próximo dia 3, às 18h30, o jornalista, escritor e cientista político Bernardo Kucinski lança “K.", sua mais recente obra, na sede do Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais.

O evento é organizado pela Editora Expressão Popular e o Sindicato dos Jornalistas de Minas Gerais (av. Álvares Cabral, 400, Centro, BH).

É um evento gratuito e aberto a todos os interessados.

Sobre o autor:

O jornalista Bernardo Kucinski, que trabalhou como assessor da presidência e, ao longo de sua carreira, colaborou com importantes publicações – para citar algumas, The Guardian, Carta Maior e Airline Business –, dá lugar agora ao autor B. Kucinski que acaba de lançar seu romance pela editora Expressão Popular.

Cursou graduação em Física na USP entre 1967 e 1968. Militante estudantil durante o regime militar, foi preso e exilado. Retornou e entrou para os quadros da USP na Escola de Comunicações e Artes em 1986. Em 1991, obteve grau de doutor em Ciências da Comunicação pela USP, com tese sobre a imprensa alternativa no Brasil entre 1964 e 1980. Ganhou o Prêmio Jabuti de Literatura em 1997.

Sobre o Livro:

Em K., ele reconta a busca de um pai por sua filha desaparecida nos porões da ditadura civil-militar que aterrorizou o Brasil entre as décadas de 1960 e 1980.

Caracterizando essa prática como “sorvedouro de pessoas” – uma crueldade que, segundo o relato, supera as praticadas na Alemanha nazista, que ao menos indicava aos familiares o paradeiro de seus prisioneiros e mortos –, o narrador reconstrói os fatos com a ajuda de outros discursos, como cartas, monólogos e diálogos imaginados que põem em cena personagens que completam o traçado das várias redes envolvidas ou implicadas nesse desaparecimento.

A história, baseada em fatos reais da vida familiar de Kucinski, evidencia o drama dos que ficaram à espera e em busca de pistas, mas que geralmente são relegados a segundo plano na história diante de outros apelos mais fortes encontrados nos métodos atrozes de tortura e assassinato empregados pelos órgãos oficiais.

Nas palavras do escritor Jacó Guinsburg que figuram na contracapa do livro: “... poucos relatos de meu conhecimento me impressionaram tanto pela força trágica do que as letras tecem como quadros escritos e pela revolta que despertam no leitor ante a crueldade das ações que as promoveram... K. consegue transformar a história real vivida pelo pai, ao tentar a todo custo descobrir o paradeiro da filha vitimada pela barbaridade da ditadura no Brasil, numa metáfora e num libelo contra a desumanidade e a vilania do regime de opressão, da máquina de repressão que alimentava os seus grilhões e dos interesses que lhe davam apoio descarado ou nele se acomodavam. Das linhas que o compõe emana com fria lucidez um grito de dor – os fantasmas vivos da lembrança que agonizam na sua invocação”.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Bernardo_Kucinski

Mais informações sobre o autor e obra:

“De todos os livros que já li sobre esse horror, K. é o que mais me emocionou. Minha emoção é primeiro de compaixão (solidariedade com a dor), depois de enorme raiva e indignação pela indiferença de tantos; pelo ‘perdão’ aos torturadores e demais responsáveis, garantido pelo STF; pela crueldade dos que até hoje martirizam sua família com “informações”; pelo papel nojento da USP; pelos políticos que têm ojeriza ao tema porque não dá voto; pelos ‘ex-combatentes’ que falam não querer revanchismo... a lista é longa”. - Maria Victoria Benevides.

http://www.redebrasilatual.com.br/revistas/64/literatura

“Baseado em dores reais. Depois de mais de 40 anos de jornalismo, Bernardo Kucinski compila, em contos ficcionais, danos e perdas de um passado que ainda tortura suas vítimas.” – Paulo Donizetti de Souza.

http://www.redebrasilatual.com.br/revistas/64/literatura

“O livro do Bernardo. Há escritores que descobrem a juventude literária (no sentido da experiência inovadora) na plena maturidade: é o caso de Bernardo Kucinski, que ultimamente vem publicando na imprensa uma série de contos e até um romance em folhetim, e agora estréia no romance, com este “K”, o relato da busca desesperada de um pai pela filha desaparecida.” – Flávio Aguiar. http://cartamaior.com.br/templates/colunaMostrar.cfm?coluna_id=5274

“[...] Polêmico e com fama de briguento, Bernardo Kucinski é um dos mais experientes e respeitados jornalistas da cena brasileira atual”. - Carlos Costa e Dulcília Buitoni

http://pt.wikipedia.org/wiki/Bernardo_Kucinski

Quero uma filial do Banco do Vaticano na PUC da Praça da Liberdade

É um apelo que faço a dom Walmor Oliveira de Azevedo que só conheço de artigos no Estado de Minas e fotos e imagens televisivas. Conhecia , sim, dom João de Rezende Costa e , sobretudo, dom Serafim por quem torci para que se tornasse o primeiro papa atleticano do mundo...

Crime e castigo



Emanuel Basílio/Google/Divulgação

Gilberto Araújo (*)

Os desvios de conduta dos políticos país afora atingiram um patamar – sob todos os aspectos – injustificável e eticamente intolerável. As instituições como Câmaras Municipais, Assembléias Legislativas, Congresso Nacional e os então denominados Partidos Políticos se encontram (diante da opinião pública) desmoralizados, carcomidos e dominados por oportunistas e aventureiros sem compromissos com a sociedade, com o interesse público.

Na primeira quinzena do mês em curso foram realizadas nas capitais do o país, “Marchas Contra a Corrupção”. Sintomático destacar que nessas manifestações foram impedidos de participar, os Partidos Políticos, as legendas de aluguel e os Sindicatos... Fato que, de per si, merece reflexões dos cientistas sociais, dos analistas do comportamento humano...

Neste contexto, diante das graves e crescentes bandalheiras nas instituições de governo e dos agregados que LHES prestam apoio político... firmei a convicção de que deveria ser criada a figura jurídica da “presunção de culpa”, para os contumazes malfeitores (bandidos, traficantes e canalhas de todo tipo) travestidos de honrados homens públicos. Tal medida seria suficiente para libertar o país da corrupção endêmica em que se encontra.

A meu ver, a “presunção de culpa” seria como uma intervenção de natureza pedagógica e profiláxica. E mais: que os desvios (as roubalheiras) de recursos públicos sejam enquadrados na categoria de CRIME hediondo, inafiançável. Crime e castigo, cadeia neles!! Pelo fim da impunidade...

(*) Gilberto Araújo, · ex-Professor de História, Jornalista pós-graduado em “Comunicação e Política”.

REG. 11791 SJPMG - FENAJ
 
Gilberto Araújo é constante artculista de O Tempo

Projeto sobre a Comunidade Dandara, de alunos de Arquitetura na Bienal Internacional de São Paulo.



Cf., abaixo, mais uma notícia que comprova como a Comunidade está sendo reconhecida e apoiada nacional e internacionalmente. Não pode acontecer o despejo de Dandara. As quase mil famílias de Dandara jamais aceitarão ser despejadas, pois necessitam, têm consciência dos seus direitos, estão bem organizados, firmes na luta e têm uma grande Rede de Apoio. Abraço de frei Gilvander. Cf. abaixo.

O projeto Comunidade Dandara, objeto do trabalho final de graduação de Tiago Castelo Branco, egresso do Curso de Arquitetura e Urbanismo da PUC Minas, orientado pelos professores Rogério Palhares e Margarete Maria de Araújo Silva, foi selecionado para participar da Exposição Geral de Arquitetos da 9ª Bienal Internacional de Arquitetura e Urbanismo de São Paulo, que acontece entre os dias 2 de novembro e 4 de dezembro, no Ibirapuera.

Também participam do projeto a professora Margarete Maria, os alunos Érico de Oliveira Silva, Lais Grossi de Oliveira, Marco Antonio Souza Borges Netto, Pedro Henrique Barbosa Ribeiro, Thiago Rosa, além de professores e alunos das escolas de Arquitetura e de Geografia da UFMG.

