terça-feira, 21 de março de 2017

Temer fará visita oficial a Moscou em meados de 2017

                                                            
Brasil é principal parceiro russo na América Latina, segundo Pútin ZUMA Press/Global Look Press


Presidente russo Vladímir Pútin anunciou visita na última quinta-feira (16). Brasileiro visitou oficialmente capital russa ainda como vice em setembro de 2015.

O presidente Michel Temer deve realizar visita oficial a seu homólogo russo, Vladímir Pútin, já em meados de 2017, de acordo com o último.

Pútin fez a declaração durante a cerimônia de apresentação de credenciais de embaixadores estrangeiros em que se recebeu o novo chefe da missão diplomática brasileira em Moscou, Luis Espinola Salgado, ex-embaixador em Ancara.

“Trabalhamos em estreito contato no Brics e no G-20, e ficaremos contentes em receber no verão desde ano o presidente Michel Temer na Rússia”, disse Pútin.

Além disso, o russo reiterou o papel do Brasil como mais importante parceiro estratégico da Rússia na América Latina, a despeito da presença de novos embaixadores de outros 17 países, entre eles, Peru, Guatemala, Costa Rica e Chile.

“As relações entre nossos países estão baseadas em um bom nível de parcerias comerciais e econômicas, técnico-científicas e humanitárias”, disse Pútin.

Esta não será a primeira visita oficial de Michel Temer a Moscou. Em setembro de 2015, Temer esteve na capital russa ainda como vice-presidente do Brasil.

Sua visita, então, era assombrada pelo temor da volta da CPMF e pelos atritos com a então presidente Dilma Roussef, além da reiteração da eterna promessa de compra - ainda não realizada - dos antimísseis russos Pântsir e da retomada do compromisso conjunta com seu análogo, Dmítri Medvedev, de incrementar o comércio bilateral para US$ 10 bilhões.

A comitiva de Temer era composta por cinco ministros (de Minas e Energia, Eduardo Braga; do Turismo, Henrique Eduardo Alves; da Pesca e Aquicultura, Helder Barbalho, da Secretaria dos Portos, Edinho Araújo, e da Aviação Civil, Eliseu Padilha), e foi acompanhada por um turbilhão de assessores, além de dois deputados, a vice-governadora do Paraná e outros, e foi marcada pela assinatura de diversos acordos.

(Com a Gazeta Russa/agência Regnum)

Nenhum comentário :