quarta-feira, 27 de julho de 2016

Jornalista é morto na cidade goiana de Santo Antônio

                                                                              
Um jornalista foi morto neste domingo na cidade de Santo António do Descoberto, cidade goiana, localizada no entorno do Distrito Federal. Segundo a polícia local, João Miranda do Carmo (foto), de 54 anos, foi baleado pelo menos sete vezes na porta de casa na noite de domingo (24) depois que um carro parou na porta da residência.

De acordo com o soldado da PM Alisson Assis de Moraes, o Boletim de Ocorrência relata que João tinha ao menos sete perfurações na região do peito. Testemunhas contaram que dois ocupantes desceram, chamaram a vítima pelo nome, efetuaram os disparos ainda dentro da residência e fugiram logo em seguida.

O jornalista era dono de um site de notícias locais chamado “SAD Sem Censura”. No portal, há várias notícias policiais e outras relacionadas a serviços públicos da cidade, como, por exemplo, falta de asfalto e coleta de lixo.

Ainda conforme a PM, o enteado do jornalista disse na ocorrência que o pai já havia sido ameaçado. “Ele relatou que a vítima era conhecida na cidade pelo trabalho de jornalista e que esse pode ser o motivo de sua morte. Contou ainda que o padrasto já registrou ocorrência por ter sido vítima de ameaças de morte”, disse o soldado Alisson Assis de Moraes.

Investigação

Segundo o portal G1, o delegado Pablo Santos Batista, responsável pelo caso, informou que ainda não há nenhuma linha de investigação com maior força. As autoridades vão colher depoimentos para dar andamento nas investigações e não descarta que o crime tenha relação com o trabalho de João.

“As informações preliminares é que foram a casa dele e o executaram. Vamos ouvir testemunhas para saber se ele estava sendo ameaçado ou se teve alguma desavença com alguém por causa da profissão que possa ter motivado o crime”, disse.

Profissão de risco

Esse foi o terceiro assassinato de jornalistas este ano no Brasil. Em março, o radialista João Valdecir Barbosa foi morto a tiros enquanto trabalhava nos estúdios da Rádio Difusora AM, em São Jorge do Oeste, no Paraná. Em abril, o blogueiro Manoel Messias Pereira, foi morto também a tiros em Grajaú, no Maranhão.

Em 2015, o Brasil ficou em quinto lugar como o país mais perigoso para o exercício da atividade jornalística, com oito assassinatos, de acordo com a organização internacional Comitê para a Proteção dos Jornalistas, (CJP, na sigla em inglês). O país ficou à frente de países em guerra como Iraque e Sudão do Sul. A maior parte das pessoas assassinadas apurava casos de corrupção envolvendo políticos.

(Com a Associação Brasileira de Imprensa)

Nenhum comentário :