Em abril de 2009, 887 famílias ocuparam um terreno na periferia de Belo Horizonte, nas proximidades da Pampulha. A esta ação foi dado o nome de Ocupação Dandara. A arquitetura gerada por essa ocupação foi elaborada por estudantes e profissionais de Arquitetura e Geografia, com a participação dos moradores. A partir disso, foram produzidas diferentes concepções de loteamento, respeitando a legislação vigente.

O projeto Comunidade Dandara é uma compilação de projetos nessa comunidade a partir do trabalho final de graduação de Tiago Castelo Branco, até o projeto de alternativa de adensamento apresentado nas negociações junto à construtora Modelo, proprietária do terreno, e representantes do poder público.

 O projeto desdobrou-se e uma equipe coordenada por Tiago, atualmente arquiteto urbanista, estuda e analisa a Ocupação Dandara sob vários aspectos, buscando elaborar propostas e soluções para melhorar a qualidade de vida da comunidade e do meio ambiente.

Clic nos links, abaixo, e veja a beleza do Projeto urbanístico da Comunidade Dandara.

PROJETO URBANÍSTICO


https://docs.google.com/viewer?a=v&pid=explorer&chrome=true&srcid=0B1k_PB7xrQxiZTlmNDM1ODEtOTYzYi00OTU5LTlmN2EtZDQyODQzMzUyOGUz&hl=en&pli=1

No tempo da minha infância


Ismael Gaião


No tempo da minha infância

Nossa vida era normal

Nunca me foi proibido

Comer muito açúcar ou sal

Hoje tudo é diferente

Sempre alguém ensina a gente

Que comer tudo faz mal



Bebi leite ao natural

Da minha vaca Quitéria

E nunca fiquei de cama

Com uma doença séria

As crianças de hoje em dia

Não bebem como eu bebia

Pra não pegar bactéria



A barriga da miséria

Tirei com tranquilidade

Do pão com manteiga e queijo

Hoje só resta a saudade

A vida ficou sem graça

Não se pode comer massa

Por causa da obesidade



Eu comi ovo à vontade

Sem ter contra indicação

Pois o tal colesterol

Pra mim nunca foi vilão

Hoje a vida é uma loucura

Dizem que qualquer gordura

Nos mata do coração



Com a modernização

Quase tudo é proibido

Pois sempre tem uma Lei

Que nos deixa reprimido

Fazendo tudo que eu fiz

Hoje me sinto feliz

Só por ter sobrevivido



Eu nunca fui impedido

De poder me divertir

E nas casas dos amigos

Eu entrava sem pedir

Não se temia a galera

E naquele tempo era

Proibido proibir



Vi o meu pai dirigir

Numa total confiança

Sem apoio, sem air-bag

Sem cinto de segurança

E eu no banco de trás

Solto, igualzinho aos demais

Fazia a maior festança



No meu tempo de criança

Por ter sido reprovado

Ninguém ia ao psicólogo

Nem se ficava frustrado

Quando isso acontecia

A gente só repetia

Até que fosse aprovado



Não tinha superdotado

Nem a tal dislexia

E a hiperatividade

É coisa que não se via

Falta de concentração

Se curava com carão

E disso ninguém morria



Nesse tempo se bebia

Água vinda da torneira

De uma fonte natural

Ou até de uma mangueira

E essa água engarrafada

Que diz-se esterilizada

Nunca entrou na nossa feira



Para a gente era besteira

Ter perna ou braço engessado

Ter alguns dentes partidos

Ou um joelho arranhado

Papai guardava veneno

Em um armário pequeno

Sem chave e sem cadeado



Nunca fui envenenado

Com as tintas dos brinquedos

Remédios e detergentes

Se guardavam, sem segredos

E descalço, na areia

Eu joguei bola de meia

Rasgando as pontas dos dedos



Aboli todos os medos

Apostando umas carreiras

Em carros de rolimã

Sem usar cotoveleiras

Pra correr de bicicleta

Nunca usei, feito um atleta,

Capacete e joelheiras



Entre outras brincadeiras

Brinquei de Carrinho de Mão

Estátua, Jogo da Velha

Bola de Gude e Pião

De mocinhos e Cawboys

E até de super-heróis

Que vi na televisão



Eu cantei Cai, Cai Balão,

Palma é palma, Pé é pé

Gata Pintada, Esta Rua

Pai Francisco e De Marré

Também cantei Tororó

Brinquei de Escravos de Jó

E o Sapo não lava o pé



Com anzol e jereré

Muitas vezes fui pescar

E só saía do rio

Pra ir pra casa jantar

Peixe nenhum eu pagava

Mas os banhos que eu tomava

Dão prazer em recordar



Tomava banho de mar

Na estação do verão

Quando papai nos levava

Em cima de um caminhão

Não voltava bronzeado

Mas com o corpo queimado

Parecendo um camarão



Sem ter tanta evolução

O Playstation não havia

E nenhum jogo de vídeo

Naquele tempo existia

Não tinha vídeo cassete

Muito menos internet

Como se tem hoje em dia



O meu cachorro comia

O resto do nosso almoço

Não existia ração

Nem brinquedo feito osso

E para as pulgas matar

Nunca vi ninguém botar

Um colar no seu pescoço



E ele achava um colosso

Tomar banho de mangueira

Ou numa água bem fria

Debaixo duma torneira

E a gente fazia farra

Usando sabão em barra

Pra tirar sua sujeira



Fui feliz a vida inteira

Sem usar um celular

De manhã ia pra aula

Mas voltava pra almoçar

Mamãe não se preocupava

Pois sabia que eu chegava

Sem precisar avisar



Comecei a trabalhar

Com oito anos de idade

Pois o meu pai me mostrava

Que pra ter dignidade

O trabalho era importante

Pra não me ver adiante

Ir pra marginalidade



Mas hoje a sociedade

Essa visão não alcança

E proíbe qualquer pai

Dar trabalho a uma criança

Prefere ver nossos filhos

Vivendo fora dos trilhos

Num mundo sem esperança



A vida era bem mais mansa,

Com um pouco de insensatez.

Eu me lembro com detalhes

De tudo que a gente fez,

Por isso tenho saudade

E hoje sinto vontade

De ser criança outra vez

"Em Casa" , uma narrativa histórica

Em casa, novo livro de Bill Bryson, é simultaneamente uma narrativa histórica, um tratado de sociologia, um compêndio de história da ciência e uma divertida coleção de curiosidades culturais. Viajando pelo interior de sua própria casa - uma antiga residência paroquial no nordeste da Inglaterra -, o escritor norte-americano reconstitui a evolução de cada um dos cômodos que compõem a habitação humana moderna.

Do hall de entrada ao porão, da sala de jantar ao banheiro, dos quartos de dormir ao jardim, nenhum detalhe escapa à atenção do autor de Breve história de quase tudo, que vendeu mais de 50 mil exemplares no Brasil.

Amparado por uma bibliografia reveladora, o livro percorre largos intervalos no tempo e no espaço para demonstrar que a configuração arquitetônica da moradia determina todos os aspectos da vida privada.

 Dotado de extrema sensibilidade para relacionar os menores componentes de uma casa - móveis, decorações, utensílios domésticos - às inovações tecnológicas e culturais mais decisivas da história da humanidade, o autor é capaz de revelar as marcas de milênios de evolução da moradia nas formas arquiconhecidas de objetos simples como os talheres da sala de jantar ou as torneiras do banheiro.

 Uma prosa fluente e permeada de observações espirituosas convida o leitor a investigar a extensa história da casa e da vida privada em seu próprio cotidiano, garantindo um passeio agradável e informativo entre diferentes épocas e culturas.

“Bill Bryson é fascinado por tudo, e sua curiosidade é contagiante.” - The New York Times Book Review. O lançamento é da Companhia das Letras.

Seminário América Latina-China frente a uma Ordem Global Multipolar


O Instituto Confúcio na Unesp, a Cátedra Unesco Memorial da América Latina e Instituto de Estudos Econômicos e Internacionais - IEEI / UNESP comunicam que estão abertas as inscrições para o Seminário Internacional "América Latina e China frente a uma Ordem Global Multipolar"

3 e 4 de novembro de 2011 (quinta e sexta)

das 9 às 18 horas

 Com as discussões, pretende-se abrir caminhos de investigação que possam subsidiar a ação de autoridades públicas, acadêmicas e empresariais para a definição de uma estratégia de tipo "win-win" com a China.

