sábado, 28 de fevereiro de 2009

CONTRA ABUSOS DA DITADURA


Buenos Aires – A Argentina dá início a um novo período na revisão dos crimes e distorções resultantes do período da ditadura militar (1976-1983). A partir de hoje, entra em vigor uma nova lei que extingue definitivamente a Justiça Penal Militar, convertendo o julgamento de todos os possíveis processos ou crimes para a Justiça Civil comum. Com isso, o Estado argentino põe em prática uma questão que, no Brasil, é discutida de maneira restrita por especialistas. A lei foi proposta pelo ex-presidente Néstor Kirchner em 2006 e teve amplo apoio do Congresso. De acordo com a advogada Ileana Arduino, diretora de Direitos Humanos e Direito Humanitário no Ministério da Defesa e uma das responsáveis pela elaboração das novas normas, a legislação “representa uma novidade absoluta para a América Latina”. Em declaração ao jornal espanhol El País, Ileana explica que outros detalhes importantes serão incorporados à reforma jurídica. Ela cita que serão abolidos todos os delitos que atentam “contra a honra militar”, o de homossexualidade e a pena de morte, que, apesar de não ser aplicada há 30 anos, continuava no Código de Justiça Militar. "É uma transformação muito complexa, mas é extremamente importante para nosso país", explica Arduino.Além da reforma penal, o Exército argentino se esforça para se tornar mais adequado aos tempos atuais e incorporar uma série de pré-requisitos relacionados aos direitos humanos, retirando, desta forma, todos os resquícios do período de exceção da ditadura. No ano passado foram introduzidas sete novas matérias relacionadas a direito internacional humanitário, direitos humanos, história contemporânea da Argentina ou formação cidadã. Neste curso, pela primeira vez, cadetes do quarto ano da Escola Naval receberão os ensinamentos sobre direito internacional na Universidade de La Plata, uma instituição civil.
"Não é estranho ouvir agora entre os militares que não podíamos administrar justiça como fazíamos", afirma o coronel auditor Manuel Omar Lozano, que admite ter havido tensões, mas que a maioria dos oficiais compreendem e aceitam a reforma. O antigo código permitia que os juízes e integrantes dos tribunais militares não fossem advogados e, além disso, os obrigava a manter uma relação de hierarquia com a qual não existia nem assistência técnica nem qualquer independência judicial.A nova lei vigora em tempos de paz e permite, no entanto, que sejam criados tribunais penais militares para períodos de conflito. A legislação já vigente estabelece que é vetada a participação das Forças Armadas em conflitos de segurança interna ou exigir que seus integrantes obedeçam a ordens contrárias à Constituição. As novas normas também estabelecem novos parâmetros para a indisciplina militar e buscam combater o abuso de autoridade. (Colaboração de Ademir Silva)

Encontro de Professores de Jornalismo



realiza-se em BH o 12º Encontro Nacional de Professores de Jornalismo . O evento acontece entre os dias 17 e 19 de abril e tem como tema “O ensino de jornalismo nas universidades: impactos na prática profissional e conquistas para a sociedade“.
A diretoria do Fórum Nacional de Professores de Jornalismo (FNPJ) promoveu algumas mudanças no evento que, a partir deste ano, se tornou um evento múltiplo. Na programação do 12º ENPJ acontecem também o 3º ENCONTRO NACIONAL DE COORDENADORES DE CURSO DE JORNALISMO, o 5º COLÓQUIO ANDI, o PRÉ-FÓRUM DA FENAJ, o VIII CICLO NACIONAL DE PESQUISA EM JORNALISMO em que serão apresentados os trabalhos de pesquisa, ensino e extensão desenvolvidos pelos professores, pesquisadores e profissionais de jornalismo e ainda o II COLÓQUIO IBERO-AMERICANO DE ENSINO DE JORNALISMO, que reunirá pesquisadores e professores de Portugal, João Canavilhas; da Colômbia, Carlos Agudelo; da Argentina, Miguel Wiñaczki e do Brasil o professor Sérgio Gadini (UEPG). (Valéria
Tótaro/Divulgação, é uma das coordenadoras do encontro)

Modelos de todos os tempos


O Museu Metropolitano de Nova York prepara mostra sobre a moda e sua evolução os anos 50 aos dias de hoje. Além de vestidos de Balenciaga, Christian Dior, Donna Karan, Yves Saint Laurent o Armani e outros monstros mais do que sagrados da moda, estarão em exibição fotografias, vídeos, trabalhos editorias, publicidades etc. de modelos de todos os tempos. (Em País/Divulgação)

Pegadas de um milhão e meio de anos



Cientistas encontraram pegadas humanas de 1, 5 milhão de anos no Quênia, que revelam que os pés e o modo de andar de alguns dos primeiros hominídeos já eram bem parecidos com o do ser humano moderno.
As pegadas apresentam sinais de dedos pronunciadamente arqueados, curtos e alinhados, que diferem de pegadas mais antigas.
O tamanho e o espaçamento entre as pegadas - atribuídas ao Homo erectus - refletem a altura, o peso e o modo de caminhar do ser humano moderno.
A descoberta foi publicada na revista Science. É lembrou o jornalista Manoel Hygino dos Santos: Adão era negro...(Imagem: Science/Divulgação)

Banheiros pagos durante voo


A companhia aérea irlandesa Ryanair está analisando planos para cobrar dos passageiros o uso dos banheiros durante voo. O diretor executivo da companhia, Michael O'Leary, disse à BBC que a Ryanair está avaliando a possibilidade de instalar banheiros operados por moedas.
"Algo que analisamos no passado e estamos analisando de novo é a possibilidade de talvez instalar um espaço para depositar moedas na porta do banheiro", afirmou.

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

A Telesur e os planos de Obama


A menina da arte de rua


Menina britânica de 11 anos está sendo chamada de "a jovem Picasso da arte de rua" por causa de seus trabalhos de graffiti.
Solveig, que mora na cidade litorânea de Brighton, começou a pintar muros perto de sua casa aos 8 anos.
"Eu já gostava de desenhar. Até que um dia vi um pessoal pintando, pedi para fazer também e adorei", disse ela à BBC Brasil.
Agora, ela é convidada por grafiteiros para participar de pinturas em Londres e outras grandes cidades britânicas. "Todo mundo nesse meio é adulto. Mas eles gostam de mim e me respeitam", afirmou. Ela chegou até a ser chamada para tatuar um personagem na perna de um fã.
Berlim e Brasil
Os graffitis de Solveig são caracterizados pelas cores fortes e os desenhos bem delineados. Muitos dos trabalhos consistem apenas no nome da artista. Outras vezes, apenas as letras "S", "O" e "L" aparecem.
Ela costuma assinar as obras e colocar a idade que tinha quando pintou.
A menina também costuma posar ao lado das pinturas e deixar as fotos em seu site na internet.
Entre seus trabalhos preferidos, está uma pintura em um trecho das ruínas do Muro de Berlim. "É uma sensação estranha pintar um muro onde as pessoas levavam tiros se tentassem pular para o outro lado", escreveu ela em seu site.
Há dois anos, Solveig e a família estiveram de férias em Natal (RN). "Eu tive vontade de pintar um muro lá, mas não encontramos tinta nem um local legal", contou ela à BBC Brasil.

