sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

COMUNA QUE PARIU! FLORIPA CANTA OS 100 ANOS DA REVOLUÇÃO RUSSA




O Comuna Que Pariu Floripa nasceu em 2015, e até agora havia saído no Carnaval de Florianópolis reproduzindo as músicas compostas pelos camaradas do Comuna do Rio de Janeiro. Esse ano, com o crescimento do Bloco e aproveitando as comemorações do centenário da Revolução Russa, o CQP-Floripa resolveu inovar e fazer seu próprio samba.

Pra essa tarefa foram convidados dois compositores radicados em Floripa, os dois Álvaros: um paulista, o Fausane; e um que, de tão carioca, leva o adjetivo no nome, o Alvinho Carioca. Os dois tem uma longa trajetória juntos, com dois cds gravados com músicas de ambos e de outros parceiros da cidade, além de tocarem e cantarem juntos no Grupo Côro de Gato. São parceiros do Comuna desde o início e já se apresentaram em diversas festas organizadas pelo PCB e seus coletivos, com títulos tão inusitados como Samba Marx ou Samba do Moncada.

O pedido do samba assustou um pouco os dois, que achavam não ter muito conhecimento sobre os fatos daquele distante 1917 pra colocar no papel. Mas depois de algumas conversas com integrantes do Bloco, o samba fluiu e conseguiu contar a história da Revolução falando de alguns dos seus personagens centrais, com um refrão que empolgaria até o camarada Lênin.

Discutir, cantar e sambar a Revolução Russa é afirmar que apesar de seus erros, essa Revolução trouxe inúmeras contribuições que perduram até hoje, desde os direitos das mulheres, até as lutas anticoloniais na África.

Num ano que será marcado por comemorações das mais diversas (em Florianópolis as comemorações começaram em outubro, com um Sarau em homenagem ao Camarada Maiakovski), acreditamos que o carnaval não poderia deixar de homenagear a maior revolução da história. Trazer pra rua (e pro nosso tão brasileiro carnaval) uma temática que parte da esquerda passou a negar após a queda do muro de Berlim é abrir mais um canal de diálogo com os trabalhadores no sentido da necessidade histórica de superação do modo de produção capitalista.

Samba Russo!!! 100 anos de revolução
Quem trabalha tem razão
Quem trabalha faz o pão
Então por que a riqueza se concentra em poucas mãos
Já tá passando da hora da rebelião

Foi na Rússia
Nos tempos do czar Nicolau
O povo trabalhava duro
E mesmo assim vivia muito mal
Fome, violência e abusos
Tirania, despotismo e outros absurdos
Sofrendo na opressão desse poder
Levando os dias sem vontade de viver

Esse povo se cansado de sofrer exploração
Nos textos de um filósofo alemão
Surgiu o despertar da consciência
Karl Marx apontou a direção
Proletários desse mundo, é tempo de união

Lideranças bolcheviques, através dos sovietes, se organizaram
Com Lenin liderando a operação
Fiel braço direito era um Leão (Trotsy!)
Junto ao povo eles marcharam
Persistentes imbatíveis
Triunfaram ao final
Deixando um valioso ensinamento
A toda humanidade
O caminho é a união

Pro mundo conviver com igualdade
Tem que ter fraternidade
Tem que haver cooperação
Viva a revolução
E a força que traz
O poder da mudança
Outros outubros virão
É a luta que faz
Termos mais esperança

Nenhum comentário :