quinta-feira, 18 de abril de 2013

Investimento das empresas chinesas no exterior bateu recorde em 2012


                                   
A sétima Conferência sobre o Investimento das Empresas Chinesas no Exterior foi realizada entre os dias de 17 e 18 de abril, em Beijing. O investimento das empresas chinesas em outros países bateu novo recorde no ano passado, alcançando mais de 83 bilhões de dólares americanos, um aumento de cerca de 30%, em relação ao ano de 2011. 141 países e regiões do mundo foram alvos de investimento chinês.

O tema da conferência neste ano é "Promover a facilitação do investimento transfronteiriço e aumentar a capacidade de investir no exterior". Mais de 1500 governadores, especialistas, gerentes de empresas chinesas e europeias, e de países da Associação de Nações do Sudeste Asiático (ASEAN, na sigla em inglês) e da Ásia do Sul, participaram na conferência.

O presidente do Conselho Chinês para a Promoção do Comércio Internacional, Wan Jifei, elogiou o desempenho das empresas chinesas no ano passado e suas contribuições para os destinos do investimento.

"As empresas chinesas bateram um recorde de investimento no exterior em 2012 e também cresceram bastante. Ao mesmo tempo, os seus investimentos ajudaram a aumentar as oportunidades de emprego para os locais, promovendo o desenvolvimento econômico desses países e regiões, e também a recuperação da economia global."

O responsável pelo investimento estrangeiro da Comissão de Desenvolvimento e Reforma Nacional da China, Wang Jianjun, disse que em conjunto com a ampliação do investimento das empresas chinesas, as áreas e regiões de destino desse mesmo investimento, assim como as formas de investir também mudaram muito.

"As áreas de destino do investimento continuam em expansão. Além de setores como energia e minerais, cooperações e investimentos, as áreas dos serviços, construção, tecnologias e fabricação avançada, também foram ampliados. Em segundo lugar, o mecanismo de cooperações e investimentos bilaterais está cada vez mais aperfeiçoado. Os intercâmbios entre governos são mais diversificados. Por outro lado, os investimentos de capital, e em fundos, são cada vez mais um destino para as empresas da China."

Atualmente, vários países oferecem políticas de facilitação para atrair investimento chinês. No entanto, quando analisam essas políticas, as empresas chinesas não sabem quais são credíveis, e por vezes não reconhecem todas as políticas fornecidas durante o processo de investimento. Ao responder, a senhora Liu Linna do Centro de Desenvolvimento da China do Estado de Tennessee, EUA, apontou que a divulgação das informações feita pelos governos é mais eficaz e confiável.

Com o desenvolvimento econômico da China, as empresas chinesas, especialmente as privadas, apresentam mais desejos de realizar investimento e desenvolvimento no exterior. Durante o processo de investir nos outros países, algumas empresas foram bem sucedidas, enquanto outras falharam. Sobre os problemas durante este processo, o vice-presidente da Associação das Empresas Chinesas em Cingapura, Zuo Haitao, ressaltou que as empresas precisam de auto-posicionamento.

"Uma empresa tem de saber quem é ela e aonde quer ir. A maior dificuldade enfretada pelas empresas chinesas no exterior é o problema do talento. Devem conhecer as regras locais e empregar a melhor mão-de-obra."

O presidente do Conselho Chinês para a Promoção do Comércio Internacional, Wan Jifei, anuciou que os governos e as associações comerciais devem ajudar as empresas para lidar com os problemas, e promover um desenvolvimento saudável e sustentável. (Com a Rádio Internacional da China)

Nenhum comentário :