Local: Anexo dos Congressistas do Memorial da América Latina

Acesso pelo Portão 12 - Estacionamento (pago) pelo Portão 15

Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664 - Metrô Barra Funda - São Paulo - SP

Inscrições: Prévias e gratuitas, no site www.memorial.sp.gov.br

(serão emitidos certificados de participação - vagas limitadas)

Informações: eventoscbeal@memorial.sp.gov.br / Tel.: (11) 3823-4780

Revelar crimes da ditadura é dever do Estado, diz Dilma. "Ainda há episódios de desaparecimentos e mortes não esclarecidos."



A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta segunda-feira que é dever do Estado revelar os crimes da ditadura militar que governou o país durante pouco mais de duas décadas, em declarações durante o programa de rádio nessa manhã Café com a presidenta.

A chamada Comissão da Verdade, aprovada na semana passada pelo Senado, representa o resgate da história ainda desconhecida do Brasil, vai fazer o Estado mais transparente e garantir o exercício pleno da democracia, declarou Dilma.

“A Lei do Acesso à Informação vai permitir que todos os brasileiros consultem documentos e informações produzidos pela administração pública. Isso vai valer para o Poder Executivo, para o Legislativo, para o Judiciário e para o Ministério Público, tanto no governo federal quanto nos estados e nos municípios.”

Segundo Dilma, cada órgão terá seis meses para publicar em uma página na internet informações sobre atuação, contratos, licitações, gastos com compras, repasses e transferências de recursos. “Isso vai permitir que as pessoas saibam, por exemplo, quanto a escola pública em que o filho estuda recebe para a merenda escolar e o valor que o SUS [Sistema Único de Saúde] repassa para os serviços de saúde da sua cidade”, completou.

Sobre a criação da Comissão da Verdade, a presidenta avaliou que o ato representa o resgate da história brasileira. Durante o programa, ela lembrou que ainda há episódios de desaparecimentos e mortes não esclarecidos.

"A intenção é somente esta: trazer à luz uma parte da história do Brasil ainda desconhecida, para que isso nunca mais volte a acontecer em nosso país”, disse. “O conhecimento, a informação e a verdade são indispensáveis para o exercício da cidadania. E as novas leis tratam justamente disso”, concluiu. (Voz da Rússia/Agência Brasil/Divulgação)

Piotr ou Danica, quem seria o bebê de número sete bilhões?

Yelena Nikolayeva com o filho Piotr Nikolayev – o Bebê 7 Bilhões – no Centro Perinatal de Kaliningrado
O nascimento do bebê que completou o número de 7 bilhões de habitantes do planeta, no domingo, 30, gerou uma polêmica mundial. Enquanto a mídia internacional divulgava que a menina Danica Mae Camacho, nascida em Manila, nas Filipinas, às 23h58min do sábado, 29 de outubro, seria o bebê a ostentar o título de sétimo bilionésimo habitante da Terra, a Rússia reivindica para si a façanha, com o nascimento, aos 2 minutos do domingo, 30, do bebê Piotr Nikolayev, na cidade de Kaliningrado. Piotr Nikolayev nasceu com 3 quilos e medindo 50 centímetros.

O bebê russo deverá ser mesmo o escolhido pelo Fundo das Nações Unidas para a População para ostentar a marca, por ter nascido na data exata em que a ONU havia previamente determinado como a de efetivo nascimento do “habitante da Terra de número 7 bilhões”.

No Estado de Uttar Pradesh, a província mais populosa da Índia, o governo anunciou que, mesmo que o bebê número 7 bilhões não tenha sido escolhido no local, sete meninas que nasceram na região, na segunda-feira, 31 de outubro, serão escolhidas como representantes da marca.

As autoridades indianas dizem ter tudo para reivindicar o direito, afirmando que as sete meninas nasceram na mesma data, com pequenas diferenças de horários, e o seu nascimento ajuda a chamar a atenção do mundo para a importância das mulheres, a necessidade imediata do tratamento igualitário entre homens e mulheres, a importância do acompanhamento pré-natal e a necessidade da implantação de uma política mundial a favor da natalidade saudável e contra a mortalidade materna e infantil.

Segundo a ONU, o crescimento da população mundial não tem previsão de se estabilizar, e, seguindo o ritmo atual, em 2025 o mundo terá 8 bilhões de habitantes. Em 2083, este número chegará a 10 bilhões. (Com o Diário da Rússia)

Pravda Ru no dia 27.10.2011, publicando Nota Política do PCB



"O programa institucional do PcdoB, exibido na televisão na última quinta-feira, revela sem disfarce seu reformismo e oportunismo, além de sua falta de escrúpulos. Assistimos uma grosseira falsificação da história.

Se nosso Partido fosse legalista, poderíamos reclamar no Procon, no TSE, na justiça comum, contra a tentativa de seqüestro da história do PCB: propaganda enganosa, falsidade ideológica, estelionato político, apropriação indébita."

UNESCO aprova admissão da Palestina como membro de pleno direito


EUA, Alemanha e Canadá votaram contra o pedido

A ANP (Autoridade Nacional Palestina) foi aceita como membro de pleno direito na Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura).

A aprovação ocorreu após uma votação realizada na Conferência Geral do Órgão em Paris. Votaram favoravelmente à adesão da ANP, a Índia, China e países latino-americanos.

Os votos contrários à adesão da Palestina já eram esperados. Tanto Estados Unidos, quanto Alemanha e Canadá se posicionaram de forma contrária ao ingresso da ANP no Órgão.

A posição destes países remonta ao mesmo posicionamento adotado diante do pedido da ANP para que a Palestina fosse reconhecida como Estado Pleno na ONU (Organização das Nações Unidas).

Os Estados Unidos indicaram, na ocasião, que vetariam o pedido no Conselho de Segurança caso a ANP prosseguisse com a iniciativa. A ONU ainda não deu seu parecer sobre o caso.

Encontro Mundial de Blogueiros condena bloqueio de Cuba


O Primeiro Encontro Mundial de Blogueiros, que acaba de se realizar no Brasil, publicou a Carta de Foz do Iguaçu que inclui etre suas prioridades a condenação do bloqueio dos Estados Unidos contra Cuba. (Com Cubadebates)

Guerrilheiros invadem hospital em Amor e Revolução


Patrícia De Sabrit, interpreta Violeta-Olívia (SBT/Divulgação)

José aconselha Ana a tirar férias e viajar. Filinto vai ao hospital conversar com Dr. Ruy e pergunta ao médico se ele tem certeza de que Olivia está morta. O médico afirma que não existe a possibilidade de Olivia ter sobrevivido.

Os pais de Marcela chegam à redação do jornal. Marcela apresenta os pais a Marina. Miriam revela a José que está grávida. Filinto pergunta a Julia se ela ajudou Olivia. O militar percebe que a enfermeira fica extremamente nervosa. Ele a ameaça ao dizer que se Olivia estiver viva, vai descobrir quem a ajudou e punir.

 Os guerrilheiros colocam o plano em ação e invadem o hospital. O grupo faz Dr. Ruy de refém. Batistelli pergunta onde estão as armas. O médico entrega a chave do depósito onde ficam as armas. Filinto e Julia ouvem barulhos e gritos. O militar entra em pânico. Ele deita em uma maca e pede para Julia cobri-lo com lençol e dizer aos guerrilheiros que é um doente moribundo.

 Em conversa com Jandira, Heloisa pede para a guerrilheira não atrapalhar o namoro dela com Bartolomeu. Violeta aponta arma para Dr. Ruy e pergunta de Filinto. Violeta e Telmo entram no quarto em que Filinto está escondido e perguntam dele para Julia. Filinto levanta da maca e xinga Violeta. Telmo atira na mão do major.

 Margarida vai ao Dops conversar com Aranha. O delegado fala a ex-mulher que descobriu que ela está namorando um advogado de preso político. Aranha ameaça assassinar Margarida. Violeta e Telmo fazem Filinto de refém. Filinto se torna um escudo para a saída dos guerrilheiros do hospital. Ele é levado para o “aparelho” em que os guerrilheiros se escondem.

