sexta-feira, 19 de agosto de 2016

FOTOGRAFIA


                                                         

Carlos Lúcio Gontijo

Sei das borboletas que lhe saem pelos poros
Atravesso travesso as roletas do seu amor
Faço-me do avesso mais avesso
Abro as escotilhas do seu corpo
Ponho-me a fotografar suas ilhas úmidas
Num afagar de interiores entregues ao sonho
Realidade digital em porcelana quebradiça
E você se espreguiça nua em meus braços
Enquanto recolho traços da vida em negativo.

(Poema extraído do romance VIRGEM SANTA SEM CABEÇA - 2002)


www.carlosluciogontijo.jor.br

Nenhum comentário :