"Malvinas-Crônicas de Guerra"


O jornalista Fernando Zuba lança, dia 13 de abril, no Automóvel Clube, seu livro Malvinas-Crônicas de Guerra. A promoção é da Academia Montesclarense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico de Montes Claros e da Reitoria da Unimontes. Sobre o assunto, o colunista do Hoje em Dia Manoel Hygino dos Santos, que prefacia a obra, afirma que "Fernando Zuba bem poderia ser seu personagem. Encanto, humor, texto refinado e senso de responsabilidade nunca lhe faltaram.l É um verdadeiro contemporâneo de seu tempo."(Fernando Zuba, segundo da esquerda para a direita, junto com antigos colegas de jornalismo, numa foto de Jaime Barra, colocada no blog de Synfrônio Veiga)

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

A vida da família de Obama


A primeira-dama dos EUA, Michelle Obama dá entrevista à revista People que circula na sexta-feria dia 27, quando revela que o ccachorrinho que as meninas pediram chegará em abril na Casa Branca. Será um água português, da mesma raça do que o senador Ted Kennedy possui e que não provoca qualquer tipo de alergia, problema de Malia, uma das duas filhas do casal Michele-Barack Obama. O site da revista adianta parte da entrevista em que Michelle diz ter pedido ao pessoal da Casa Branca que não facilite as coisas para as meninas, Sasha e Malia. Elas fazem suas camas, arrumam seus quartos, e, após as refeiçôes, lavam os pratos. Em compensação as garotas podem andar por toda a Casa Branca, entrando até no Salão Oval, reservado para despachos. (People/Divulgação

Trabalhar demais também pira!

Pesquisa liderada por cientistas finlandeses sugere que excesso de trabalho pode aumentar o risco de declínio mental e, possivelmente, de demência.
Demência é um termo genérico que descreve a deterioração de funções como memória, linguagem, orientação e julgamento. Existem vários tipos de demência, mas o mal de Alzheimer, com dois terços dos casos, é a forma mais comum.
O estudo analisou 2.214 funcionários públicos britânicos de meia idade e descobriu que aqueles que trabalhavam mais de 55 horas por semana tinham menos habilidades mentais do que os que faziam o horário normal.
A pesquisa, divulgada na publicação científica American Journal of Epidemiology, descobriu que os que trabalhavam demais tinham problemas com a memória de curto prazo e lembrança de palavras.

Nesta sexta é dia do César


As atenções dos vidrados em cinema etarão voltadas neste 27 de fevereiro para o Teatro Chatelet, de Paris, onde se realiza a 34a edição do César, o Oscar da cinematografia francesa. A atriz britânica Kristin Scott Thomas é fortíssima candidata ao prêmio principal por sua atuação em Il. Cath erine Frot (Lhe crime é notre affaire), Yolande Moreau (Séraphine), Sylvie Testud (Sagan) e a também britânica Chama Swinton (Julia), concorrem com ela.
Pelo lado masculino aparecem entre os nominados Vincent Cassel (Mesrine), Francois-Xavier Demaison (Coluche), Albert Dupontel (Deux jours a tuer), Jacques Gamblin (Lhe premier jour du reste da vie) e Guillaume Depardieu (Versailles).
O filho de Gérard Depardieu, falecido no passado ano como conseqüência de uma pneumonia fulminante, é favorito para obter ao menos um César póstumo por sua carreira após tecer uma trajetória irregular, mas ascendente. (Imagem Picasa : Guilhaume Depardieu com Catherine Deneuve)

Palestra entremeada com mágicas


Um bom programa para o dia 3 de março: Palestra Motivacional no Teatro da Biblioteca Pública de Belo Horizonte. O palestrante será o ortopedista, professor e mágico Arnóbio Moreira Félix, sobre os temas:
- Liderança Mágica e Competência Gerencial;
- Qualidade de Vida;
- Equipes Vencedoras.
O objetivo deste trabalho é apresentar fragmentos das minhas palestras às pessoas amigas, empresários, gestores, profissionais de RH, imprensa etc.
A palestra acontecerá às 19h30. com 2h de duração.
O dr.Arnóbio realiza mágicas durante a exposição dos temas, agregando humor, descontração, didática e fixação do conteúdo palestrado. Os ingressos custam 50 reais. Os promotores estão solicitando a doação de um quilo de alimento não perecível para fins de doação e ação social. A entidade beneficiada é a Pastoral da Criança do Bairro São Gabriel, em BH.

Reservas:
32950109
99310967 com Ariadne

Causos, Cordas e Cordéis



Tadeu Martins reúne amigos, admiradores, colegas de sauna e da Belotur dia 9 às 7 da noite no restaurante Maria das Tranças, na Rua Professor Morais, 158, bairro Funcionários. Na ocasião estará lançando o CD Causos, Cordas e Cordéis, pela Editora Pedra Verde. "TEmas como cultura, pol[itica, filosofia e religião constituem o recheio desse aprazível trabalho", escreve Tatiana Martins Mendes, no convite assinado pela Editora Pedra Verde e pelo Maria das Tranças, filial do Funcionários. (Reprodução/Divulgação)

Menina de 14 anos pede divórcio


Uma adolescente de 14 anos se transformou na mais jovem divorciada de Israel, segundo a imprensa local.
A menina, que não teve o nome divulgado mas é residente de Jerusalém, tinha se casado com um adolescente de 17 anos. Os dois recitaram seus votos de casamento para amigos e a jovem recebeu um anel.
O casamento foi validado por uma corte religiosa, por ter seguido todas as exigências das leis judaicas: o casal recitou os votos de casamento, eles trocaram um item de valor e consumaram o relacionamento.
Segundo o repórter da BBC Sebastian Usher, quando os pais dos adolescentes descobriram sobre o casamento, insistiram no divórcio religioso.
Inicialmente a adolescente teria recusado a separação, afirmando que queria morar com o jovem. Ela teria afirmado que queria um casamento oficial quando ficasse mais velha.
Segundo a imprensa israelense, a adolescente mudou de ideia quando os pais do menino ofereceram dinheiro.
A Corte Religiosa de Jerusalém já deu início aos procedimentos de divórcio. (BBCBrasil)

Inconstitucional a Lei da Caducidade

A Assembleia Geral do Congresso do Uruguai votou nesta quarta-feira pela inconstitucionalidade da chamada Lei de Caducidade, que anistiou militares e policiais acusados de violações aos direitos humanos durante o período da ditadura militar no país, entre 1973 e 1985.
O resultado, aprovado em uma sessão conjunta de deputados e senadores por 69 votos a dois, respalda um pedido do presidente uruguaio, Tabaré Vázquez, para que a lei fosse declarada inconstitucional para um caso específico, de uma jovem torturada e morta durante a ditadura.
A última palavra sobre a inconstitucionalidade ou não da lei será da Suprema Corte de Justiça e poderá abrir caminho, na opinião de parlamentares da oposição e do governo, para a reabertura de outros casos de abusos cometidos durante a ditadura.
A Suprema Corte tem 110 dias para se pronunciar sobre o tema.(Márcia Carmo, para a BBCBrasil)

ACLU DENUNCIA TORTURAS


A União Americana de Liberdades Civis (ACLU) publicou trechos previamente classificados de um relatório do governo sobre duras técnicas de interrogatório utilizadas no Iraque, Afeganistão e Guantánamo. Essas páginas sobre as quais não se tinha informado antes detalham o repetido uso de conduta "abusiva", inclusive até chegar à morte de prisioneiros.
Os documentos, obtidos pela ACLU graças a um pedido segundo a Lei de Liberdade da Informação (FOIA), contêm um relatório do vice-almirante Albert T. Church, a quem se recorreu para realizar um estudo exaustivo das operações de interrogatório do Departamento de Defesa. Church qualifica especificamente os interrogatórios na base Aérea Bagram no Afeganistão de "claramente abusivos e evidentemente não ajustados a nenhuma política ou instrução aprovada para interrogatórios".
A publicação da ACLU apareceu no mesmo dia em que ocorreu uma importante descarga de documentos segundo a FOIA por parte de outros três importantes grupos de direitos humanos. Documentos que revelam que o Pentágono dirigiu prisões secretas em Bagram e no Iraque, que cooperou com o programa de "detenções fantasma" da CIA e que o pessoal de Defesa retardou a libertação de um prisioneiro para evitar má publicidade.
"Em ambos os casos, por exemplo, (os prisioneiros) foram algemados a objetos fixados acima de suas cabeças a fim de mantê-los acordados", expõe o documento. "Além disso, nos dois incidentes, os interrogatórios envolveram o uso de violência física, inclusive chutes, espancamentos e o uso de ‘espancamento e submissão’ que envolveram pancadas nas pernas (dos prisioneiros) com os joelhos (dos interrogadores). Nos dois casos, a lesão traumática contundente em suas pernas teve a ver com suas mortes. Num caso, uma embolia pulmonar se desenvolveu como conseqüência da lesão traumática contundente, e no outro caso uma doença de artéria coronária foi complicada pela lesão traumática contundente".
Num comunicado de imprensa, a ACLU resumiu os documentos como um detalhe de: "(Uma) investigação de duas mortes em Bagram. Determinou-se que os dois detentos tinham sido mortos por embolia pulmonar causada como resultado de estar em pé algemados, privados de sono, e de dezenas de pancadas por guardas e possivelmente interrogadores. (Também revela o uso de tortura na ilegal base de Guantánamo e em prisões estadunidense-afegãs em Cabul). Imagens: Reprodução de página do Granma