José afirma a Miriam que não vai se casar com ela. Ele promete acompanhar e apoiar a gravidez, mas não vai se casar com uma mulher que não ama. Manipuladora, Miriam afirma que vai abortar o bebê.

China lançará amanhã nave que se unirá ao módulo T iangong-1 , o Palácio Celestial

Tiangong-1 (Palácio Celestial)
A China lançará amanhã a nave Shenzhou-VIII, a qual se unirá ao módulo não tripulado Tiangong-1 para o primeiro acoplamento espacial entre veículos deste país.

A decolagem a bordo de um foguete portador Longa Marcha 2F/H (LM-2F/H) desde o centro de Jiuquan, na província norte ocidental de Gansu, se realizará às 05:58 hora local.

Servidores públicos e especialistas estrangeiros foram convidados para assistir o lançamento, disse Wu Ping, porta-voz do programa de naves espaciais tripuladas desta nação.

Wu afirmou que importantes figuras da Agência Espacial Europeia e o Centro Aeroespacial da Alemanha estarão presentes na ocasião, por constituir o intercâmbio e a cooperação internacional princípios do referido projeto.

A Shenzhou-VIII, não tripulada, e o foguete portador foram levados em posição vertical ao centro de lançamento na passada quarta-feira, data a partir da qual começou a conta regressiva para a decolagem.

O foguete LM-2F/H é uma versão mais pesada e atualizada da série Longa Marcha 2F, considerada a mais segura na China.

Tiangong-1 (Palácio Celestial) foi lançado com sucesso no passado 29 de setembro a bordo de um LM 2FT1. Este módulo, que servirá de plataforma também para as naves Shenzhou-IX e X, completou ontem um giro de 180 graus a fim de preparar para o acoplamento.

Este último, uma das operações mais sofisticadas na esfera tecnológica espacial, será controlado da terra.

Todas estas missões constituem a base para a construção de uma Estação Espacial Tripulada, objetivo que China prevê atingir para 2020.

Shenzhou-8 é um módulo aeroespacial aperfeiçoado com capacidade de realizar acoplagem automática e manual. A nave vai se ligar com o módulo Tiangong-1. Será a primeira acoplagem na história do Programa Espacial Tripulado do país asiático.

 Segundo Wu, entre os cerca de 600 equipamentos da Shenzhou-8, 15% são novos. Além disso, foram instalados dentro da aeronave sistemas capazes de realizar experiências na área biocientífica, uma parceria entre cientistas chineses e alemães.

Esta também é a primeira parceria internacional do setor aeroespacial tripulado chinês na área de ciência espacial. Wu salientou que a China vai se esforçar ao lado de cientistas de vários países para impulsionar o desenvolvimento da tecnologia aeroespacial. (Com Prensa Latina e Rádio China Internacional)

Analistas internacionais aconselham firmeza na apuração de irregularidades no Ministério do Esporte



Após as denúncias de corrupção no Ministério do Esporte, o Brasil precisa enfrentar o problema abertamente e ser firme nas investigações para evitar que a organização da Copa e das Olimpíadas seja manchada, dizem analistas internacionais ouvidos pela BBC Brasil.

Paulo Henrique Amorim: PF poderia ter uma conversinha com a Magic Paula



Magic Paula foi convidada para ser uma das secretárias do Ministério do Esporte na gestão Agnelo Queiroz. Orlando Silva era Secretário também e cuidava da parte de Educação e Esportes. Magic Paula, de Esporte Olímpico. Magic Paula pediu a conta rápido. Aliás, pediu a conta por causa de uma prestação de contas. Ela foi a Barcelona numa missão oficial, na companhia do Ministro Queiroz.

Na hora de pagar a conta do hotel, soube que alguém muito poderoso, ligado ao esporte, tinha pago por ela.

Ao chegar a Brasília, já saturada de tantas irregularidades, resolveu usar a conta do hotel para pedir a conta.

Perguntou como fazia para devolver as diárias.

Foi um Deus nos acuda !

Devolver as diárias, onde já se viu uma coisa dessas ?

Se ela devolvia, os outros, também objeto da gentileza, tinham que devolver.

Magic Paula devolveu e foi embora do Ministério.

E deu uma entrevista a este ansioso blogueiro no programa “Edição de Notícias” , da TV Record.

Ali, ela contou também que recebeu a incumbência de promover um evento de esporte amador em Manaus.

Havia em cima da mesa do Ministro uma oferta de produzir o evento por R$ 7 milhões.

Proposta de alguém muito poderoso, ligado ao esporte.

Magic Paula pediu tempo e correu atras de patrocínios.

Voltou ao Ministério com uma alternativa: conseguiria realizar o evento por R$ 2 milhões.

Uma pena !

A proposta de R$ 7 milhões era irrecusável !

Quem são esses poderosos que rondam o Ministério do Esporte ?

Quantos poderosos sentaram praça no Ministério do Esporte na véspera da Copa e das Olimpíadas ?

Magic Paula, depois que saiu do Ministério, jamais voltou a ser entrevistada na Globo.

Logo na Globo, onde Armando Nogueira sobre ela e Hortência escreveu textos memoráveis.

Pois é, amigo navegante, bem que a Polícia Federal poderia ter uma conversinha com a minha colega Magic Paula, que está aqui em Guadalajara, e recuperou para este ansioso blogueiro o nome deste poderoso dirigente, tão querido no Ministério.

Quem será ?

Por que a Globo o protege ?

Paulo Henrique Amorim (Transcrito de Pátrria Latina)

 

A " terra da liberdade"

(ViCman/Rebelión/Divulgação)

domingo, 30 de outubro de 2011

O Pravda Ru e a doença de Lula

Surpreendido com a notícia, o Brasil assustou e o mundo quer saber o tamanho da gravidade: O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva - segundo exames médicos - está com câncer na laringe. A notícia está estampada em todos os portais brasileiros na rede mundial de computadores e repercutida nos principais jornais do mundo.(Pravda Ru)


Areia movediça e Saci-Pererê

"Cada vez mais perto da Copa do Mundo, o brasileiro tem a credibilidade afundada em uma espécie de areia movediça. Dilma e sua vassoura-, na hora de escolher quem nos tiraria dessa lama, decepiona. Coloca um ministro cujos projetos mais conhecidos de sua carreira política são a criação do Dia do Saci-Pererê e a defesa incondicional na mandioca. Pobre povo brasileiro." (Heron Guimarães, em sua coluna semanal de O Tempo, dia 29.1011)

Blogueiros de 23 países contra qualquer forma de censura na internet



A íntegra da "Carta de Foz do Iguaçu":

"O 1º Encontro Mundial de Blogueiros, realizado em Foz do Iguaçu (Paraná, Brasil), nos dias 27, 28 e 29 de outubro, confirmou a força crescente das chamadas novas mídias, com seus sítios, blogs e redes sociais. Com a presença de 468 ativistas digitais, jornalistas, acadêmicos e estudantes, de 23 países e 17 estados brasileiros, o evento serviu como uma rica troca de experiências e evidenciou que as novas mídias podem ser um instrumento essencial para o fortalecimento e aperfeiçoamento da democracia.

Como principais consensos do encontro – que buscou pontos de unidade, mas preservando e valorizando a diversidade –, os participantes reafirmaram como prioridades:

- A luta pela liberdade de expressão, que não se confunde com a liberdade propalada pelos monopólios midiáticos, que castram a pluralidade informativa. O direito humano à comunicação é hoje uma questão estratégica;

- A luta contra qualquer tipo de censura ou perseguição política dos poderes públicos e das corporações do setor. Neste sentido, os participantes condenam o processo de judicialização da censura e se solidarizam com os atingidos. Na atualidade, o WikiLeaks é um caso exemplar da perseguição imposta pelo governo dos EUA e pelas corporações financeiras e empresariais;

- A luta por novos marcos regulatórios da comunicação, que incentivem os meios públicos e comunitários; impulsionem a diversidade e os veículos alternativos; coíbam os monopólios, a propriedade cruzada e o uso indevido de concessões públicas; e garantam o acesso da sociedade à comunicação democrática e plural. Com estes mesmos objetivos, os Estados nacionais devem ter o papel indutor com suas políticas públicas.

