quarta-feira, 24 de abril de 2013

Gandarela tem uma paleotoca - toca de tatu gigante extinto há 10 mil anos


                                                                             

Decidimos divulgar a existência da paleotoca do Gandarela como uma forma de proteger este patrimônio científico de valor incalculável. Outras providências estão sendo tomadas junto aos orgãos competentes. Já iniciamos dentro do movimento atividades para envolver todos com a sua descoberta, como uma oficina em argila realizada em Rio Acima, na qual as crianças, a partir de desenhos, esculpiram cada um o seu tatu gigante do Gandarela. A relevância desta paleotoca vai agregar mais valor ainda ao Parque Nacional da Serra do Gandarela cuja criação continuamos aguardando.

Será que a Vale tentou destruir a Paleotoca do Gandarela?

Em fevereiro de 2009 a Vale S/A iniciou o licenciamento ambiental para um Projeto de Lavra para Amostragem Mineral para Teste Industrial em dois pontos na Serra do Gandarela, através de Autorização Ambiental de Funcionamento (AAF). A proposta da empresa era retirar 16.500 toneladas do Ponto 1 e 19.200 toneladas do ponto 2 e levar em caminhões para a Mina de Brucutu para realizar teste industrial.

Naquela época não sabíamos o que havia nos dois pontos escolhidos pela Vale, mas consideramos muito estranho o licenciamento, porque a Vale já conhecia o teor do minério de ferro da Serra do Gandarela. Assim, atuamos junto ao Conselho da APA SUL e levamos o assunto ao Ministério Público e a autorização ambiental de funcionamento não foi concedida.

Hoje sabemos que um dos pontos era precisamente o local onde é a paleotoca de tatu gigante. Essa cavidade é classificada como de máxima relevância, e está na área onde a Vale quer retirar o minério no seu projeto chamado Mina Apolo.

Será que a Vale S/A tentou, em fevereiro de 2009, destruir a paleotoca de tatu gigante que existe na Serra do Gandarela antes que fosse conhecida a sua existência ?

Como descobrimos a Paleotoca do Gandarela?

No dia 29 de março de 2011, o Dr. Francisco Sekiguchi C. Buchmann, especialista no assunto, professor da UNESP/São Vicente e pesquisador do Projeto Paleotocas (http://www.ufrgs.br/paleotocas/Portugues.htm ), em sua palestra “As paleotocas de Tatus Gigantes são cavernas?“, realizada em Belo Horizonte, disse que uma das cavidades na Serra do Gandarela era uma paleotoca. Ficamos aguardando a publicação de algum artigo seu sobre esta importante descoberta e sua relevância científica, o que não aconteceu até hoje.(Com o Movimento Gandarela)


Nenhum comentário :