segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Brasileiro-palestino não fica solto depois de 100 dias de greve de fome




Islam Hamed foi solto em 21 de julho, pouco depois de completar 100 dias de greve de fome e depois de quatro detenções na Cisjordânia.

O brasileiro-palestino Islam Hamed, de 30 anos, foi preso novamente na madrugada de sábado (24/10) pelo Exército de Israel, reportou a Agência Brasil. Ele foi detido na cidade de Jenin, a terceira maior da Cisjordânia ocupada, e foi encaminhado para uma penitenciária em Jerusalém.

A prisão ocorre pouco mais de três meses após Hamed ser libertado em Ramallah. Ele foi solto em 21 de julho, depois de completar 100 dias de greve de fome e em meio à pressão de comunidade árabe no Brasil.

Ao deixar o cárcere, o brasileiro-palestino havia assinado um documento em que confirmava ter consciência de que a saída poderia implicar riscos para sua integridade física. Desde então, ele vivia escondido.

Esta é a quarta detenção de Hamed. A primeira vez aconteceu quando ele tinha 17 anos. Já a última vez ocorreu em 2010, após ser acusado por Israel de ter atirado pedras em colonos israelenses nos territórios palestinos ocupados da Cisjordânia.

Apesar de sua pena ter terminado em setembro de 2013, a liberdade do brasileiro-palestino não estava garantida e Tel Aviv já havia deixado claro que, após ser solto, Hamed poderia ser preso novamente, desta vez, pela Justiça de Israel.

Entretanto, segundo um documento em árabe traduzido a pedido do Itamaraty e enviado à família de Islam Hamed no Brasil em julho, a Justiça palestina não encontrou provas de que ele tivesse, de fato, atirado nos colonos israelenses.

A Opera Mundi a família de Hamed confirmara no fim de julho que foi o próprio brasileiro-palestino que assinou o termo de responsabilidade que possibilitou sua soltura, uma das exigências da Autoridade Palestina para liberá-lo. A reivindicação da família era que o Itamaraty assinasse esse termo e fornecesse assistência ao cidadão brasileiro uma vez libertado — ao menos, e em um primeiro momento, abrigá-lo na sede da Embaixada brasileira.

O caso de Islam Hamed envolveu negociações entre o Itamaraty, a ANP (Autoridade Nacional Palestina, de Mahmoud Abbas) e o governo israelense.À Agência Brasil, o Itamaraty afirmou que a Embaixada brasileira em Israel fará, na segunda-feira, uma solicitação formal de visita a Islam Hamed na prisão e garantiu que prestará assistência consular ao brasileiro.(Com o Diário Liberdade)

Nenhum comentário :