quarta-feira, 28 de junho de 2017

Escócia “congela” referendo de independência até conclusão do Brexit

                                                                   
A primeira-ministra da Escócia, Nicola Sturgeon, anunciou ontem (27) que seu partido, o Partido Nacionalista Escocês (SNP, na sigla em inglês) está congelando no momento o referendo popular sobre a independência do país.  A informação é da agência chinesa Xinhua.

Nicola disse que o governo escocês reajustou seus planos para a independência do país e, em vez disso, se concentrará em garantir um acordo do Brexit para a Escócia que mantenha sua região no mercado único europeu. A mudança de ênfase do SNP vem depois que o partido perdeu um terço de seus assentos na recente eleição geral para o governo do Reino Unido.

A primeira-ministra  disse que o povo da Escócia deveria ter uma escolha sobre seu próprio destino depois que as negociações do Brexit forem concluídas. A líder do SNP disse que o governo escocês permaneceu fortemente empenhado em dar à Escócia uma escolha no final do processo do Brexit.

"Quero tranquilizar as pessoas de que nossa proposta não é para um referendo agora ou antes, mas sim dar-lhes uma escolha no final do processo do Brexit quando uma maior clareza surgir. Estou, portanto, confirmando hoje que, depois de ter ouvido e refletido, não procuraremos apresentar a lei para um referendo de independência neste momento".

Nicola Sturgeon pretende, no momento, desenvolver o máximo de apoio em torno das propostas para manter a Escócia no mercado único europeu e influenciar as negociações do Brexit de forma a proteger os interesses da Escócia. Os membros da oposição em Edimburgo lançaram a ideia de   abandonar o referendo de independência, com um membro dizendo que "a ideia de independência está agora morta".

A líder conservadora escocesa Ruth Davidson pediu a Nicola que retirasse de discussão do Parlamento o chamado projeto Indyref2, que prevê um segundo referendo sobre a independência da Escócia. "Por que ela não tira isso da mesa durante o período deste Parlamento?," questionou a líder.

O líder escocês do trabalho, Kezia Dugdale, disse num debate que o chamado "Indyref2" estava morto. "O povo da Escócia decidiu isso, mas a primeira ministra simplesmente não está ouvindo," disse.

Já Liz Cameron, CEO da Câmara de Comércio da Escócia, recebeu bem o anúncio de Nicola Sturgeon. "O novo plano da primeira-ministra dará uma oportunidade para que os políticos escoceses de todas as partes se concentrem em dois objetivos claros para garantir que a Escócia e o Reino Unido obtenham o melhor negócio possível com o Brexit e que o Parlamento escocês entregue as melhorias para educação, tributação, infraestrutura e conectividade que precisamos".

(Com Xinhua/ABr)

Nenhum comentário :