- A luta pelo acesso universal à banda larga de qualidade. A internet é estratégica para o desenvolvimento econômico, para enfrentar os problemas sociais e para a democratização da informação. O Estado deve garantir a universalização deste direito. A internet não pode ficar ao sabor dos monopólios privados.

- A luta contra qualquer tentativa de cerceamento e censura na internet. Pela neutralidade na rede e pelo incentivo aos telecentros e outras mecanismos de inclusão digital. Pelo desenvolvimento independente de tecnologias de informação e incentivo ao software livre. Contra qualquer restrição no acesso à internet, como os impostos hoje pelos EUA no seu processo de bloqueio à Cuba.

Com o objetivo de aprofundar estas reflexões, reforçar o intercâmbio de experiências e fortalecer as novas mídias sociais, os participantes também aprovaram a realização do II Encontro Mundial de Blogueiros, em novembro de 2012, na cidade de Foz do Iguaçu. Para isso, foi constituída uma comissão internacional para enraizar ainda mais este movimento, preservando sua diversidade, e para organizar o próximo encontro." (Com a Carta Maior)

PCB de BH vai realizar no final do ano a festa do Amigo Clandestino, versão do amigo oculto no ritual modernista do "Partidão", o verdadeiro Partido Comunista Brasileiro


A decisão foi anunciada por um dos membros do Comitê Regional do PCB, Tulio Lopes, na Conferência Regional do Partido, realizada sábado no Barreiro, em Belo Horizonte

"Felizes aqueles que não prestam atenção aos salpicos da chuva nem à queda estrondosa das árvores na mata" (Oscar Wilde)

Servidores da Justiça da União em greve. Os de Goiás e Espírito Santo vão adeir ao movimento dia 7


A greve dos servidores da Justiça da União, que incluem funcionários da Justiça Federal e do Trabalho, já atinge 15 Estados e deve crescer nos próximos dias. Na segunda-feira, os servidores de Minas Gerais prometem cruzar os braços, unindo-se aos de São Paulo, do Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, da Bahia, de Mato Grosso, do Amazonas, Maranhão, da Paraíba, de Pernambuco, Mato Grosso do Sul, do Piauí, de Alagoas, do Ceará, de Rondônia e do Acre. Os servidores dos Estados de Goiás e do Espírito Santo decidiram aderir ao movimento no dia 7 de novembro.

Ainda não há números consolidados de servidores parados ou dos efeitos para o andamento de processos. O movimento grevista começou em junho, mas a adesão da maioria dos Estados ocorreu em outubro.

Os servidores pedem a aprovação do Plano de Cargos e Salários (PCS), detalhado no Projeto de Lei (PL) 6613/2009, que prevê aumento de 56% e impacto anual de R$ 7,4 bilhões. O Supremo Tribunal Federal (STF) alega que o aumento real é de apenas 31%, pois o índice de 56% não atinge toda a folha de pagamento. O último reajuste, de até 50%, foi concedido em 2006, pago em seis parcelas semestrais.

O Judiciário inseriu os gastos extras com o reajuste dos servidores no projeto orçamentário de 2012 enviado ao Executivo. A principal justificativa é que a demora em estruturar a carreira de seus servidores está motivando baixas de funcionários interessados em carreiras mais promissoras. No entanto, o Executivo cortou a proposta no documento entregue ao Congresso Nacional, alegando que não haveria dinheiro em caixa para pagar o aumento pleiteado.

Para tentar avançar nas negociações, os servidores aceitaram parcelar o reajuste em até seis vezes semestrais, o que reduziria o impacto anual para cerca de R$ 1,4 bilhão. Mas, de acordo com representantes da Federação Nacional dos Trabalhadores do Judiciário Federal e Ministério Público da União (Fenajufe), o governo está irredutível sobre a possibilidade de aumento.

Na última semana, o PCS do Judiciário entrou na pauta da Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados, mas o projeto foi retirado da lista de votação e não há previsão de volta. Ao relatar o episódio em um comunicado publicado em seu site, a Fenajufe incita os servidores a ampliar as paralisações nas próximas semanas como resposta.

Apesar do crescimento do movimento grevista, a Justiça da União continua funcionando em um dos locais onde é mais forte, o Distrito Federal. De acordo com o coordenador-geral do Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário e do Ministério Público da União no Distrito Federal (Sindjus-DF), Berilo Leão, a ideia é esperar o desenrolar das negociações no Executivo e no Legislativo para definir que posição tomar.

"Em um primeiro momento, estamos apenas fazendo atos de protesto, como o que ocorreu no Congresso recentemente, mas, caso as negociações não avancem, nada impede que também entremos em greve", diz o representante do Sindjus-DF, que tem cerca de 10 mil filiados.

ITACA

Kostantin Kavafis (poeta grego)

quando vc partir em direção a Ítaca

que sua jornada seja longa,

repleta de aventuras, plena de conhecimento


não temas Laestrígones e Cíclopes

nem o furioso Poseidon

vc não irá encontrá-los durante o caminho se

o pensamento estiver elevado, se a emoção

jamais abandonar seu corpo e espírito.

Laestrigones e Cíclopes e o furioso Poseidon

não estarão em seu caminho

se vc não carregá-los em sua alma.,

se sua alma não os colocar diante de seus passos.


espero que sua estrada seja longa

que sejam muitas as manhãs de verão,

e que o prazer

de ver os primeiros portos

traga uma alegria nunca vista.

procura visitar os emporios da fenícia

e recolha o que há de melhor

vá as cidades do egito,

e aprenda com um povo que tem tanto a ensinar.


não perca Ítaca de vista

pois chegar lá é o seu destino

mas não apresse seus passos;

é melhor que a jornada demore muitos anos

e seu barco só ancore na ilha

quando vc já estiver enriquecido

com o que conheceu no caminho


não espere que Ítaca lhe dê mais riquezas

Ítaca já lhe deu uma bela viagem;

sem Ítaca vc jamais teria partido.

ela já lhe deu tudo e nada mais pode lhe dar.


se no final vc achar que Ítaca é pobre

não pense que ela lhe enganou

porque vc tornou-se um sábio e viveu uma vida

intensa e este é o significado de Ítaca.

(Nota do editor do blog: Depois que li a Paideia, interessante tratado sobre a formação do homem grego, fiquei encantado com a obra, de 1413 páginas, visitar Atenas e ilhas gregas, nunca deixo de admirar poetas e escritores helenos...)

A palavra em brasa


Ariosto da Silveira (*)

Aos 83 anos de idade e 60 de jornalismo, Dídimo Paiva ganhou homenagem de colegas de trabalho e sindicalistas na forma de dois livros. O primeiro, "Passos de uma Paixão", conta a sua experiência pessoal e profissional, desde a infância em Jacuí, Sul de Minas, até a aposentadoria imposta.

 Aí se incluem depoimentos não apenas de jornalistas e dirigentes sindicais, mas de membros de outros segmentos sociais que reconhecem nele uma figura inquieta e de grande coragem ao enfrentar variadas formas e fontes de poder, nunca se dobrando e com isso contribuindo para a supressão de situações de injustiça e ilegalidade mediante reflexões e movimentos no sentido de mudanças em benefício coletivo.

No livro é exaltado o caráter - o bom caráter - do biografado. Ressalta-se, antes de tudo, a sua paixão pelo jornalismo, repelindo sucessivas tentações para deslocar-se rumo a outros ramos de atividade. No mesmo nível, coloca-se a sua lendária conduta de expor a sua opinião, por escrito ou cara a cara, em momentos diversos, seja em relação a um companheiro ou a um governante. Assim agiu sempre, mesmo nos momentos de recesso das liberdades individuais e coletivas, notadamente as do pensamento e a sua manifestação.

A intransigência quanto à liberdade de imprensa e a outros valores imprescindíveis numa sociedade democrática e sua expressão franca e diante de interlocutores poderosos lhe valeram incompreensões e rótulos relativos a vínculos político-partidários que formalmente nunca teve.