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

A princesa e o plebeu


A Corte Real da Suécia anunciou na terça-feira que a princesa Victoria, herdeira do trono, vai se casar com seu antigo personal trainer, Daniel Westling.
A união está prevista para ocorrer em meados de 2010.
Os dois se conheceram em 2002, quando ele foi contratado para ser seu personal trainer em uma academia. Na época, Victoria vinha tentando combater distúrbios de alimentação.
"Com Daniel ao meu lado, eu me sinto segura", disse a princesa em um vídeo divulgado pela família real para o anúncio do noivado. "Vocês provavelmente perceberam que nos últimos anos estou mais forte e mais feliz."
"Agora chegou a hora de preparar o início de algo que será só nosso e de começar nossa própria família", declarou Victoria.
Westling, de 35 anos, nasceu e cresceu em um vilarejo do interior da Suécia. Hoje é dono de uma rede de academias de ginástica.
Depois do casamento, ele ganhará o título de príncipe-consorte Daniel, duque de Västergötland.
No vídeo divulgado pela família real, o empresário diz que seu papel principal será o de dar apoio à princesa, mas que espera um dia poder cumprir sua função de representante do Estado.
"Farei tudo que puder para cumprir as expectativas", afirmou.A Corte Real da Suécia anunciou na terça-feira que a princesa Victoria, herdeira do trono, vai se casar com seu antigo personal trainer, Daniel Westling.
A união está prevista para ocorrer em meados de 2010.
Os dois se conheceram em 2002, quando ele foi contratado para ser seu personal trainer em uma academia. Na época, Victoria vinha tentando combater distúrbios de alimentação.
"Com Daniel ao meu lado, eu me sinto segura", disse a princesa em um vídeo divulgado pela família real para o anúncio do noivado. "Vocês provavelmente perceberam que nos últimos anos estou mais forte e mais feliz."
"Agora chegou a hora de preparar o início de algo que será só nosso e de começar nossa própria família", declarou Victoria.
'Expectativas'
Westling, de 35 anos, nasceu e cresceu em um vilarejo do interior da Suécia. Hoje é dono de uma rede de academias de ginástica.
Depois do casamento, ele ganhará o título de príncipe-consorte Daniel, duque de Västergötland.
No vídeo divulgado pela família real, o empresário diz que seu papel principal será o de dar apoio à princesa, mas que espera um dia poder cumprir sua função de representante do Estado.
"Farei tudo que puder para cumprir as expectativas", afirmou.(BBCBrasil/Divulgação)

terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

Obama fala sobre a crise


O presidente Barack Obama faria hoje a noite o primeiro discurso, perante o Congresso, 36 dias após assumir o governo.O encontro com os congressistas sucede o acontecido com empresários, sindicalistas e outras pessoas influentes no país numa discussão sobre a crise econômica. O jornal The Washington Post publicou pesquisa mostrando que 68% da população confia nas medidas anunciadas por Obama para conter a crise.(ilustração de Josetxo Escurra/Telesur)

A música dos que não conseguem vez


Nas telas da Al-Jazeera,a TV árabe, docuentarário em seis capítulos, um por dia, enfocando a música surgida de denúncias da pobreza em favelas do Rio de Janeiro, Cabo Verde, subúrbios de Londres, Nigéria, Moçambique, e no Sul do deserto do Sahara.(TV Al-Jazeera/Divulgação)

Tortura é crime contra a humanidade


Juizado federal da Argentina acaba de considar crime contra a humanidade os praticados na época da ditadura militar. O general Jorge Videla(foto Telesur), um dos comandantes miitares da época, deverá continuar preso, segundo informa a TV Telesur.
No Brasil, "em 1979, a Anistia e a democratização do país eram aspirações nacionais e empolgaram o país. Mesmo com “biônicos”, e maioria fruto de leis casuísticas, o projeto democrático de Anistia ampla, geral e irrestrita foi derrotado por apenas oito votos em 22 de agosto de 1979. O preço para a volta dos exilados foi a exclusão dos “crimes de sangue”, a proibição de falar em torturas, mortes e desaparecimentos e das perseguições e demissões laborais. Através do artifício dos “crimes conexos”a Lei de Anistia buscou acobertar crimes imperdoáveis, praticados pelo Estado. Por isso, o timoreiro da Anistia, Theotônio Vilela, queixou-se amargamente ao dizer que a ditadura serviu-se da Anistia para não responder pelos seus crimes.
Só em 1988, com a promulgação da Constituição democrática, através do ADCT, ficou garantida a reparação econômica pelas perdas sofridas durante os “anos de chumbo”. Mesmo assim, só em 2002, 14 anos depois, a Lei 10.559 conferiu eficácia plena ao direito constitucional. E, só em 1995 o Estado brasileiro reconhece sua responsabilidade pelas mortes e desaparecimentos de arquivos e mais uma vez rejeitando a responsabilização criminal dos torturadores.
Passados quase trinta nos do primeiro passo, que foi a Anistia restrita, é hora de dar novos passos, de completar a obra.
Em primeiro lugar, dos 163 desaparecidos registrados no livro “Direito à Memória e à Verdade”, editado pelo Estado brasileiro em 2007, só três foram localizados e reconhecidos. É uma ferida aberta e um problema de todos e não só das famílias que não tiveram o direito sagrado de enterrar seus mortos". (Documento do ano passado sobre a anistia no Brasil, tirado depois de dois dias de reuniões em BH, uma no Crea e a segunda no Colégio Izabella Henrix).

A crise atinge a Newsweek


A seguda maior revista dos EUA, a Newsweek está sendo afetada pela crise econômica. Seus editores, como Ion Meach, afirmam que a publicação passará por uma reforma que abrangirá sua apresentação, papel e até redacional. Meach disse ao The New York Times que chegqou o fim das coberturas öbrigatórias". Se não houver temas exclusivos a revista não publicará nada.

A Paranóia de Narciso


Isabel La Font anuncia em El País a publicação, na Espanha, de Paranóia de Narciso, livro em que Salvador Dali explica o quadro do mesmo nome. Contrariando o que a medicina classifica como paranóia,o genial Dali diz que o pretenso mal contribuiu para sua inspiração...(Com El País/Divulgação

UMA NOITE NA ESPANHA


Nestes tempos de globalização um programa interessante no La Taberna, conhecida casa de espetáculos na Savassi. Dia 14 de março será realizada no local Uma Noite na Espanha com espetáculos de dança Flamenca e comida típica. A boa pedida inclui gaspacho andaluz, paella marinera e horchata de amêndoas (uma espécie de refresco). As reservas já podem ser feitas, pelos telefones 25159279 e 91041472, informa o proprietário da casa, conhecido artista plástico Carlos Carretero.

