sábado, 12 de dezembro de 2015

Diálogo sobre os direitos humanos deve ser baseado na igualdade e respeito mútuo

                                                       

A China afirmou ontem (10) que nenhum país no mundo pode dizer que é perfeito em termos de direitos humanos e que espera que os países e povos em questão se foquem nos seus próprios problemas. A afirmação foi uma resposta às declarações feitas pelas embaixadas dos Estados Unidos e da Alemanha na China.

No Dia dos Direitos Humanos, as duas embaixadas publicaram declarações elogiando a China pelos progressos feitos na proteção dos direitos civis e nas reformas judiciais, mas disseram expressar preocupações em relação aos direitos humanos de certos advogados, jornalistas e feministas.

“Pessoas específicas mencionadas nessas declarações não são cidadãos norte-americanos nem alemães, mas sim cidadãos chineses. Os países concernentes devem respeitar o tratamento dos casos dado pelas autoridades judiciais chinesas,” disse Hua Chunying (foto), porta-voz da chancelaria chinesa.

Hua assinalou que parece que algumas pessoas estão prestando bastante atenção em alguns casos específicos na China, mas ignorando seletivamente o sentimento de 1,3 bilhão de chineses e a liberdade e progresso que eles desfrutam.
Nenhuma instituição ou indivíduo estrangeira tem o direito de interferir na independência judicial e soberania da China, acrescentou Hua.

De acordo com a porta-voz, a parte chinesa vai continuar seus diálogos e cooperação construtivos com os diversos países do mundo sobre a questão dos direitos humanos, baseando-se no espírito de igualdade e respeito mútuo, a fim de aprender um com o outro e realizar progresso comum.

Hua indicou que a China da grande atenção na promoção e proteção dos direitos humanos, defende a universalidade dos direitos humanos no contexto da realidade da China, e impulsiona o desenvolvimento econômico e social, a igualdade social e a justiça para melhorar, de uma maneira geral e equilibrada, os direitos econômicos, sociais e culturais, bem como os direitos civis e políticos.
Aqueles que não têm preconceito nunca vão negar o fato de que a China realizou progressos de renome mundial na causa dos direitos humanos, afirmou Hua.

Segundo o Livro Branco sobre Direitos Humanos da China 2014, o povo chinês desfruta de benefícios práticos trazidos pelo desenvolvimento do país. Segundo a publicação, a situação dos direitos humanos também alcançou novos avanços. (Com o Diário do Povo)

Nenhum comentário :