Até antigos combatentes da frente sindical alçados ao poder, como o ex-presidente Lula, foram premiados com as suas críticas mordazes, sem rodeios, e mesmo assim - fato singular - não deixaram de reconhecer suas virtudes de coerência e inflexibilidade quanto a questões insusceptíveis de remodelação em face de razões de momento e de interesses pessoais ou grupais.

O segundo livro, "Um Bunker na Imprensa", contém o pensamento de Dídimo Paiva. É uma amostragem de editoriais, reportagens, artigos, manifestações e cartas produzidas em quantidade e qualidade ao longo dos anos. Os textos cortam como espadas. Ferem a essência, sem se perderem em rebuscamentos e disfarces, embora fiéis à correção, como é próprio do jornalismo de qualidade como sempre praticou e pretendeu estender aos veículos que o convocaram para projetos inovadores.

Os livros mostram do ambiente familiar às redações, onde o biografado sempre foi chamado de compadre, mas, ao mesmo tempo, exibem a carência absoluta de contorcionismo em relação àquilo ou àqueles de quem discordava ou devia julgar por intermédio dos textos martelados com apenas dois dedos numa velha Remington.

Generoso ao reconhecer o considerado certo e bom, era e é impiedoso diante do mal, do incapaz, do mau-caráter, do incorreto e do desonesto. Fez e faz da palavra escrita ou falada um ferro em brasa, quase solitário espadachim neste mundo de acomodações e interesses.


(*) Ariosto da Silveira é jornalista. Artigo publicado em O Tempo em 29.10.2011.

1- Em 2009 houve no Brasil 43.909 homicídios, fazendo com que o país tenha uma taxa de 22,7 homicídios por 100 mil habitantes

2- A taxa dos homicídios no país é duas vezes superior à média mundial

3- O perfil predominante dos que morreram assassinados segue um padrão: 70% dos crimes com mortes são por armas de fogo.

São dados constantes da resolução do Seminário sobre Prevenção à Violência em Itabira, realizado no último dia 27. Os participantes aprovaram uma série de medidas, conforme pode-se constatar no texto final aqui publicado, Dentre elas o pedido de instalação na cidade de uma Vara da Justiça da Infância e Juventude.

Carta Aberta às Autoridades Sobre a Violência

Este é o documento da Comissão de Atendimento às Vítimas de Violência Sexual e Doméstica de Itabira, aprovado durante o Iº Seminário de Prevenção à Violência, que será encaminhado às principais autoridades do município de Itabira/MG.

"Os estudos estatísticos levados a cabo por diferentes organizações ao longo dos anos revelam, quase sempre, o aumento da criminalidade nas cidades brasileiras, deixando transparecer um processo lento e silencioso de degradação moral e ética em nossa sociedade. A Organização das Nações Unidas divulgou um relatório no dia 06/10/2011 sobre a violência no mundo, medida pelos homicídios. Com aproximadamente 48 mil mortes por ano, o Brasil é um dos países que detém uma das maiores taxas de homicídios no mundo, segundo o documento divulgado pelo relator especial do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas sobre Execuções Arbitrárias, Sumárias ou Extrajudiciais, Philip Alston. A agência afirma que em 2009 houve no Brasil 43.909 homicídios, fazendo com que o país tenha uma taxa de 22,7 homicídios por 100 mil habitantes. A taxa dos homicídios no país é duas vezes superior à média mundial, segundo o texto. Considerando o tamanho da população, o Brasil possui a terceira maior taxa de homicídios da América do Sul, atrás apenas da Venezuela e da Colômbia, segundo o estudo. O perfil predominante dos que morreram assassinados segue um padrão: 70% dos crimes com mortes são por armas de fogo. Homens com idades entre 15 e 44 anos, negros e pobres são as vítimas mais comuns.

A ONU aponta que “desigualdade social e crime organizado mais intenso (narcotráfico) são as duas principais razões da violência no Brasil”. O relatório atribui o aumento da violência a flutuações no tráfico de cocaína e à competição entre grupos rivais de traficantes, particularmente quando há queda no fluxo de drogas.

Indignado e assustado, o Brasil assiste ao desenvolvimento da organização da estrutura criminosa (com suas leis, economia e cultura próprias) e busca desenvolver estratégias para seu enfrentamento. O aumento crescente da criminalidade atinge indistintamente todas as classes sociais e faixas etárias e se perpetua ao longo do tempo, pois os atos de violência contaminam as relações familiares, de trabalho, enfim, toda a vida social. Não é mais possível continuar convivendo com a realidade da insegurança e da barbárie que abalam o cotidiano de inúmeras famílias, aceitando-as como se fossem situações normais, que possam fazer parte da vida em comunidade.

Sabemos que o patriarcado, materializado nas relações desiguais de poder entre mulheres e homens, anterior ao racismo e ao próprio capitalismo, historicamente acompanha a realidade brasileira, fundando estruturas opressivas, que se perpetuam no âmbito privado e público. Redesenhar essas relações sociais nos exigirá uma reflexão permanente e sobretudo uma práxis diferenciada. A superação desta realidade e a construção de uma sociedade livre de toda e qualquer forma de exploração, preconceito e opressão, implica, necessariamente, no compromisso individual e coletivo de desenvolver novas formas de relações interpessoais dentro de nossas organizações sociais. São as situações concretas no cotidiano e, fundamentalmente, os nossos posicionamentos frente a elas que podem fazer avançar a construção do processo de paz social.

Um basta à violência só se alcança com medidas concretas e limites rigorosos que garantam o cumprimento das normas de respeito à vida. É inegável que a violência – cujo fenômeno, reconhecemos, é multifacetado e incorpora inúmeras causas – se enraíza na impunidade e se ancora na descrença da possibilidade de uma resposta eficaz às ações criminosas. Estas passam a ser banalizadas no cotidiano das relações sociais e, pouco a pouco, são incorporadas no dia a dia da população. A incivilidade e as atitudes hostis na família, o assédio moral, a inveja, o ciúme, a vaidade, a rivalidade e as perseguições nas relações de trabalho, a busca irracional e deturpada por poder e vantagens nas instituições sociais sufocam os valores mais fundamentais de uma sociedade. Assim, uma criança imersa num contexto de violência doméstica e social, pode chegar à idade adulta sem ter conhecido pessoas honestas e afetuosas em toda sua história de vida. Não tendo referenciais éticos e morais, certamente reproduzirá a violência em suas relações pessoais. Desta forma as cidades vão morrendo aos poucos, sob o cortejo ultrajante da indiferença e da apatia.

Estamos certos de que para a construção da paz social cada um, individualmente, precisará refletir sobre suas atitudes frente aos pequenos e grandes atos criminosos e, em seguida, precisará se posicionar em relação a que mecanismos de controle social está disposto a desenvolver, para que possamos viver melhor em nossa comunidade. Que tipo de sociedade desejamos para nós e para nossos descendentes?

Os integrantes da Comissão de Atenção às Vítimas de Violência Sexual e Doméstica do Município de Itabira tornam público neste ato seu posicionamento em defesa da idéia de que precisaremos coletivamente tomar medidas emergenciais voltadas para o cumprimento das determinações da Constituição Brasileira, que garante a todo cidadão o Direito à Vida. Esse direito fundamental tem sido negado a inúmeras crianças, adolescentes, idosos, mulheres e homens, pais de família e filhos que perdem a vida diariamente ou se vêem ameaçados, com a incapacidade de resposta de nossa sociedade ao fenômeno da violência. Ressaltamos que, durante os últimos três anos temos firmado intensos debates sobre esta questão e todas as deliberações desta Comissão tiveram como pano de fundo a preocupação em promover a paz social com o engajamento de toda a comunidade.

Considerando o direito que todos temos de viver em uma sociedade justa, abrimos espaço neste fórum para refletir acerca de nossa realidade atual e avaliar as alternativas que possuímos para o enfrentamento do fenômeno da violência. Durante os debates entre as mais diversas autoridades no dia de hoje pudemos reconhecer que em Itabira existem iniciativas importantes para o enfrentamento à violência, mas incipientes e fragmentadas.