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

Volta de Guantánamo


O ex-prisioneiro norte-americano Binyan Mohamed, de nacionalidade etíope, 30 anos, ex-residente em Londres, chegou ä capital britânica segunda-feira, após ser libertado da prisão de Guantánamo, em Cuba. Capturado em 2002, no Afeganistão, Mohamed disse ter sido torturado e abusado por agentes estrageiros tanto no Afeganistão quanto no Marrocos, antes de ser levado para a prisão dos EUA em Guantánamo. (Imagem :TV Al-Jazeera)

Indenização às vítimas de torturas


Boa notícia para os mineiros que aguardam indenização por terem sido torturados durante a xitadura militar. Dos 48 processos que estavam em diligêcia, o ano passado, já foram deferidos 47. Apenas um, portanto, está aguardando despacho. O interessado precisa esperar que venham informações mais detalhadas da Penitenciária de Juiz de Fora. O Conselho Estadual de Defesa dos Direitos Humanos está interessado em que todos recebam o mais breve possível a indenização a que têm direito, segundo a lei aprovada em 2000, no governo do então governador Itamar Caurieiro Franco. A Secrfetaria de Desenvolvimento Social só está aguardando que seja disponilizada a verba para que todos recebam. É possível que até agosto todo mundo seja contemplado, quando das comemorações dos 20 anos da anistia política no Brasil. (Memorial da Anistia, em São Paulo/Divulgação)

Trabalhos acadêmicos sobre anistia

A Comissão de Anistia publicou edital de seleção de artigos acadêmicos para publicação nos primeiros volumes da Revista da Anistia Política no Brasil. Os trabalhos serão recebidos até o dia 6 de abril, no e-mail revistaanistia@mj.gov.br, e deverão versar sobre a “anistia política” e/ou “justiça de transição”, no Brasil e no exterior. Serão aceitos textos em português, inglês e espanhol.

Norte-americanos estão pessimistas



Leio no noticiário da Prensa Latina que 73% dos norte-americanos se confessam precupados com a situação de seu país diante da crise econômica mundial. A pesquisa foi encomendada pela Cable News Network, junto com a Opinion Reserch Cirporation. No mesmo dia, outro nociciário, o do Estadão, diz que a Bolsa de Nova York teve sua maior baixa em 12 anos. É a situação está cada vez pior...Do jeito que as coisas ão, a China vai ter que desdobrar-se para salvar o que resta do capitalismo neste lado do mundo outrora dito de "Ocidental e Cristão"...

Havana discutirá crise mundial


Havana será sede do XI Encontro Internacional de Economistas sobre Globalização e Desensolvimento, de 2 a 6 de março. Esther Aguilera, vice-presidente da Associação Nacional de Economistas e Contadores de Cuba, disse ao jornal Granma que o evento será uma oportunidade excepcional para discussão da crise económica , seus impactos e alternativas. Numerosas personalidades estão sendo esperadas emCuba, dentre elas três Prêmios Nobel de Economia, chefes de Estado e de Governo, deputados, senadores e estudantes de Economia, além de representantes do FMI, do Banco Mundial e de outras instituições ligadas ao tema. Os estudantes de Economia aproveitarão o acontecimento para realizar seu encontro internacional. (Imagem: Falco/Telesur

Sean Penn, melhor ator


San Just Penn, ator e diretor norte-americano,militante político pacifista, ganhou o Ocar de MelhorAtor, por sua participação em Milk. O file retrataavida de um político gay de seu país. Ao receber a estatueta, no Kodak Theatre, em Hollywood, Penn transformou seu discurso de agradecimento em um manifesto contra todo tipo de discriminação. O detalhe é que, pouco antes de a TNT transmitir a festa da Academy, a apresentadora da Band News , Milena Machado, insistia em dizer que a festa se realizaria em Las Vegas...(Sean Penn em Milk/ Divulgação)

Quem quer ser um milionário?


Os indianos comemoram nesta segunda-feira o sucesso do filme Quem Quer Ser Um Milionário?, produção britânica rodada na Índia que venceu oito Oscars na noite de domingo, incluindo na categoria de Melhor Filme.
Na favela de Dharavi em Mumbai, onde se passa parte do filme, os moradores acompanharam a cerimônia do Oscar com uma festa ao longo da madrugada, transmitida ao vivo pelas principais emissoras de notícias da Índia.
O ápice da festa se deu por volta das 9h00 da manhã, horário local, quando Steven Spielberg anunciou que Quem Quer Ser Um Milionário? vencera na categoria de Melhor Filme. Os moradores também vibraram com o discurso do britânico Danny Boyle, premiado como Melhor Diretor na cerimônia, agradecendo à cidade.
Em Nova Délhi, o primeiro-ministro indiano Manmohan Singh parabenizou a equipe do filme pela conquista do Oscar, com especial atenção para os três indianos premiados na cerimônia em Los Angeles. O músico A R Rahman ganhou dois Oscars - de Melhor Trilha Sonora e Melhor Canção (Jai Ho). Resul Pookutty e Gulzar ganharam nas categorias de Efeitos Sonoros e Canção Original. O diretor de Slumdog Millionaire (Quem quer ser um milionário?, o inglês Danny Boyle, fala sobre o grande vencedor do Oscar de 2009/Divulgação

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

A crise e os trabalhadores

Igor Grabois (*)
O capitalismo vive uma crise no mundo inteiro e os donos do capital tentam resolver essa crise às custas dos trabalhadores. As taxas de lucro caem, os capitalistas paralisam investimentos, freando a expansão do capital. O que ocorre nos momentos de crise é uma grande destruição do capital, seja ele na forma financeira - dinheiro, títulos, ações - seja na forma de mercadoria - máquinas, estoques, empresas. Com isso, o desemprego cresce e os capitalistas tentam rebaixar os salários, reduzindo os custos da força de trabalho.
Em nosso país, que vive a crise já há algum tempo, os capitalistas intensificam os ataques contra os trabalhadores. Diversos setores da economia estão demitindo, como a construção civil e o setor automotivo. Investimentos estão sendo cancelados, em função das restrições do crédito e da redução da demanda. Em dezembro, 650.000 empregos foram destruídos no Brasil. Depois de cerca de três anos de aumento, já é visível a redução da massa salarial, sinal dos efeitos da diminuição de postos de trabalho.
O desemprego é intrínseco ao sistema capitalista. Os capitalistas precisam manter, permanentemente, uma parcela dos trabalhadores desempregados, o chamado exército industrial de reserva. Isto é necessário para que aumente a concorrência entre os trabalhadores e os capitalistas possam pagar salários menores. Marx chamou este movimento de lei geral da acumulação capitalista. Em períodos de crise, os capitalistas demitem mais, por ruína econômica, mas também para disciplinar a classe trabalhadora em níveis maiores de exploração.
Governo e patrões, com o apoio das centrais governistas, sinalizam com um pacto social, que significa a retirada de direitos e redução de salários. Este pacto seria negociado por patrões, governo e sindicatos, onde todos teriam a sua cota de "sacrifício" em nome de um objetivo maior, a saída da crise. Mas os "sacrifícios" não seriam distribuídos de maneira igual. Para os patrões, incentivos, reduções de impostos e crédito subsidiado. Para os trabalhadores, a reforma trabalhista, o desemprego e a redução de salários. O sacrifício de todos, para resolver a crise, é na verdade o sacrifício dos que trabalham.
A crise pegou os trabalhadores em um momento de reorganização das suas forças, após a onda da reestruturação produtiva e a capitulação das suas organizações, notadamente a CUT. Após um semestre de ganhos nas principais campanhas salariais, a classe assiste á intensificação dos ataques. A reação do conjunto dos trabalhadores tem sido insuficiente. A Amsted-Maxion demitiu metade dos empregados nas unidades de Osasco, Campinas e Cruzeiro e os trabalhadores não ocuparam as fábricas. As demissões têm ocorrido diariamente sem que os sindicatos consigam fazer mais do que manifestações nas portas das empresas e editar notas, atividades necessárias, mas claramente insuficientes.
A experiência da terceirização e as demissões na reestruturação dos anos 90 marcaram profundamente a ação da classe. O conjunto dos trabalhadores tem consciência dos seus direitos e sabe o significado da crise para aqueles que tem o trabalho como meio de vida. O medo do desemprego atinge cada trabalhador individualmente. A única garantia dos trabalhadores é a sua luta. O capital aproveita a crise, que é real e profunda, para reduzir os direitos e aumentar exploração. A unidade dos trabalhadores é sua arma, sua defesa e garantia. Só com a unidade é possível barrar a ofensiva do capital. O capital pode derrotar cada trabalhador individualmente, mas terá muita dificuldade de se impor perante a frente unida dos trabalhadores.
Portanto, temos de dizer não às demissões, com a ocupação das empresas que demitem. Não podemos aceitar abrir mão de nenhum direito, pois isso significa aceitar mais exploração. Redução de jornada sem redução de salário, estabilidade no emprego, recomposição salarial devem ser as nossas bandeiras. E a nossa unidade é maior do que os operários de uma única empresa. Ela envolve toda a classe, empregados e desempregados, terceiros e precarizados. A nossa unidade é para lutar; não a unidade para conciliar e imobilizar a classe, daqueles que julgam falar em nome dos trabalhadores.
Não podemos embarcar no canto de sereia do pacto social e da conciliação de classe. À luta! (Trechos do artigo publicado no site do PCB)

