quarta-feira, 13 de abril de 2016

Respaldo mundial a Cuba no Primeiro de Maio


                                                           
                            
Como resposta à convocatória da Central dos Trabalhadores de Cuba, organizações e centrais operárias do mundo confirmaram sua participação em nosso país nos festejos com motivo do Primeiro de Maio, Dia do Proletariado Mundial.

Entre os objetivos dos visitantes se encontram respaldar Cuba na batalha contra o injusto bloqueio imposto pelos Estados Unidos, exigir a devolução à Ilha do espaço ocupado pela ilegal base naval em Guantánamo e conseguir a unidade do movimento sindical internacional frente à ofensiva imperialista contra os governos democráticos e processos revolucionários e progressistas.

Igualmente, aprovar ações comuns para enfrentar a profunda crise econômica sistemática com desastrosos efeitos para a classe operária no mundo, como o desemprego, o despejo, o incremento incessante dos preços dos alimentos e dos serviços básicos, entre outras mazelas.

Na lista de organizações operárias que confirmaram sua presença em Cuba em Primeiro de Maio aparecem a Confederação Geral dos Trabalhadores do Vietnã, o Sindicato da Saúde da África do Sul, a Central dos Trabalhadores do Brasil e representantes do Sindicato Internacional do Aço, pertencentes ao Reino Unido, Estados Unidos e Canadá.

A essas organizações se acrescentam a Federação de Sindicatos Independentes da Rússia e líderes dos Trabalhadores Postais do Canadá e dos Serviços de Hotelaria dos Estados Unidos, a Confederação dos Trabalhadores da Índia e a Federação Sindical Mundial.

Os visitantes estarão presentes no ato central na Praça da Revolução José Martí, no Dia Internacional dos Trabalhadores; no Encontro Internacional de Solidariedade, em 2 de maio, nas Reuniões Internacionais de Intercâmbios Sindicais, em 2 e 3 do próprio mês, e nos encontros colaterais com líderes operários cubanos em outras províncias do país.

Também como parte do programa as delegações convidadas visitarão locais de trabalho, terá lugar uma reunião da Federação Sindical Mundial (FSM) da América Latina e o Caribe com vista ao seu 16º Congresso, um curso sindical e o Seminário de integrantes do Encontro Sindical Nossa América (ESNA), bem como um jogo amistoso de beisebol Cuba-México.

(Com o Granma)

Nenhum comentário :