segunda-feira, 9 de maio de 2016

Metamorfose de Mãe

                                                               

Mauro Luis Iasi

Quando ele nasceu

Ela só queria ser mãe.

Quando ele deu seu primeiro passo

Ela só queria ampará-lo

Quando ele falou

Ela só queria escutá-lo.

Quando ele cresceu

Abriu-se nela um abismo.

Quando ele se tornou comunista

Ela só queria persuadi-lo

Quando a ditadura o levou

Ela só queria morrer.

Quando ele desapareceu

Ela só queria encontrá-lo.

Quando a noite engoliu seu corpo

Ela só queria reinventar o dia

E acreditar que tudo era mentira.

Passou a gritar luzes

Nos necrotérios e nos quartéis

Nos tribunais e nas repartições

Nos comitês e nas reuniões

Nas praças e nas ruas.

E quando comia o pão da amargura

E bebia o vinho da ausência,

Enquanto aprendia a dura pedagogia

Da militar prepotência,

Nem percebeu a metamorfose

Que acontece naqueles que buscando os outros

Encontram a si mesmos:

Hoje ela não quer mais

Nem a bandeira da tristeza

Nem a impossibilidade da alegria,

Ela só quer

Aquilo que seu filho queria.



Nenhum comentário :