* Igor Grabois é o Secretário Sindical Nacional do PCB, Partido Comunista Brasileiro. (Trechos do artigo publicado no site do PCB) A ilustração é de Tommy/Telesur/Divulgação

Solidariedade a Ana Paula

O Sindicato dos Jornalistas do Mato Grosso do Sul está realizando uma campanha de solidariedade à colega Ana Paula Cardoso, repórter da TV MS Record, que sofreu um acidente de carro no último 09, em Brasília. A jornalista está internada na UTI do hospital Sara Kubistchek, em estado grave. Ana Paula passava férias em Brasília e voltava de um passeio a Pirinópolis (GO), de carona, quando o motorista perdeu o controle do carro e o veículo capotou por várias vezes. Ninguém ficou ferido gravemente, a não ser a jornalista. Segundo informações que foram divulgadas pela TV e pelo site da emissora em Mato Grosso do Sul, ela deu entrada no Hospital de Base de Brasília em estado muito grave. Felizmente, o risco de morte foi logo descartado, mas o quadro ainda era muito delicado, pois o peso do automóvel havia caído sobre o corpo atingindo-lhe vértebras e ombros. Antes da internação no Sara, Ana Paula precisou fazer uma cirurgia no hospital Daher – Lago Sul para tentar recuperar os movimentos, principalmente das pernas. A intervenção durou cerca de 5 horas. Ocorre que o Daher - Lago Sul é privado e a cirurgia realizada não é coberta pelo SUS. De acordo com o site da TV MS Record, os custos chegariam ao valor aproximado de 200 mil reais. A família não tem condições de arcar com custos tão elevados. Por essa razão, familiares, colegas da TV e a direção do Sindicato do MS decidiram iniciar uma campanha de doações financeiras para cobrir as despesas com a cirurgia e o tratamento da jornalista. Foram disponibilizadas duas contas bancárias para aqueles que podem e querem contribuir. A direção da FENAJ está dando apoio local à colega.Os depósitos devem ser feitos no Banco BradescoAgência: 2634-4Conta Poupança: 1002989-9Em nome de Ana Paula Alves Cardoso. O depósito também pode ser feito no Banco do Brasil - agência 4313-3 - conta 4350-8, em nome de Rafaele Alves de Toledo (irmã da Ana Paula).

Fraternidade e Segurança Pública


"Fraternidade e Segurança Pública- A paz é Fruto da Jusiça", o tema da Campanha da Fraternidade este ano. O lançamento será dia 26, quarta-feira de cinzas, às 16h na Assembléia Legislativa de Minas Gerais, presente o arcebispo metropolitano de Belo Horizonhte, dom Walmor de Azevedo. (Imagem: Picasa)

Montadoras,sacos sem fundos?


(Charge do The Denver Post/Telesur)

Cuba tem novos vices-presidentes


Novas mudanças no Gabinete cubano foram anunciadas pelo presidente Raúl Castro Ruz na última quinta-feira. Destinam-se a incrementar as tarefas de administração na ilha. Foram promovidos a vice-presidentes os ministros de Co municações e Informática, Ramiro Valés; da Agricultura, Ulises Rosales del Toro e dos Transportes, Jorge Luis Sierra.
Nota Oficial
"O Conselho de Estado aprovou a proposta de seu presidente, após prévia consulta ao Bureau Político do Comitê Central do Partido, conforme a Constituição da República e com o objetivo de distribuir de uma maneira mais efetiva entre os membros do Comitê Executivo do Conselho de Ministros o atendimento, o controle e a coordenação dos organismos da Administração Central do Estado; concordou promover a vice-presidente do Conselho de Ministros os companheiros Ramiro Valdés Menéndez, Ulises Rosales del Toro e Jorge Luis Sierra Cruz, que continuarão desempenhando seus atuais responsabilidades a frente dos ministérios que dirigem e também lhes designarão proximamente o atendimento de outros organismos". (Juventud Rebelde/El País)

Fraldas usadas virarão telhas


Cidades britânicas poderão adotar um esquema para reciclar milhares de toneladas de fraldas descartáveis usadas, transformando-as em produtos que vão de telhas a capacetes para ciclistas.
O Metano a ser extraído as fraldas será transformado em gás, usado para a geração de energia. A primeira usina, em Birmigham, deverá entrar em operações em meados do próximo ano. Também estão previstas outras instalações do tipo nas cidades de Manchester, Liverpool e Londres até 2014.
A usina de Birmigham, que está avaliada em US$ 17 milhões, deverá processar 36 mil toneladas de fraldas descartáveis por ano, de acordo com sua operadora, a empresa canadense Knowaste.
As fraldas contém plásticos, fibras, celulose e polímeros absorventes e, de cada tonelada de fraldas reciclada, podem ser extraídos 400 quilos de celulose e 145 metros cúbicos de gás, segundo a Knowaste.(Com a BBCBrasil/Divulgação)

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Julgamento de iraquiano será dia 12


O julgamento do jornalista iraquiano que jogou sapato no então presidente dos EUA, George Walker Bush, será no dia 12 próximo. Os jornalistas de todo o mundo deveriam se unir numa manifestação de solidariedade a Muntazer al-Zeidi. O gesto, em protesto contra a guerra no Iraque, repercutiu em todo o mundo e deve ser relembrado por todos os que defendem a paz, a coexistência pacífica entre os povos.(Imagem:TV Al-Jazeera)

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Fátima saiu-se muito bem no mestrado





“ Exatos dois anos depois (dia 6 de fevereiro) defendi minha dissertação regada (antes de enfrentar a banca) de muita lágrima e nervosismo. Mas quem está perto de amigos e companheiros doutores como Mozair Salomão Bruck, jornalista de tantas matérias pelas ruas da vida, do cuidadoso coordenador do mestrado Alexandre Simões e da delicada orientadora africana Ana Mônica Henriques Lopes pode falar de boca cheia: “ Tens vaga pra moça de fino trato, mestra em Educação, Cultura e Organizações Sociais? Eu estou pronta!” A jornalista Fátima de Oliveira falando sobre a conclusão de seu mestrado em Cultura, Educação e Organizações Sociais na Universidade Estadual de Minas Gerais, emDivinópolis. (Da esquerda para a direita os professores doutores Alexandre Simões e Mozair Salomão Bruck, a nova mestra, Fátima de Oliveira e a professora doutora angolana Mônica Lopes) . Na foto ä esquerda, parantes da Fátima que, saídos de Piumhi e de Arcos, foram assisir a defesa da tese.

Um casamento muito louco!

