quinta-feira, 9 de março de 2017

PCB chama os trabalhadores às ruas contra a reforma da Previdência

                                               

"Todos às ruas neste 15 de março contra o ajuste 
fiscal e as reformas trabalhista e da previdência


O Partido Comunista Brasileiro (PCB) convoca todos os seus militantes e membros dos coletivos partidários e conclama os trabalhadores, a juventude, os amigos e simpatizantes para se integrarem ao Dia Nacional de Paralisação e Mobilizações Contra a Reforma da Previdência que será realizado em todo País neste 15 de março, a partir da convocação das centrais sindicais e movimentos populares. 

O governo golpista e usurpador continua os ataques cada vez maiores aos trabalhadores, à juventude, ao povo pobre dos bairros e contra a soberania nacional. 

Portanto, é necessário deter essa ofensiva a partir de um grande movimento nacional dos trabalhadores e da juventude nas ruas, nos locais de trabalho, moradia e estudo, tendo em vista que só a luta é capaz de mudar a atual correlação de forças.

A população vem demonstrando em várias oportunidades, com manifestações de ruas, nos estádios de futebol, teatros e agora com o grito rebelde do Fora Temer no carnaval, seu repúdio a essa quadrilha que tomou o poder em Brasília. 

Agora, é hora de transformarmos essa rebeldia em manifestação organizada contra esse governo corrupto e inimigo dos trabalhadores. 

Para tanto, é fundamental que as organizações convocadoras dos atos e greves transformem efetivamente as palavras de ordem em ações práticas, colocando todo esforço na interrupção das atividades dos setores fundamentais da economia, de forma a paralisar o País e retomar a luta em outro patamar. 

As chamadas de greves e mobilizações sem a correspondente construção na base desmoralizam e banalizam as palavras de ordem e desorientam os trabalhadores, tornando cada vez mais difícil a mobilização do proletariado.

Com o objetivo de contribuir para o êxito dessa jornada de luta, o PCB orienta seus militantes, amigos e simpatizantes a organizarem espaços de mobilização nos locais de trabalho, nos bairros, nas escolas e universidades, visando ampliar ao máximo a extensão das mobilizações. 

Compreendemos essa jornada de greves, lutas e mobilizações como o início, em 2017, de um longo processo de lutas que deverá se intensificar até a derrubada desse governo golpista e usurpador.

Comissão Política Nacional do PCB"

Nenhum comentário :