domingo, 21 de maio de 2017

Manifesto do povo Kaingang

                                                                            


Publicamos  um manifesto do povo Kaingang – traduzido para o português – distribuído aos milhares no acampamento Terra Livre, em Brasília, entre os dias 24 e 28 de abril. A guerra civil reacionária contra os povos indígenas tem gerado intensa e radical resistência destes povos, cuja expressão é este manifesto.

Manifesto da Nacionalidade Kaingang a todas as Nacionalidades Indígenas que integram o Povo Brasileiro, a todo o povo brasileiro, a todos os democratas e patriotas do nosso país

O capitalismo na era do imperialismo, da fusão do capital industrial com o capital bancário, dando origem ao capital financeiro e às bolsas de valores que mandam na economia mundial, é a era dos monopólios no nível mundial, a era da partilha e re-partilha do mundo entre um pequeno punhado de países imperialistas, é, por sua vez, a última fase do capitalismo, da decomposição total do sistema.

É a era da guerra total, onde atualmente a superpotência do USA tenta impor o seu modelo destruidor da natureza e da humanidade chamado de “democracia liberal”, que nada mais é do que uma cruel ditadura econômica, política e militar para toda a humanidade. 

Para se manter na dominação o USA gera guerras de rapina, de conquistas e de dominação, espalhando o terrorismo, a violência e a morte para milhões de pessoas inocentes em todas as regiões do mundo. A superpotência atômica Rússia se arma cada vez mais e se prepara para garantir seus interesses imperialistas. 

Diante da disputa entre as potências imperialistas pela partilha do mundo o começo de uma guerra de armas atômicas em escala mundial se torna cada vez mais ameaçador. É a ameaça de uma guerra que pode destruir o planeta. Só a resistência dos povos se organizando e desenvolvendo, em cada país dominado como colônia ou semi-colônia, as guerras justas de libertação nacional e as guerras populares podem conter e impedir que os imperialistas senhores da guerra sigam com a fome sanguinária destruindo tudo e todos para manter o regime capitalista de exploração do homem pelo homem.

Os intentos exploradores e destruidores do imperialismo dominam o nosso país. No Brasil temos um capitalismo burocrático, concebido e regido para servir aos interesses do imperialismo, tendo na burocracia do estado burguês-latifundiário uma máquina corrupta para exploração e opressão do povo brasileiro. 

As classes dominantes em nosso país são formadas pela grande burguesia e pelos latifundiários serviçais do imperialismo. São essas classes que mandam e controlam o gerenciamento do Estado. Para isso contam com o serviço sujo dos oportunistas e revisionistas dos “partidos” ditos de “esquerda” que participam da farsa eleitoral legitimando o sistema corrupto contra os brasileiros. 

Estes oportunistas buscam enganar as massas dizendo que “não há outro caminho se não seja o de participar das eleições e ganhar um carguinho no gerenciamento do Estado”. Com isso apregoam a conciliação de classe e praticam a capitulação diante do regime opressor. Os políticos corruptos de todos os “partidos” da farsa eleitoral, juntamente com os oportunistas, estão tramando um GRANDE ACORDÃO para tentar salvar o sistema em face das revelações da corrupção praticada por eles.

O gerente Temer e sua quadrilha são partes disso. É a continuidade de todo este sistema político corrupto, dos grandes burgueses e latifundiários serviçais do imperialismo. É um sistema doente terminal, podre, sem cura, que precisa ser destruído para a edificação de uma nova democracia, um novo sistema de poder das massas para as massas, uma nova economia e uma nova cultura. Michel Temer é um gerente vende-pátria, anti-indígena, que está cometendo os piores crimes contra o povo brasileiro com suas contra-reformas da educação, trabalhistas e previdenciárias. As ditas reformas de Temer são para retirar direitos do povo e favorecer aos banqueiros, aos latifundiários, à grande burguesia e ao imperialismo.

Os povos indígenas querem e necessitam da destruição do velho sistema burocrático e lutam pela construção do novo sistema de nova democracia. Os povos indígenas não aceitam mais continuar submetidos à matança, à humilhação à destruição da sua cultura e ao esmagamento das suas vidas, como vêm sofrendo desde o período colonial, a monarquia escravocrata, e seguem com a chamada república, que é a continuidade da tutela e da agressão à vida e à dignidade dos povos indígenas.

Os Kaingang se somam aos camponeses do Brasil pela destruição de todos os latifúndios e o direito a terra para quem nela vive e trabalha. Nós Kaingang exigimos a demarcação das terras indígenas, o fim da PEC 2015/00. A destruição dos latifúndios é necessária para a entrega das terras aos camponeses e a demarcação das terras indígenas. É a primeira etapa para expulsar o imperialismo do Brasil e conquistar a libertação do povo brasileiro.

Os Kaingang exigem terra demarcada para todos os povos indígenas viver com dignidade; exigem saúde pública de qualidade de acordo com as necessidades e as especificidades de cada povo indígena; exigem educação pública de todos os níveis, desde a creche até a universidade, com escolas de qualidade, em regime bilíngue, para todos os povos indígenas.

Sem destruir todos os latifúndios e o agronegócio que servem ao imperialismo milhões de camponeses permanecerão sem terra e vão viver em favelas nas cidades e os povos indígenas não terão paz nem suas terras demarcadas para viverem com dignidade. Os latifundiários são os maiores inimigos dos povos indígenas e Michel Temer é pau-mandado dos latifundiários contra nós. Vamos nos unir, os povos indígenas e os trabalhadores do campo e da cidade para destruir todos os latifúndios.

ABAIXO MICHEL TEMER E SUA QUADRILHA!

EXPULSAR O IMPERIALISMO!

DESTRUIR TODOS OS LATIFÚNDIOS!

ESTA TERRA TEM DONO!

Brasília, 24 de Abril de 2017

Acabar com Michel Temer ou Michel Temer acabar com o Brasil.

Derrotar a União dos Corruptos.

Acabar com a mentira eleitoral.

Fala Kaingang ao Povo Brasileiro:

A união dos capitalistas do mundo faz a guerra contra todos os povos da terra.

O USA faz a guerra para dominar o mundo.

No Brasil os governos e os políticos mentem para o povo. Os políticos e os governos roubam do povo. Os governos retiram a terra e a riqueza do povo e entregam as nossas riquezas para os capitalistas.

Michel Temer é um governo que toma os direitos do povo.

Michel Temer é pau-mandado dos latifundiários ladrões de terra.

Os povos indígenas querem o fim dos latifúndios e a devolução das terras dos povos indígenas.

Os povos indígenas precisam expulsar a união dos capitalistas (imperialistas) do Brasil e quer ter a terra do Brasil para os brasileiros. Esta terra é nossa.

Os latifundiários e os governos são inimigos dos povos indígenas.

Os povos indígenas não querem a farsa eleitoral.

Os povos indígenas querem Terra.

Os povos indígenas querem saúde.

Os povos indígenas querem educação.

Abaixo Michel Temer e os ladrões!

Acabar com todos os latifúndios!

Expulsar o Imperialismo (união dos capitalistas)!

Esta Terra tem dono!

(Com a ABr/Diário Liberdade)

Nenhum comentário :