Realizado no leste da Índia o casamento de um menino de dois aninhos com a cadela de seus vizinhos. De acordo com testemunhas, os moradores do vilarejo acham que isso impedirá que o menino seja morto por animais selvagens.Cerca de 150 tribais realizaram o ritual recentemente num povoado no distrito de Jajpur, no Estado de Orissa, depois de um dente ter nascido na gengiva superior do menino. "Realizamos o casamento porque isso vai superar qualquer maldição que possa cair sobre a criança e sobre nós", teria dito o pai do menino, Sanarumala Munda, segundo um jornal local.O noivo, Sagula, foi carregado por sua família em procissão até o templo do povoado, onde um sacerdote oficiou o casamento entre Sagula e sua "noiva", Jyoti, cantando hinos em sânscrito, segundo uma testemunha.Em seguida, os moradores do vilarejo festejaram o casamento com quitutes e bebidas alcoólicas. (Com o IG)

Professores em greve


Professores da UNI-BH iniciaram greve por tempo indeterminado. Na assembléia que realizam dia 16, eles colocaram nariz de palhaço, manifestando sua indignação com a transferência do UNI-BH para o Grupo Ânima. Também exigem "uma proposta concreta para o acerto dos salários e encargos em atraso e a regularizaçõ do passivo trabalhista", diz o boletim Intervalo, do Sindicato dos Professores do Estado de Minas Gerais.
"Os professores estão com salários atrasados e, mesmo com uma proposta verbal de quitação até maio, não há garantias ou acordo legal sobre o papagamento das resilições, encargos trabalhistas e ações na Justiça", diz também o Intervalo. (Sinpro/Divulgação

O caso Paula Oliveira e a imprensa



Rui Martins(*)

Berna (Suiça) - A moça brasileira tinha seus problemas e provavelmente se autoflagelou. É triste. Mais triste é o quadro da nossa imprensa irresponsável que mobilizou o país, levou o ministro das relações exteriores Celso Amorim a criticar um país amigo e Lula a quase criar um caso diplomático.
É hora de denunciar a nossa grande imprensa sem deontologia, sem investigação, que afirma e desafirma sem qualquer cuidado e sem checar as notícias. A agressão racista contra Paula Oliveira não foi um noticiário iniciado em Zurique, local da suposta agressão. Estourou no Brasil, detonada por um pai – e isso é muito compreensível – preocupado com sua filha distante. E a maior rede de televisão do Brasil, a Globo, vista por mais de uma centena de milhões de brasileiros, não teve dúvidas em transformar o caso na grande manchete do dia, fazendo com que outros milhões de brasileiros, no Exterior, já acuados pela Diretiva do Retorno, se solidarizassem e imaginassem passeatas e manifestações.
Essa é a maior barriga da história do nosso jornalismo, que revela o descalabro a que chegamos em termos de informação ou desinformação. Equivale ao conto do vigário do Madoff, ou das subprimes do mercado imobiliário americano. Só que o Madoff está preso, mesmo sendo prisão domiciliar e vivemos uma crise econômica, em consequência dos desmandos dos bancos americanos. Mas o que vai acontecer com a televisão Globo e todos quantos foram atrás ? Nada, vai ficar por isso mesmo. Como um órgão de imprensa de tanta penetração pode se permitir divulgar com estardalhaço um noticiário de muitos minutos, reproduzido online, repicado por jornais, rádios e copiado por outras televisões sem primeiro checar no local?
Que jornalismo é esse que se faz sem qualquer investigação, sem se ouvir as partes envolvidas? Sem deslocar antes um repórter para Zurique e entrevistar também o policial responsável pela ocorrência? Sem ouvir a própria envolvida, fiando-se apenas no relato de um pai desesperado? Sem pedir a opinião de um especialista em ferimentos e escoriações? Quem vai pagar o dano moral causado a essa jovem, que sem querer se tornou primeira página nos jornais? Quem vai desfazer o ridículo a que se submeteu o nosso ministro Celso Amorim, que, baseado num noticiário de foca em jornalismo, sem ouvir acusação e acusado, ofendeu um país amigo exigindo que prestasse contas em Brasília por um noticiário tipo cheque sem fundo?
Quem assume o fato de quase levar nosso presidente a ficar vermelho de vergonha por se basear em noticiário sem crédito, com o mesmo valor de uma ação do banco Lehmann? E mais – o dano sofrido pela Suíça, em termos de imagem, justamente quando seu povo tinha justamente votado em favor dos imigrantes, quem vai reparar? Essa barriga da Globo, secundada pela grande imprensa, é prova do que se vem dizendo há algum tempo – não há credibilidade nessa mídia. Publica-se, transmite-se qualquer coisa, e quanto mais sensacionalista, melhor.
Não há responsabilidde no caso de erros, de noticiário mentiroso, vale tudo, o papel aceita tudo, a televisão transmite qualquer coisa, desde que dê Ibope – e existe melhor coisa que nacionalismo ofendido? É o que os franceses chamam de "presse de boulevard", mentirosa, tendenciosa, com a opinião ao sabor das publicidades. Sem jornalismo investigativo, sem confirmar as fontes, sem ouvir as opiniões divergentes. Vão pedir a cabeça do redador-chefe? Não, assim que se recuperarem da barriga, da irresponsabilidade cometida, da vergonha diante dos colegas, vão jogar tudo em cima da pobre jovem, que deve ter seus problemas e que a nós não compete saber, isso é vida privada, não é Big Brother. É essa mesma imprensa marrom, que induz nossos dirigentes ao erro, que também publica qualquer coisa contra o que chamam de “assassino desalmado” Cesare Battisti.
A irresponsabilidade da imprensa é o pior inimigo da liberdade de imprensa, porque pode provocar reações legislativas limitando os descalabros cometidos. Escrever num jornal, falar numa rádio ou numa televisão e mesmo manter um blog constitui uma responsabilidade social. Não se pode valer dessa posição para se difundir boatos, nem inverdades, nem ouvir-dizer, é preciso ir checar, levantar o fato, mencionar ou desfazer as dúvidas e suspeitas existentes. É também preciso se garantir o direito de ser mencionada a versão da parte acusada para evitar a notícia tendenciosa.
A barriga da Globo vai ficar na história do nosso jornalismo, será sempre lembrada nos cursos de comunicação, tornou-se antológica, e nela estão entalhadas, por autoflagelação, as palvras que a norteiam – sensacionalismo, irresponsabilidade e abuso do seu poder. Existem, sim, problemas contra nossos emigrantes em diveros países, principalmente depois da criação da Diretiva do Retorno pelo italiano Silvio Berlusconi. Diariamente brasileiros são presos e mandados de volta, na Espanha, mas isso não mobiliza a nossa imprensa, não dá Ibope.

(*) Ex-correspondente do Estadão e da CBN, após exílio na França. Autor de "O dinheiro sujo da corrupção", sobre a Suíça e Maluf. Crio os Brasileirinhos Apátridas e propõe o Estado dos Emigrantes. Vive na Suíça, colabora para os jornais portugueses Público e Expresso. (Fonte: FNDC) -Transcrito do Site do SJPMG.

Juízes em greve na Espanha


Juízes espanhóis entraram hoje em greve por melhores condições de trabalho. Em várias cidades somente são atendidos casos urgentes. As informações sobre o número de magistrados paralisados ainda são desencontradas. O jornal El País, contudo, calcula que 2.200, dentre os 3.000 juízes tenham entrado em greve. Informações oficiais procuram minimizar o movimento, afirmando que, destes números, pelo menos 500 estariam inativos, isto é, aposentados. (Le Monde/EFE/El País)

PCB, para principiantes e curiosos


O Partido Comunista Brasileiro está disponibilizando em seu site um curso de formação política que inclui noções gerais de marxismo-lenilismo, estratégia e tática dos comunistas e um resumo da história do PCB, criado durante congresso realizado em 25 de março de 1922, no Rio de Janeiro e em Niterói.
É provável que Minas Gerais não esteja contemplada no trabalho a que se propõe o Comitê Central do Partido, porém é rica a história dos comunistas mineiros, a começar pela vinda de Niterói para Belo Horizonte, de um dos iniciadores do Partido, José Costa, posteriormente empresário de comunicação, fundador do Informador Comercial-Diário do Comércio. Costa veio para BH com a missão de criar aqui o PCB, trabalhando inicialmente como empregado no comércio, depois se estabelecendo como representante comercial, antes de tornar-se vitorioso empreendedor de comunicação. O nome nacional do PCB, contudo, é o de seu ex-secretário-geral, Luís Carlos Prestes (foto). Atualmente o secretário-geral é Ivan Pinheiro.