Serão necessários ajustes importantes, mas já podemos vislumbrar posturas louváveis adotadas nesse sentido pelo Poder Executivo local. Com a publicação da Lei nº 4.444, de 22/07/2011, que estabelece as diretrizes para a elaboração da Lei Orçamentária Anual do Município de Itabira para o exercício de 2012, obtivemos importantes garantias. Nesta lei está previsto o investimento de R$205.000,00 nas ações de promoção de assistência especializada e, dentre elas, aquelas que têm a finalidade de promover a assistência à saúde das vítimas de exploração sexual infanto-juvenil. Também está previsto o incentivo à criação de programas e projetos de prevenção e atendimento às crianças e adolescentes vítimas de violência, abuso e exploração sexual. A quantia de R$1.800,00 foi destinada à manutenção do Centro de Referência da Mulher, visando desenvolver as atividades voltadas ao enfrentamento à violência de gênero.

O direito à vida está sendo diariamente violado em nosso município e exige medidas emergenciais de caráter corretivo, voltadas para o aperfeiçoamento e a qualificação das instituições, sejam elas de segurança pública, educacionais, de atenção à saúde, religiosas e outras. É preciso rever as leis e suas aplicações. Soma-se a isso a necessidade de garantir a agilização e modernização do Poder Judiciário, como base de sustentação das medidas cotidianas de cumprimento das normativas de respeito à vida. Dessa forma, reivindicamos aos integrantes dos Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário que voltem suas ações para o esforço conjunto de combate à violência em nosso município e região, como forma de desestimular a criminalidade e a impunidade. Esperamos que todos os cidadãos e as autoridades, em particular, revejam suas atitudes a partir de uma intensa reflexão de suas posturas. Que compreendam que a autocrítica é o primeiro passo, necessário para superação de práticas que propiciam a continuidade do fenômeno da violência.

Neste ato reivindicamos, concretamente:

1 – A união dos Poderes e das instituições para a integração de suas ações no combate e prevenção à violência no município de Itabira/MG;

2 – O expresso compromisso das autoridades para garantir a melhoria da articulação e estruturação da rede social, iniciando-se com a catalogação de todas as instituições prestadoras de serviços públicos e voluntários e da disponibilização do catálogo em formato virtual e impresso para todos os interessados;

3 – A efetividade no atendimento às vítimas de violência com o estabelecimento de parcerias com universidades e núcleos de estudos a fim de garantir o monitoramento do fenômeno da violência no município, pesquisando, desenvolvendo e aplicando tecnologias da informação que possam ser utilizadas pelos profissionais envolvidos na gestão dos sistemas municipais e pela comunidade em geral e que garantam a análise dos dados, a produção e disseminação do conhecimento;

3.1 – Pretende-se que a atuação se dê de forma intersetorial, apoiando a produção de informação adequada à identificação da vulnerabilidade nos níveis individual, familiar, institucional e comunitário, a promoção da cultura da paz e a formulação de políticas públicas destinadas ao enfrentamento da violência;

4 – Aperfeiçoamento da legislação local, no sentido de lhe conferir maior eficácia, na prevenção da violência e no combate a impunidade;

5 – Introduzir na grade curricular das escolas municipais disciplinas que concorram para a formação ética das crianças e adolescentes e prevenção da violência;

6 - A intervenção junto ao Tribunal de Justiça de Minas Gerais, a fim de garantir a instalação da Vara da Justiça da Infância e Juventude, com sua respectiva equipe técnica judiciária, para atender à necessidade de se fazer justiça e restaurar o valor da vida, desqualificado pela banalização da violência e pelos sucessivos benefícios obtidos pelos agressores, incompatíveis com a gravidade e com as consequências dos crimes cometidos;

7 – Garantir a efetiva implantação da Delegacia da Família, cujo projeto encontra-se em fase inicial de discussão entre as autoridades dos Poderes Executivo e Legislativo, e o posterior desenvolvimento de projeto de intervenção psicossocial junto aos agressores e às vítimas;

8 - Implementação de uma agenda anual na Câmara Municipal, onde, por meio de audiência pública, possam ser discutidos temas sobre a violência e suas consequências, assim como outros assuntos relacionados com a crescente onda de criminalidade, ocorrida em todos os níveis da sociedade itabirana;

9 – Criação de um programa de educação permanente, que garanta aos trabalhadores da rede de atendimento uma qualificação e a capacitação para o enfrentamento da violência e para a promoção da paz;

10 – Garantir a sensibilização dos profissionais, em especial aqueles que atuam na área médica, para que se comprometam com o atendimento humanizado às vítimas de violência;

11 – Assegurar a articulação entre os Poderes Judiciário e Executivo para a implantação na Comarca da experiência de rede de Cadeia de Custódia;

12 – Promover ações que concorram para o fortalecimento e expansão dos CRAS e CREAS;

13 – Assegurar a criação de entidade que desenvolva programa de proteção às vítimas de violência, sob a forma de abrigo, vislumbrando-se a possibilidade de estabelecimento de consórcio intermunicipal;

14 - Assegurar a criação de programa de atendimento ao agressor, sob a perspectiva de intervenção terapêutica, por meio dos recursos municiais ou intermunicipais consorciados.

15 - Finalmente, promoção da mobilização social, com o envolvimento ativo dos cidadãos, das organizações sociais e das empresas nos rumos dos acontecimentos de nossa sociedade, a fim de garantir um maior controle e efetivação das políticas públicas.

Por último, declaramos publicamente acreditar que a Prefeitura Municipal de Itabira estará engajada nas propostas do Movimento de Promoção da Paz e dos demais movimentos voltados para a luta contra a violência e a instituição da cultura da paz, uma vez que é a mais alta casa da representação popular do município e jamais se ausentou das discussões das grandes questões que afligem o povo itabirano.

Manifestamos nosso apoio às iniciativas do Poder Executivo local e finalizamos reafirmando nosso compromisso de promover a paz e resgatar a dignidade humana, ousando expressar nosso repúdio a toda e qualquer forma de preconceito, machismo,violência e opressão.

Itabira, 27 de outubro de 2011.
Comissão de Atenção às Vítimas de Violência Sexual e Doméstica do Município de Itabira/MG."

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Dia da Favela na TV Brasil



MV Bill e Nega Gizza recebem os vencendores do Favela Festival

O Aglomerado começa novembro com uma bela homenagem ao Dia da Favela, comemorado no dia 4. No sábado (05/11), às 18h30, o programa recebe os vencedores do Favela Festival – um evento de música popular promovido pela Central Única das Favelas (Cufa): Mazim Mazamba, compositor de vários sambas famosos pela escola Beija- Flor de Nilópolis; o grupo Soul de Brasileiro; e o grande vencedor do Festival, o grupo Batuque de Gueto, que não deixou ninguém parado.

Depois é a vez do quadro ‘Guerreiros e Guerreiras’ contar um pouco da história de Samuel Muniz, que na década de 80 esteve entre os criminosos mais procurados do Rio. Era conhecido como “Menor Sinistro”. Ainda na cadeia, teve sua concepção mudada prometendo a Deus que utilizaria sua história de vida como exemplo para que outros adolescentes não se envolvessem com a criminalidade e se tornaria referência para outros presidiários. Então, Samuel fundou o Centro Cultural “História que eu conto” e está mudando a vida de centenas de jovens da Vila Aliança (RJ).

E como favela tem tudo a ver com garra, atitude e vontade de construir um mundo melhor, o quadro ‘Perspectiva’ apresenta o líder estudantil Victor Fortes, que é presidente de um dos grêmios mais fortes da cidade de Niterói (RJ) e desponta como uma jovem e promissora liderança para o nosso país. Victor bateu um papo muito interessante e descontraído e falou um pouco sobre os seus ideais com o apresentador MV Bill.

Depois é a vez dos cineastas Rodolfo e Rafael conversarem sobre o filme que lhes rendeu o prêmio do Festival de Curta Criativo Firjan, Vermelho Selaron. É o ‘Cine Rapidinho’ mostrando o talento destes jovens que se dedicam à sétima arte.