Batman troca Gotham por Barcelona


Batman, o Cavaleiro do Dragão deve ser o nome da revista em quadrinhos que será lançada dia 19 de maio em Barcelona, no 27o. Salão do Humor da capital catalã. O velho morcego, nos últimos anos fazendo a alegria de crianças e adultos no cinema, graças aos modernos efeitos especiais, sobrevoa Barcelona na tentativa de desvendar uma série incrível de assassinatos. Os quadrinhos serão lançados inicialmente na Espanha e nos EUA. Mas é esperar um pouco para que os tenhamos também na revistaria mais próxima...Interessante porque, pela primeira vez, Batman deixará Gotham City e vai para Barcelona... A revista com 48 páginas, será um lançamento da Editora Agostini Cómic. (Com El País/Divulgação)

Para evitar perder a guerra


Por mais bem intencionado que seja, o presidente dos EUA, Barack Hussein Obama, não consegue desvincular seu governo dos falcões belicistas. Para evitar novo fiasco internacional, tal qual aconteceu no Vietnã, Tio Sam insiste em guerrear no Afeganistão, não bastando ter colocado à frente do poder em Cabul um de seus títeres, Hamid Karzai. Obama ordena o envio de mais 17 mil soldados...Mais dinheiro desperdiçado, enquanto a indústria automobilítica norte-americana não se contenta com os bilhões e bilhões de dólares que são carreados para seus cofres, numa prova de que a crise do capitalismo talvez nunca esteve tão séria...É hora de os EUA deixar seu célebre papel de gendarme do mundo.(Imagem: Al Jazeera)

Duzentos anos de Edgar Allan Poe




Milhões de admiradores de Edgar Allan Poe comemoram neste ano o 200º aniversário de nascimento do mestre do macabro. Nascido em 19 de janeiro de 1809, em Boston, Poe iniciou sua carreira literária aos 18 anos com a publicação de Tamerlane e outros poemas. Nos 22 anos seguintes, destacou-se como poeta, crítico e jornalista, mas, sobretudo foi mestre mundial do relato curto. Em 7 de outubro de 1849, morreu em Baltimore.(Com o Granma e Picasa)

Banheiros do Mundo


O banheiro público é o reflexo da cultura de uma sociedade e sua mera existência já indica o estágio da história de um povo. A limpeza, o conforto e a sua disseminação apontam para o patamar de uma civilização – não necessariamente superior ao de certas sociedades indígenas que desconhecem o conceito de banheiro. Duas canadenses, a fotógrafa Sian James e a psicóloga e escritora Morna E. Gregory se conheceram ainda jovens quando, para sobreviver, recolhiam esterco no centro equestre da cidade de Alberta. Elas rodaram o mundo colecionando imagens e histórias de banheiros e, em 2006, publicaram na Inglaterra o livro Banheiros do Mundo. (Sian James/Revista Piaui/Divulgação

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

482 homicídios de sindicalistas em 6 anos

Cláudia López (*)

As negociações comerciais da Colômbia com o novo governo dos Estados Unidos e a União Europeia reabrem a discussão sobre a trajetória trabalhista e sindical colombiana.Os dados e os fatos demonstram que na Colômbia tem persistido numa prática governamental e empresarial obstrutiva, e inclusive violenta, contra o sindicalismo.

Em nenhum outro país se registram 2.694 assassinatos de sindicalistas e um total de 9.911 violações à vida, à liberdade e à integridade deles nos últimos 23 anos.
Uma terça parte desses crimes, incluindo 482 homicídios, ocorreu nos seis anos de governo do presidente Álvaro Uribe — em três (2002, 2003 e 2004), o número de sindicalistas assassinados foi até maior que o de policiais.
Ser dirigente sindical na Colômbia, em particular da CUT, aumenta substancialmente o risco de ser assassinado.
O objetivo deliberado dessa agressão sistemática tem sido impedir a organização sindical e a negociação coletiva dos trabalhadores.
O resultado é que, de 18 milhões de trabalhadores, apenas 3 milhões podem sindicalizar-se — e, desses, somente 831.000 o fizeram.
Enquanto a população trabalhadora cresce, a sindicalizada se reduziu em 11% desde 1990. Em 1996 foram acordados 1.579 contratos coletivos que beneficiavam 462.641 trabalhadores.
Em 2006 só se acordaram 975, que beneficiaram 176.948 trabalhadores. Além da violência, a desregulação trabalhista tem contribuído com esse nefasto resultado.
A legislação laboral mudou para, de um lado, impor a existência de um contrato trabalhista como requisito para pertencer a um sindicato e, por outro, criar Cooperativas de Trabalho Associado, cujos sócios ou afiliados podem vender seu trabalho, mas não vinculados por contrato nem cobertos pela legislação trabalhista.

Deliberadamente, as cooperativas têm sido usadas como mecanismo predileto para engajar mão-de-obra, porque permite reduzir ou não cumprir o pagamento devido de salários e encargos e limitar o direito de sindicalização e negociação coletiva.
Esses fatos demonstram que o problema trabalhista na Colômbia não se reduz e nem sequer se centra na violência sindical, e, sim, que esta é parte de um padrão sistemático de degradação das condições laborais e sindicais.
Se o discurso sobre a democracia, os direitos humanos e o comércio justo é genuíno, as negociações comerciais deveriam comprometer o governo colombiano e os empresários nacionais e estrangeiros, que aspiram a benefícios dos Tratados de Livre Comércio, a que cumpram três requisitos:
1. Contratar diretamente seus trabalhadores;
2. Pagar integralmente os salários e os encargos legais;
3. Permitir a criação de sindicatos e negociações coletivas nas suas empresas.
Se uma empresa não cumpre esses requisitos, deve pagar tarifas mais altas e ter menor acesso aos mercados.
Se cumpre, pode se beneficiar de menores custos e maior acesso. Pôr os incentivos adequados sobre o caixa dos empresários é o que vai fazer com que mude a prática empresarial e governamental, e não fazer declarações vazias que ninguém escuta, nem segue.

Promover o comércio sem assegurar o cumprimento de direitos trabalhistas e sindicais é contra não só os interesses dos trabalhadores colombianos, como também dos norte-americanos e europeus, contra quem a permissividade com a violação de direitos humanos e sindicais, na Colômbia, usa-se como vantagem comercial comparativa — que destrói empregos bem pagos e regulados nos seus países, para criar empregos desregulados e ficticiamente baratos no nosso.
O que se está por ver nessas negociações comerciais é se os governos da Colômbia, da União Europeia e dos Estados Unidos são capazes de fazer coerentes seu discurso de direitos humanos e democracia com as suas práticas laborais e comerciais.

(*) Cláudia López é pesquisadora e analista política (Com O Globo /Sindicato dos Oficiais Alfaiates e Costureiras de BH)

Trabalho escravo em Minas Gerais



Antônio Carlos Francisco dos Santos


Na semana passada estive em Nanuque, minha terra natal, a convite do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústria da Alimentação, para proferir palestra à categoria, especialmente aos trabalhadores de um frigorífico local. Vivemos hoje uma realidade diferente dos tempos da chibata e da escravidão, mas parece que, para alguns, esse tempo ainda persiste, com trabalhadores sendo submetidos à excessiva jornada de trabalho, limitações de uso de banheiros, assédio moral etc, praticados por encarregados mal preparados para a função. Atualmente, quando o mundo inteiro, impulsionado pela Organização Internacional do Trabalho, discute o “trabalho decente”, faz-se necessário que a direção do frigorífico reveja suas atitudes, ainda mais que grande parte de seus produtos são importados e os organismos internacionais estão punindo empresas que usam tais práticas na produção de seus produtos. Pudemos constatar que os trabalhadores já não suportam tanta pressão, com vários afastados, em gozo de benefícios do INSS.


(*) Antonio Carlos Francisco dos Santos é presidente do Sindicato dos Alfaiates e Costureiras de BH

Solidão, tão nociva quanto o cigarro


O isolamento social prejudica a saúde e pode ser tão nocivo quanto fumar, de acordo com o pesquisador John Cacioppo, professor de psicologia da Universidade de Chicago e um dos mais renomados pesquisadores sobre solidão dos Estados Unidos.
Um novo estudo realizado por Cacioppo e outros pesquisadores da Universidade de Chicago indica que a solidão afeta o comportamento das pessoas e a forma como seus cérebros funcionam.
A pesquisa, apresentada durante a conferência anual da American Association for the Advancement of Science (AAAS), utilizou exames de ressonância magnética (fMRI) para estudar as conexões entre isolamento social e atividade cerebral.
Os especialistas verificaram que, em pessoas mais sociáveis, uma região do cérebro conhecida como estriato ventral ficou muito mais ativa quando elas observavam imagens de pessoas em situações agradáveis. O mesmo não ocorreu nos cérebros de pessoas solitárias. (BBCBrasil/Picasa)

Defensoria Pública e Regime Jurídico







O defensor público Gustavo Corgosinho Alves Meira , membro do Conselho Estadual de Defesa dos Direitos Humanos, e a Dictum Editora convidam para o lançamento do livro Defensoria Pública. Princípios Institucionais e Regime Jurídico, dia 19, às 18h30, na sede da Associação dos Defensores Públicos de Minas Gerais, ADEPMG , Rua Araguari, 358, Pilotis, Barro Preto

Como vencer a pobreza



Clarice Zeitel (*)

Onde já se viu tanto excesso de falta? Abundância de inexistência… Exagero de escassez… Contraditórios?? Então aí está! O novo nome do nosso país! Não pode haver sinônimo melhor para BRASIL.Porque o Brasil nada mais é do que o excesso de falta de caráter, a abundância de inexistência de solidariedade, o exagero de escassez de responsabilidade.O Brasil nada mais é do que uma combinação mal engendrada - e friamente sistematizada - de contradições.Há quem diga que ‘dos filhos deste solo és mãe gentil.’, mas eu digo que não é gentil e, muito menos, mãe. Pela definição que eu conheço de MÃE, o Brasil está mais para madrasta vil.A minha mãe não ‘tapa o sol com a peneira’. Não me daria, por exemplo, um lugar na universidade sem ter-me dado uma bela formação básica.E mesmo há 200 anos não me aboliria da escravidão se soubesse que me restaria a liberdade apenas para morrer de fome. Porque a minha mãe não iria querer me enganar, iludir. Ela me daria um verdadeiro PACote que fosse efetivo na resolução do problema, e que contivesse educação + liberdade + igualdade. Ela sabe que de nada me adianta ter educação pela metade, ou tê-la aprisionada pela falta de oportunidade, pela falta de escolha, acorrentada pela minha voz-nada-ativa. A minha mãe sabe que eu só vou crescer se a minha educação gerar liberdade e esta, por fim, igualdade. Uma segue a outra… Sem nenhuma contradição!É disso que o Brasil precisa: mudanças estruturais, revolucionárias, que quebrem esse sistema-esquema social montado; mudanças que não sejam hipócritas, mudanças que transformem!A mudança que nada muda é só mais uma contradição. Os governantes (às vezes) dão uns peixinhos, mas não ensinam a pescar. E a educação libertadora entra aí. O povo está tão paralisado pela ignorância que não sabe a que tem direito. Não aprendeu o que é ser cidadão.Porém, ainda nos falta um fator fundamental para o alcance da igualdade: nossa participação efetiva; as mudanças dentro do corpo burocrático do Estado não modificam a estrutura. As classes média e alta - tão confortavelmente situadas na pirâmide social - terão que fazer mais do que reclamar (o que só serve mesmo para aliviar nossa culpa)… Mas estão elas preparadas para isso?Eu acredito profundamente que só uma revolução estrutural, feita de dentro pra fora e que não exclua nada nem ninguém de seus efeitos, possa acabar com a pobreza e desigualdade no Brasil.Afinal, de que serve um governo que não administra? De que serve uma mãe que não afaga? E, finalmente, de que serve um Homem que não se posiciona?Talvez o sentido de nossa própria existência esteja ligado, justamente, a um posicionamento perante o mundo como um todo. Sem egoísmo. Cada um por todos…Algumas perguntas, quando auto-indagadas, se tornam elucidativas. Pergunte-se: quero ser pobre no Brasil? Filho de uma mãe gentil ou de uma madrasta vil? Ser tratado como cidadão ou excluído? Como gente… Ou como bicho?





(*) Clarice Zeitel Vianna Silva é estudante do último ano de Direito da UFRJ. Com esta redação ela venceu concurso da Unesco, concorrendo com 50 mil participantes de várias partes do mundo. É também dançarina do programa Caldeirão do Huck, da Rede Globo.(Unesco/Internet/Paparazzo/Divulgação

Arnaldo Jabor e o PMDB

" A entrevista de Jarbas Vasconcelos na revista "Veja’ desta semana é uma rara ilha de verdade nesse mar de mentiras em que naufragamos. Precisávamos dessas palavras indignadas que denunciam a rede de mediocridade política e de desagregação de poderes que assola o país, do Congresso ao Executivo. De dentro de casa, Jarbas berrou: "O PMDB é corrupto!" e mostrou como esse partido nos manipula, sob o guarda-chuva do marketing populista de Lula. O que Jarbas Vasconcelos atacou já era voz corrente entre jornalistas, inclusive o pobre diabo que vos fala. Mas sua explosão é legitima e incontestável, vinda de um dos fundadores do MDB, depois transformado nessa anomalia comandada pelo Sarney, que é o líder sereno e hábil da manutenção do atraso em nossas vidas" . (O Tempo-17/01/09)

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

HOLOCAUSTO, AUTOCRÍTICA FRANCESA


A mais alta corte de Justiça da França reconheceu formalmente, nesta segunda-feira, a responsabilidade do país na deportação de judeus durante a Segunda Guerra Mundial. Analistas dizem o anúncio do Conselho representa o maior reconhecimento das autoridades francesas da participação do país no Holocausto.
O Conselho de Estado disse que a França permitiu ou facilitou deportações que levaram à perseguição antissemita sem sofrer coerção dos nazistas, que controlaram a França de 1940 a 1944. Porém, o Conselho concluiu que já foram feitos os devidos reparos "na medida do possível, para todas as perdas sofridas", descartando assim qualquer tipo de compensação para deportados ou seus familiares.
Entre 1942 e 1944, cerca de 76 mil judeus foram deportados da França para campos de concentração nazistas pelo governo francês instalado pelos nazistas no centro-sul do país, com capital na cidade de Vichy.
O governo de Vichy dividiu entre 1940 e 1944 a administração do território da França com a própria Alemanha, que controlava Paris, o norte e o oeste do país.

O presidente dos Filhos e Filhas dos socrevimentes do Holocausto, Serge Klarsfeld, disse ao Le Figaro que a decisão do Conselho fatisfaz a entidade. (Com a Folha Online/Gloole)

O povo nas ruas comemora a vitória



O presidente da Venezuela, Hugo Rafael Chávez Frías, disse que a vitória de seu partido no referendo de domingo "representa uma vitória do povo, da revolução". Antes de iniciar seu discurso, cantou o el Hino Nacional da Venezuela, e esclamou com entusiasmo junto ao povo concentrado diante do balcão popular desde a tarde: "Qué viva a Revolução venezulana!, "Queviva o socialismo bolivariano!, Que viva o povo! Que viva Bolívar!"(Imagem:Telesur/Divulgação)