E para fechar o Dia da Favela com chave de ouro, o público vai conhecer a Escola de Música do Santa Marta, que foi oficializada em novembro de 2008, junto com o processo de pacificação do morro. Lá os alunos têm aulas de violino, viola, violoncelo, contra-baixo e flauta doce. O foco de projeto é a aula de aprendizado musical em grupo, o que contribui para a socialização e a construção de trabalho conjunto.

Horário: 18h30 na TV Brasil

Homenagem a Cacilda Becker


Ancelmo Góis com Camila Morgado

Neste De Lá pra Cá, domingo (30), às 18h, uma homenagem a Cacilda Becker, a grande dama do teatro brasileiro que completaria 90 anos de nascimento. Participam deste programa: o biógrafo Luis André de Prado, a atriz Camila Morgado, a crítica teatral Barbara Heliodora e o diretor teatral Flávio Marinho.

A mais importante atriz das décadas de 50 e 60, Cacilda Becker é um dos maiores mitos do teatro brasileiro. Reverenciada pela crítica, pelo público e pelos colegas, ela foi uma artista arrebatadora, dona de um carisma e de um estilo próprios de interpretar e que fez escola nas artes cênicas brasileiras.

Cacilda Becker era uma atriz essencialmente de teatro, quase não fez televisão e cinema. Esteve presente em algumas das mais importantes companhias como o Teatro do Estudante, o Grupo Universitário de Teatro, Os Comediantes, o Grupo de Teatro Experimental e o TBC – além de montar sua própria companhia. Morreu jovem, aos 49 anos, vítima de um derrame cerebral, durante o intervalo de uma peça que encenava.

Noite de gala em Moscou

Imagem: Ria Novosti

Moscou viveu uma autêntica Noite de Gala nesta sexta-feira, 28 de outubro, para o grande espetáculo que marcou a reabertura do Teatro Bolshoi após seis anos de obras de reformas, iniciadas em 2005. O governo russo investiu 21 bilhões de rublos, cerca de 1,2 bilhão de reais, na reforma e restauração do Teatro. As obras mobilizaram 3.600 profissionais, entre engenheiros, operários, designers, restauradores e técnicos dos mais variados setores.

O Presidente Dmitri Medvedev e o último presidente da União Soviética, Mikhail Gorbachev, estavam entre as personalidades políticas presentes ao Teatro. O espetáculo começou, pontualmente, às sete horas da noite, horário de Moscou. O locutor oficial do Bolshoi anunciou, “com muito orgulho”, a reabertura da casa após as obras iniciadas em 2005 e que deveriam estar concluídas em 2008, porém a revisão de algumas metas levou ao prolongamento dos trabalhos.

Brasília! Cuidado! Piso molhado!




JOSÉ SIMÃO

FOLHA DE SP - 28/10/11

A Dilma é ouro em arremesso de ministros. Quando não é arremetido, se arremete!

Buemba! Buemba! Macaco Simão Urgente! O esculhambador-geral da República!

E mais um predestinado! Sabe como se chama o técnico do Libertad do Paraguai? BURRU! Burruchaga! E ganhou do São Paulo. O Burru ganhou do Leão! Eu tô achando que esse Leão é leão de circo: não tem mais nem dente! Rarará! Ou então ele ameaçou: "Se vocês perderem eu como vocês vivos". Aí a bicharada perdeu. Rarará!

E o Orlando Silva? O Orlando Silva original cantava, esse sambou! Diz que ele caiu porque tava com a camiseta do Flamengo! Rarará!

E a Dilma é ouro em arremesso de ministros. Quando não é arremetido, se arremete!

Aliás, eu acho que a Dilma é ouro em tiro. Esportes? Eu TIRO! Agricultura? TIRO! Turismo? TIRO.

Foram seis TIROS! Tem o Dia do Fico e o Dia do Tiro! E agora diz que vai ter um ministro interino. Ah, não! Eu não quero ministro interino, eu quero um ministro INTEIRINHO! O Brasil precisa de um ministro inteirinho! Diz que pode ser o Aldo Rebelo. Mas aí a Dilma vai ter de chamar ele na chincha: "Aldo, você tem o REBELO PRESO?". Rarará!

E não foi o Rebelo que queria instituir o Dia do Saci? Halloween é coisa de gringo! Troca o Halloween pelo saci. Todo mundo pulando num pé só! E abóbora no Brasil só com carne seca. Raloim com carne seca!

Eu acho que o mascote da Copa devia ser um saci!

E sabe quando o Timão vai ganhar a Libertadores? Quando o saci cruzar as pernas. Rarará! E a manchete do Sensacionalista: "Churrascaria em Brasília lança rodízio de ministros".

E sab e por que o Mano convocou o Kaká? Porque seleção sem o Kaká é um kokô!

E um amigo meu estava vindo de Miami pra São Paulo pela American Airlines quando anunciaram o filme: "Histórias Cuzadas"! Rarará! É mole? É mole mas sobe! Ou como disse o outro: é mole, mas trisca pra ver o que acontece!

E o Eramos6 tem uma sugestão pra Dilma evitar mais uma queda de ministro: botar no Palácio do Planalto a placa "Cuidado! Piso molhado". Rarará!

E adorei a charge do Frank com a Dilma jogando sinuca: "O do esporte na caçapa do canto". Pá. A Dilma é ouro em sinuca. Ouro em arremesso, tiro e sinuca. Sinuca de bico! Rarará!

Nóis sofre mas nóis goza!

http://youtu.be/VPWRrmyfZ6w

Beth Carvalho - VouFestejar (Com a Bateria da Mangueira)

Política // LEI GERAL DA COPA

Em Genebra, Fifa comemora queda de Orlando Silva

Publicado em 28.10.2011, às 07h06

A Fifa comemora a queda de Orlando Silva e espera que agora seja acelerada a aprovação da Lei Geral da Copa. A entidade via o ex-ministro como obstáculo à organização do Mundial de 2014.

Oficialmente, a ordem é não interferir nos temas brasileiros para não causar mal-estar. O temor é que mudanças bruscas possam desestimular potenciais patrocinadores do evento. “Reconhecemos o trabalho feito até agora e lamentamos a situação”, disse o secretário-geral da Fifa, Jerome Valcke.

Depois de romper com Orlando, Valcke disse ontem apoiar as decisões da presidente Dilma Rousseff. Antes de saber da escolha de Aldo Rebelo, ele dizia confiar em que “o governo brasileiro logo informará sobre seu representante”, O Comitê Olímpico Internacional também minimizou a queda de Orlando. “Estamos confiantes que essa mudança não irá gerar impactos na preparação do Rio 2016”, disse o comitê.

Fonte: Agência Estado

A busca de um pai por sua filha desaparecida nos porões da ditadura



Bernardo Kuscinski lança livro em BH, em 3 de novembro

No próximo dia 3, quinta-feira, às 18h30, o jornalista, escritor e cientista político Bernardo Kucinski lança o livro intitulado “K”, seu primeiro romance, na sede do Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais. A obra, baseada em fatos reais da vida familiar do autor, reconta a busca de um pai por sua filha desaparecida nos porões da ditadura militar no Brasil.

Entre as obras de sua autoria constam: Jornalismo na Era Virtual, A Síndrome da Antena Parabólica, Cartas Ácidas da Campanha do Lula de 1998, Jornalistas e Revolucionários. Ele é doutor em Ciências da Comunicação (USP), ex-professor da USP. Atuou como assessor da Presidência da República no primeiro mandato do ex-presidente Lula e como colaborador de várias publicações como The Guardian, Carta Maior e Airline Business.

Segundo a cientista política e socióloga Maria Vitória Benevides, a publicação não se limita ao registro de fatos do terrorismo do Estado. A obra expõe a dor e a memória da família do protagonista, senhor K.

“Os relatos de B.Kucinski refletem maldade, indiferença, cumplicidade, oportunismo e prostração moral manifestadas num ambiente aparentemente simpático e dócil de uma sociedade sob ditadura militar.”, relata Avraham Milgram, do Museu do Holocausto, Jerusalém.

A Lista, de Oswaldo Montenegro

Bessinha e a limpeza de Dilma, em Conversa Afiada